"Você colocou sua cabeça no lugar e fez algo corajoso", diz vocalista da Lawrence Arms para Patrick Stump

Recentemente, contamos aqui no blog que o cantor Patrick Stump, ex-vocalista do extinto Fall Out Boy, estava passando por uma fase ruim em s...
Recentemente, contamos aqui no blog que o cantor Patrick Stump, ex-vocalista do extinto Fall Out Boy, estava passando por uma fase ruim em sua carreira. Stump, que no ano passado lançou o álbum "Soul Punk", tem recebido duras críticas por ter mudado seu visual e pela sonoridade de seu álbum solo, e em um artigo intitulado "Preferíamos Você Gordo: Confissões de um Impuro" em seu blog, Stump confessa estar pensando em largar os palcos.

Após a revelação do cantor, muitos fãs consideraram "injusto", ele abandonar tudo pelas críticas e o guitarrista/vocalista da banda de punk-rock, Lawrence Arms, Brendan Kelly, contou o que acha de tudo isso:

"Já disse isso antes e repito, se você não quer ver as pessoas sendo o mais cruel que puderem com você, ridicularizando sua aparência, suas habilidades, suas ideias, seus filhos, te desejando a morte e ainda pior, desejando a morte de quem você ama, nunca, JAMAIS, pense em se expressar publicamente", diz Brendan. "A única coisa que eu, como um porta-voz de todo o mundo, não vou tolerar em nossos artistas é a falta de confiança, Patrick. Esse é o beijo da morte. Você sabe que é melhor que isso, colocou sua cabeça no lugar e fez algo corajoso, isso após um álbum que as pessoas aparentemente odiaram e vaiaram", continuou o guitarrista.
Brendan então concluiu:
"Você trouxe uma proposta diferente, que abalou a todos. Isso é ser corajoso. Agora você esta triste por que seu álbum estranho e transformação deixaram os outros surpresos. O que você esperava?", completou.
No início do artigo, o guitarrista deixa claro que admira o trabalho de Stump:
"Desde já, eu deixo claro que o trabalho de Patrick é refrescantemente sincero e desprotegido. Mesmo ele sabendo que será muito mais odiado por se permitir a expressar seu desgosto com o que muitos consideram ser uma vida ideal. Novamente, é assim que as coisas são."