Resumão BRIT AWARDS 2012: Confira as performances da premiação!

Ontem a noite rolou a cerimônia de premiação dos Brit Awards , que contou com vários ícones musicas não só britânicos, mas do universo ...

Ontem a noite rolou a cerimônia de premiação dos Brit Awards, que contou com vários ícones musicas não só britânicos, mas do universo pop em geral. E nós do It, antes tarde do que nunca, não vamos ficar aqui discutindo sobre looks, flops e nhé nhé nhé. Vamos falar daquilo que mais importa: AS ATRAÇÕES MUSICAIS!

Então, vamos lá:
  • Florence + the Machine e a eletrizante "No Light, No Light"
Flôbeleza samba na cara de todos quando o assunto é encantar e hipnotizar a todos com performances simples e intensas ao mesmo tempo. Por mais que a maioria estava torcendo para que ela performasse outras canções do lindo Ceremonials (no meu caso, Never Let Me Go ou Spectrum), ela surpreendeu a todos com uma esteticamentebem produzida performance da maravilhosa "No Light, No Light".

  • Olly delicinha Murs  e a gostosinha "Heart Skips a Beat"
Olly Murs, na minha opinião, tem subido muito no meu conceito. O seu segundo disco, "In Case You Didn't Know", é impecável em tudo: desde as fotos do encarte às músicas que ariscam na medida em um delicioso Soul com R&B. "Heart Skips a Beat" é o primeiro single desse álbum entretanto não é a melhor, mas é daquelas que você se pega cantando sem nem sequer perceber. E a performance foi bem bacana com as dançarinas e os corações. Maaaas eu ainda preferiria "Oh My Goodness", o próximo single.

  • Coldplay e a morna "Charlie Brown"
Nada muito diferente das outras performances da era "Mylo Xyloto". Quando todos pensavam que eles iriam compensar o showzinho-fiasco do Grammy com uma performance convincente de "Princess Of China" (até porque Maria da Penha Rihanna estava lá também), tivemos que nos conformar com Chris Martin e cia. arrasando na presença de palco acompanhados de muuuito neon, só que dessa vez com a meio-barro-meio-tijolo "Charlie Brown". Não ficou ruim, mas ficou "i've seen it all before".

  • Rihanna e (mais) uma performance maravilhosa de "We Found Love"
MELHOR. PERFORMANCE. DA NOITE. APENAS.
Eu acho que a Rihanna leu minhas mentions que deixei pra ela logo após eu provar o indigesto bolo de aniversário dela e ficou um pouco preocupada, achando que eu passaria a odiá-la pra sempre (foi por pouco). Pra compensar, ela arriscou na bem sucedida performance do primeiro single de "Talk That Talk". O que eu acho impressionante é o fato dela conseguir performar a mesma música em vários eventos diferentes, e mesmo assim causar aquela impressão de smash hit recém lançado (vide Grammy 2012 e X-Factor US). Continue assim, RihRih, que você recupera meu respeito por você.


  • Adele e sua mina de ouro "Rolling in the Deep" (Ah, vá!)
Quando anunciaram a performance de Adele, 99% ainda tinha um restinho de esperança de que ela cantasse alguma outra música do "21". Só pra variar, sabe. Mas ela não estava nem aí, e mandou muito bem em RITD, mais uma vez. Vale aqui o comentário sobre a performance do Coldplay: mais do mesmo.


  • Blur e uma c*ralhada de música boa!
Não sou muito fã de Blur, de saber o nome das músicas e tal, confesso. Mas eu tenho total consciência sobre o enorme sucesso que os caras fazem até hoje nas terras na Rainha e no mundo todo. O que eu vi, deu pra perceber que eles ainda tão mandando muito bem no palco e que a energia se propaga facilmente, a ponto de me deixar morrendo de inveja de quem estava lá quando eles tocaram "Song 2".



Logo abaixo temos a lista dos vencedores da noite:
  • Melhor Artista Masculino: Ed Sheeran
  • Melhor Artista Feminino: Adele
  • Revelação Masculina: Ed Sheeran
  • Álbum do Ano: Adele, “21″
  • Melhor Grupo: Coldplay
  • Melhor Single: One Direction, “What Makes You Beautiful”
  • Artista Masculino Internacional: Bruno Mars
  • Artista Feminino Internacional: Rihanna
  • Grupo Internacional: Foo Fighters
  • Revelação Feminina: Lana Del Rey (páááááááá!)
  • Contribuição para a Música: Blur
  • Escolha da Crítica: Emile Sandé

Resumindo...
Não tenho muito a comentar, só acho que essa edição sambou na cara do Grammy 2012 no quesito objetividade, rapidez e dinamismo. E ponto extra pelo canal VEVO com as performances em HD, que foram postadas logo após o término da transmissão. DEZ, NOTA DEZ!