Must Watch: Queen e a imperdível parceria com Adam Lambert

Em prol da luta contra a AIDS, a lendária banda Queen se apresentou com Adam Lambert no último dia 30, em Kiev (Ucrânia). O espetáculo d...

Em prol da luta contra a AIDS, a lendária banda Queen se apresentou com Adam Lambert no último dia 30, em Kiev (Ucrânia). O espetáculo de 2 horas, organizado por Elton John, aconteceu um dia antes da final da Eurocopa.

Para que vocês não se percam, aqui a humilde setlist do espetáculo.

1. Flash (Intro)
2. Seven Seas of Rhye 
3. Keep Yourself Alive
4. We Will Rock You (Fast)
5. Fat Bottomed Girls
6. Don't Stop Me Now
7. Under Pressure
8. I Want It Wall
9. Who Wants to Live Forever
10. A Kind of Magic
11. These Are the Days of Our Lives 
12. Love of My Life
12. '39
13. Dragon Attack
15. Drum Battle/Guitar Solo
16. I Want to Break Free
17. Another One Bites the Dust
18. Radio Ga Ga
19. Somebody to Love
20. Crazy Little Thing Called Love
21. The Show Must Go On
22. Bohemian Rhapsody

- ENCORE-
23. Tie Your Mother Down
24. We Will Rock You
25. We Are the Champions 



Antes de começarem o show, um documentário de 20 min sobre a banda, com foco no insubstituivel Freddie Mercury, que faleceu em 1991 por conta da AIDS.  Depois de muito suspense… eis que começa o espetáculo (do ano, pra mim). Muita fumaça, luzes azuis, trechos de "Flash" e a impressionante guitarra de Brian May… Adam, no melhor estilo Queen de se vestir (jaqueta de couro com espinhos, vários detalhes entrelaçados com algumas correntes de prata; calças também de couro e o que se parece com uma bota plataforma), começa a maravilhosa setlist com "Seven Seas of Rhye". Por enquanto, não houve muita interação com Brian May.


Passam rapidamente para "Keep Yourself Alive" (serviu como uma luva pro vocal do Adam). Logo em seguida, começa uma versão acelerada de "We Will Rock You", o que não me agradou muito por ter encurtado os versos e enfraquecendo o poderoso refrão, mas eles compensam com a versão original mais ao fim do show. NEXT…. 


Uma pequena pausa e Adam interage com o público. Ainda manda um [adam_mode] "We're feeling goooood" [/adam_mode] até que começam "Fat Bottomed Girls". Enquanto a guitarra de Brian May tomava o palco, Adam era só simpatia com o público e com o próprio Brian.

Silêncio e escutamos as primeiras notas da emblemática "Don't Stop Me Now". Tem como não ficar arrepiado, Brasil? Adam, seu lindo! Fez a música soar tão bem (como sempre), impôs sua personalidade e ainda sim, sem tentar roubar o título de Freddie Mercury em momento algum. Tudo muito lindo.

Rufus Taylor assume a bateria agora, enquanto o pai Roger Taylor assume o microfone e canta "Under Pressure" com Lambert. Adam acertando todas as notas mais altas e, em alguns versos, sua voz se misturava com a de Roger Taylor, o que soou muito bem. 

Passando por "I Want It All", eis que começam a tocar a incrível "Who Wants to Live Forever". Nessa hora, toda a teatralidade vinda da Broadway de Lambert vem à tona e lógico… vocal épico. Após isso, Adam se retira do palco para troca de figurino, enquanto… surpresa surpresa, Roger Taylor volta ao microfone e canta (muito bem, diga-se de passagem) "A Kind of Magic" inteirinha. Ainda canta, muito emocionado, "These Are Days of Our Lives".

Em seguida, Brian deixa vários em lágrimas com a canção que Freddie escreveu para Mary Austin , com quem manteve uma forte amizade até a sua morte: "Love of My Life". No fim, ainda tem Freddie no telão cantando junto.

