Afinal, Demi Lovato merecia ou não uma indicação ao Grammy 2018?

Fale agora ou cale-se para sempre.

Quando uma lista de indicados ao Grammy é liberada, inevitavelmente, uma lista de esnobados do ano é formada e, entre os ignorados pela edição desse ano, uma nos chamou bastante atenção: Demi Lovato.   


Depois de surpreender e ser indicada a Best Pop Album pelo “Confident” na edição passada, Demi, motivada, correu para o estúdio e, ao invés de tirar suas previstas férias, mergulhou de cabeça na produção de seu novo álbum. 

Com influências de soul e R&B, a cantora lançou o “Tell Me You Love Me” no último dia de submissões ao 60th Grammy Awards, 29 de setembro. Explorando seu vocal como nunca, Demi conseguiu não só a aprovação da crítica especializada como do público, que fez de “Sorry Not Sorry” um dos maiores hits femininos do ano. 

Apontada como um nome forte para disputar a categoria de Best Pop Vocal Album em 2018, por ter o apoio da crítica e do público, algo que o Grammy pesa bastante, Demi Lovato foi deixada de lado, mesmo que, nessa edição, tenhamos 6 álbuns disputando o prêmio, e não 5, como é de costume. Como não poderia deixar de ser, além de reclamações por parte da mídia, a escolha da premiação causou uma certa revolta nas redes sociais.




Entre os azarões que conseguiram um espaço na categoria, temos Lana Del Rey com seu “Lust For Life”, “Evolve”, do Imagine Dragons, e o EP de apenas cinco músicas “Kaleidoscope”, do Coldplay. Lady Gaga, Kesha e Ed Sheeran completam a categoria com “Joanne”, “Rainbow” e “Divide”, já previstos em grande parte das apostas. 

Pra gente, Demi Lovato merecia sim uma indicação ao Grammy com o “Tell Me You Love Me”, um disco muito melhor do que o  “Confident”, que lhe rendeu uma indicação. Mas, e aí? Pra você, Demi Lovato merecia ou não um lugar na premiação?