It Pop Apresenta: tesouros da Suécia, vem conhecer os ritualísticos nortenhos Niki and the Dove!

Se alguém pegar todo o pop sueco, pode enfiar num baú e navegar os sete mares: é tesouro! De Abba à Robyn, Roxette à Lykke Li, The Card...

Se alguém pegar todo o pop sueco, pode enfiar num baú e navegar os sete mares: é tesouro! De Abba à Robyn, Roxette à Lykke Li, The Cardigans a The Knife, enfim, são diversos nomes com músicas mais que bem feitas.

Desde 2011 uma dupla sueca de eletroindie/synthpop tem lugar mais que especial nas minhas pastas de músicas: Niki and the Dove. Bom falar que eles já abriram show pro Hurts na tour deles de 2011. PÁ! na sua cara (com muito amor ♥). Com músicas que compartilham a obscuridade sueca e alguns elementos oitentistas, esse duo formado por Malin Dahlström e Gustaf Karlöf, pode te lembrar de Siouxsie and the Banshees a Florence + the Machine. Sim, muita informação! A dupla foi formada somente em 2010, mas os dois já trabalhavam juntos desde 2007 no projeto folk The Dora Steins, que é chato razoável. A teatralidade dos (esquisitões) excêntricos Gustaf e Malin é um elemento que sai da tela do computador e outro PÁ! na nossa cara! É lúdico, doido e extravaganza nórdica, com cenários incríveis e figurinos inimagináveis/ritualisticos. Confiram o clipe The Drummer, música título de um EP lançado em 2011:



Tendo apenas o álbum Instinct (2012) lançado, eles despertam muita curiosidade. O CD de estréia da dupla passeia entre os extremos de temperatura da Suécia, assim como entre o claro e o escuro. Tanto músicas que chegam a ser relacionadas a produções com influência gótica, como músicas que contam apenas com elementos eletrônicos e organicidade dançante. Entendam/Apreciem toda a naturalidade e força da voz de Malin em Mother Protect, que já foi remixada pelo extinto (em prantos) trio Swedish House Mafia:



Como todo bom nórdico, eles carregam um pouco de mistério, deixando um vazio de informações em nossos corações de little stalkers. Além de claro, terem apenas um álbum, faltando material pra gente dissertar, né? Mas depois de uma pequena turnê eles já estão em estúdio escrevendo sobre arco-íris (sim!) e preparando um bom material e podemos afirmar: paixãozinha entre natureza e tecnologia vem aí. De praxe do pessoal dos países gelados, né? Björk quem diga. Enquanto o novo material não sai, acompanhamos na medida do possível pelo Facebook, Twitter e Instagram.