Por fim, terminam esse segmento do show com "'39", mudando algumas letras. Adam agora retorna ao palco com "Dragon Attack", em outro figurino (luvas de couro, blazer preto cheio de detalhes e calças mais largas - parecidas com as usadas por ele, na Glam Nation Tour). Aqui, muitos criticam por Adam não ter a mesma atitude de Freddie Mercury em qualquer apresentação dessa música, mas a intenção não era "tentar ser" o novo Freddie. São essas pessoas que não entendem que isso não é um show COVER, e sim um TRIBUTO à memória da banda e, em especial, a de Freddie Mercury.

Agora, uma espécie de Drum Battle entre Roger Taylor e seu filho, esquentando muito mais o espetáculo. Em seguida, Brian May, com seu FANTÁSTICO solo de guitarra, assume o palco por um bom tempo, elevando e acalmando os ânimos da plateia. Disse "acalmando" no sentido de preparar as milhares de pessoas que ali estavam para o próximo e incrível bloco da setlist.

Adam assume os vocais de "I Want to Break Free" (provavelmente a música do Queen que mais estava ansioso pra saber o que Lambert faria com ela). Satisfeitíssimo com o resultado do início ao fim.

"I wanna get sexy" diz Lambert antes de começarem um dos riffs mais conhecidos de toda a história da música. "Another One Bites the Dust", meus caros. Perfeitamente executada, Adam carrega a multidão com todo o seu carisma e star power grandiosos. Ainda manda um freestyle bem funky (Nile Rodgers curtiu isso).

Em seguida, Adam faz jus à memória de Freddie Mercury, com a toda poderosa "Radio Ga Ga". Completamente fiel à versão original da canção. Todos nas clássicas palmas coreografadas. A lá os arrepios de novo. *-*

"Somebody to Love" é a próxima da lista. Adam preenche os dois requisitos da música com graças: Energia de sobra e gama vocal bem ampla.

Após "Crazy Little Thing Called Love". O público enlouquece com "The Show Must Go On" (melhor música de todos os tempos, na minha opinião… por vários motivos). Antes de ir para "Bohemian Rhapsody", Lambert agradece ao público por toda a sua energia durante a noite, assume os versos iniciais da canção e depois aquilo tudo se torna uma espécie de dueto entre Adam e Freddie, através de vídeos (óbvio). Brian e Roger completamente emocionados pela falta que o líder fazia ao mundo. A banda inteira, como ato de um minuto de silêncio por Freddie, se retira do palco enquando a canção continua a tocar. Todos voltam a tempo para concluir a canção. Últimos versos alternados entre Adam e Freddie, até que o intérprete original encerra a canção por vez. Confesso que ver Roger Taylor segurando as lágrimas no fim, me fizeram derramar mais algumas lágrimas.

A banda acena para o público enquanto são ovacionados e logo se retiram. A luzes do palco continuam acesas, enquanto a plateia bate palmas e grita pela banda. Brian e Roger retornam ao palco com "Tie Your Mother Down". Depois, Adam canta uma versão fiel de "We Will Rock You". Dessa vez, chama ao palco o vencedor da segunda temporada da versão Ucraniana do The X Factor.

Por fim, marcando o primeiro fim de um show do Queen com Lambert nos vocais, a clássica "We Are the Champions", porque né? rs. 

Enfim… noite mais que fantástica e o show do ano (pra mim). Queen ainda se apresentou com Lambert no dia 03 de julho, em Moscow; ontem em Wroclaw (Polônia). Ainda com apresentações marcadas nos dias 11, 12 e 14 de julho, no HMV Hammersmith Apolo, em Londres.

Só resta esperar que lancem algum show em DVD/Blu-ray e tragam a turnê para a América do Sul. Fica a dica, Roberto Medina.

O único problema da noite foi a plateia meio morta, mas ok… eles não são brasileiros.