"ARTPOP" vs "PRISM": Katy Perry e Lady Gaga estão com novos álbuns a caminho! Por qual estão mais ansiosos?

Uma é nova-iorquina, a outra californiana. Uma começou cantando na igreja, a outra em pequenos bares. Uma chegou as rádios com a ajuda ...

Uma é nova-iorquina, a outra californiana. Uma começou cantando na igreja, a outra em pequenos bares. Uma chegou as rádios com a ajuda do rapper Akon, a outra com um empurrão da cantora Madonna. Uma ganhou o mundo beijando garotas, a outra apenas dançando. Uma almejava a fama, a outra só não queria ser vista como um dos garotos. Ambas tiveram seus singles de estreia lançados por grandes gravadoras em abril de 2008, lançando no mesmo ano seus primeiros cds e aparentando, desde então, serem os próximos grandes nomes do mercado pop.

Alguns anos se passaram e eis que aqui estão elas outra vez, Katheryn Hudson e Stefani Germanotta, Katy Perry e Lady Gaga, prontas pra se digladiarem pelo topo das paradas outra vez (pfvr, da forma mais saudável e civilizada possível). 


De um lado, temos a californiana que marcou 2011-2012 com seu segundo álbum de inéditas sob o nome artístico Katy Perry, "Teenage Dream". Sucedendo os sucessos "I Kissed A Girl" e "Hot N' Cold", o álbum contou com singles como "California Gurls", "Firework", "E.T." e "Last Friday Night", dando a cantora o recorde de artista com mais singles de um mesmo álbum (o relançamento, "The Complete Confection", também conta para o recorde, tá?) no topo da Billboard Hot 100, ficando acima de Michael Jackson, que possuía cinco músicas do "Bad" com #1 em seu histórico. 



Além dos números da Billboard, sua zona de conforto, Katy Perry também possui cerca de 123 prêmios, o que não inclui nenhum Grammy, mas muitos Teen Choice, People's Choice, Billboard Music, Video Music e Europe Music Awards. Nossa música favorita de seu repertório é "Mannequin", do seu disco de estreia, enquanto o quesito clipe fica a cargo de "E.T.".


Mas como poucos números são bobagens, a outra estrela dessa matéria também se garante. A nova-iorquina Lady Gaga deu um verdadeiro tombo em seus fãs com seu segundo e incompreendido álbum, "Born This Way". Na busca de tornar seu pop algo mais expressivo ("No, he can't read my poker face" era expressivo o suficiente, mas ela queria mais), o mais recente disco de Lady Gaga veio cheio de referências e inspirações, mas pecou pelo excesso. Opiniões à parte (ainda não é momento, rs), o vômito auto-biográfico da cantora esteve longe de flopar, com pico #1 na Billboard Hot 200, mas não foi tão bem-sucedido com seus singles, tendo apenas um de cinco a encabeçar a Hot 100 da Billboard.



Em contrapartida, os números que Lady Gaga não possuem na Billboard podem ser compensados por seus prêmios. Só no meio musical, a cantora possui mais de 191 estatuetas faturadas, sendo que cinco deles são prêmios Grammy (Melhor Álbum Dance, Melhor Gravação Dance, Melhor Álbum Pop com Vocal, Melhor Performance com Vocal Pop Feminina e Vídeo em Curta-Metragem) por seus primeiros materiais, "The Fame" e "The Fame Monster". Pra gente, a melhor música de seu repertório é a incomparável "Bad Romance", enquanto "Telephone" carrega o título de melhor videoclipe.

Todos esses números acima podem confundir um pouco, mas quem vive de passado é fã da Britney Spears museu, sendo assim, vamos falar dos dias atuais: nas próximas semanas, tanto Katy quanto Lady Gaga voltam as rádios com seus novos singles, "Roar" e "Applause" e, consequentemente, serão alvo de muitas comparações (assim como fizeram quando elas estrearam, láaaa em 2008). As canções abrem os trabalhos das cantoras com seus respectivos terceiros álbuns, "PRISM" e "ARTPOP", e ambas possuem aí uma gama de expectativas envolvendo os lançamentos.


Uma está pressionada a superar o sucesso de seu último disco, a outra precisa ganhar de volta as paradas, assim como a aceitação de um público além da sua legião de fãs. Uma precisa de hits, a outra mostrar que não depende só de grandes produtores. Uma quer trazer arte e conceito para um gênero marcado por sucessos vazios, a outra quer que o mundo pare para apreciar as notas que pode alcançar com seu rugido. Antes que se perguntem, isso não é sobre uma ser melhor que a outra, pois estamos ansiosos para conferir o trabalho de ambas, mas sobre nossas expectativas e qual delas chegará mais perto de alcançá-la.

Aos interessados, abaixo até temos uma enquete: