Reprodução/Divulgação

Review: Flo Rida pega carona no sucesso alheio em seu novo álbum, "Wild Ones"!

Sempre apostando em batidas dançantes e refrões grudentos, o rapper Flo Rida é, sem dúvidas, uma das pessoas que você tem CER-TE-ZA que já e...
Sempre apostando em batidas dançantes e refrões grudentos, o rapper Flo Rida é, sem dúvidas, uma das pessoas que você tem CER-TE-ZA que já escutou ao menos uma música neste ano e também é muito provável que você já tenha se cansado de ouvir ao menos uma música do mesmo rapper, mas uma coisa é certa, Flo Rida está longe de ser dos rappers mais honestos deste meio - tanto com sua música, quanto com sua atitude em meio aos números e produtores que o rodeiam.

Em seu quarto álbum de inéditas, “Wild Ones”, Flo Rida não apresenta grandes mudanças em sua sonoridade, apostando na mesmice de sempre (até porque tem dado certo nas paradas e it’s all about the business), mas entre suas apostas para futuro hits, temos o reflexo da pressa de aproveitar o momento na crista da onda (vide o número de faixas do material) e as caronas que acabaram por impulsionar os lançamentos do rapper para as paradas.

Começando a tracklist de “Wild Ones”, somos educadamente apresentados ao Flo Rida de “Whistle”. Sem participações especiais, a canção é uma das melhores do material e conta com a produção do Frank E, que trabalhou com Flo em seus últimos três CDs, na faixa ainda temos o refrão fácil de lembrar, porém, sem as apelativas batidas radiofônicas – ponto para Flo Rida! Prosseguindo, partimos para a faixa-título e grande hit deste álbum, “Wild Ones”, que conta com a participação da cantora Sia. Nesta faixa, as batidas começam a ganhar vida e as rimas de Flo Rida já começam a ganhar mais forma – quando a faixa foi lançada, Sia já tocava nas rádios com “Titanium”do David Guetta e o rapper acabou pegando carona no hit -, mas os vocais de Sia é o grande fator positivo da coisa toda.

Na terceira faixa do CD, “Let It Roll”, Flo Rida retorna a atacar sozinho, porém, conta com um sample de “Come On” do Jimi Hendrix. A faixa foi produzida pela dupla francesa SoFly & Nius, que também produziu “Wild Ones”, e é mais uma que nos chama a atenção de forma positiva na tracklist. Após a visitinha à Jimi Hendrix, Flo Rida vai lá e resolve ressuscitar mais um grande nome da música: Etta James. A faixa conta com um sample do inconfundível vocal de Etta na faixa “Something’s Got A Hold On Me” e quando foi lançada nas rádios, Etta James ainda estava presente para conferí-la e conferir a feia atitude de Flo Rida, que pegou mais uma carona no hit alheio – desta vez, aproveitando o sample que já estava nas rádios com “Levels” do Avicii.

Voltando com mais um pouco de originalidade, vamos com a de-li-ci-o-sa “In My Mind”, que é a quinta faixa do CD e conta com a produção de Axwell, Ivan Gough e Feenixpawl, e a participação da cantora indie Georgi Kay. Nesta canção, Flo Rida consegue atingir um dos pontos mais interessantes e cativantes do álbum, indo do dance farofa ao lado eletrônico do indie, e mandando bem. Felizmente, esse clima gostoso prossegue em “Sweet Spot”, que conta com a participação da cantora Jennifer Lopez e é uma das mais grudentas do CD. A faixa foi uma das que foram disponibilizadas na internet antes do lançamento do álbum e nela, Jennifer Lopez mostra algo bem diferente de suas últimas parcerias com o rapper – arrisco dizer que essa é a primeira vez que adoro por completo algo lançado por esses dois.

Chegando perto do fim do álbum, Flo Rida resolve mostrar que com ele não temos apenas farofa e vem com a baladinha R&B “Thinking of You”, que flerta com as pistas mas acaba sendo algo que imaginaríamos facilmente na voz do Usher – ou do Conor Maynard. A canção foi produzida pelo time Jim Jonsin, Rico Love, Earl & E e Pierre Medor (que possuem nomes como Usher, 50 Cent, Ciara, Beyoncé e outros em seus respectivos currículos, o que explica muita coisa). Finalizando a baladinha, vamos para a animada “I Cry”, que poderia ser uma das coisas mais geniais lançadas pelo Flo Rida, isso se já não estivéssemos escutado este refrão 215464244 vezes em “Cry (Just A Little)” do Bingo Players no ano passado. Mas calma, desta vez o kibe tem uma explicação: “I Cry” do Flo Rida é produzida por Paul Bäumer & Maarten Hoogstraten, também conhecidos por integrar o duo Bingo Players.

E pra fechar, vamos com mais uma farofa e com a participação dele, o farofeiro-mor da atualidade, RedFoo (que é metadinha do LMFAO). Intitulada “Run”, a nona e última canção de “Wild Ones” vem como uma bonus track, mas tinha tudo para estar um pouco mais acima nesta tracklist. “Run” é produzida pelo GoonRock, do smash hit “Party Rock Anthem”, e além de contar com RedFoo se auto-sampleando, também conta com o refrão de “Run To You” do Bryan Adams, só que cantado por uma cantora que não recebeu créditos por sua participação – triste, adoraria curtí-la no Facebook.

Resumindo: o novo álbum do Flo Rida, “Wild Ones”, tem tudo para garantir mais alguns hits para o rapper nas rádios e é óbvio que esse era o único plano da gravadora, porém, toda a pressa da produção faz com que esse álbum não acrescente nada além de alguns refrões em nossas vidas – e ainda assim, refrões reciclados e que agora, já podem ser descartados.