Após o fracasso, Alexandra Burke voltará a ser ela mesma em novo álbum!

É inegável dizer que Alexandra Burke tem uma das melhores vozes femininas do Reino Unido, e que sabe-se lá o motivo (leia-se pressão da...

É inegável dizer que Alexandra Burke tem uma das melhores vozes femininas do Reino Unido, e que sabe-se lá o motivo (leia-se pressão da gravadora), teve logo o que possui de melhor estragado no seu segundo álbum, o "Heartbreak on Hold" (que muitos gostaram, mas não me incluo nisso), que veio repleto de influências do eurodance, que consequentemente desviavam o foco do excelente timbre vocal dela. Isso tudo acabou refletindo nas vendas, uma vez que seu ótimo álbum de estreia, "Overcome" (2009), alcançou a ponta das paradas britânicas e gerou hit-singles como "Hallelujah", "Bad Boys", "Broken Heels", "All Night Long" e "The Silence". Já seu segundo álbum, foi um fracasso total, comercial e de crítica.

Pensando nisso, Alexandra, que em breve entrará no estúdio para a gravação de um novo material,  prometeu voltar ao seu característico estilo, o qual a consagrou em 2009, e ainda flertando mais com o gospel e o soul, como dito na entrevista ao Bang Showbiz: "Eu não sei como cheguei onde estou, parece que foi ontem que eu ganhei The X Factor, quero mostrar crescimento em mim como uma jovem mulher e chegou a hora de mostrar um lado mais profundo, conservando a minha voz, mas podendo me arriscar e indo para uma direção que nunca estive antes."

Mas o que seria essa profundidade a qual Alexandra se refere? A própria tratou de responder:

"Quero resgatar a sonoridade das pessoas que fizeram a música. Aretha Franklin, Billie Holiday, algo grandioso, que misture soul, pop e gospel. E é aí que vem a música. Nossa geração e as pessoas que são mais jovens do que eu, realmente não sabem onde a música começou, porque alguns deles não foram acostumados a isso. É essa a direção que meu novo álbum deve tomar".

Espero realmente que tudo que foi dito nessa entrevista se cumpra, e que esse novo álbum, de fato, retorne ao que ela era, porque é um desperdício enorme abafarem uma voz tão fenomenal, para se venderem a uma nova e arriscada proposta de mercado, para mais tarde, servir apenas como um belo tiro no pé, como foi o "Heartbreak on Hold".

Enquanto o material novo não vem, fiquemos com o antigo mesmo e muito bom, a bela "The Silence", de 2010: