Já faz SEIS ANOS desde que Lady Gaga e Tony Bennett se uniram em “The Lady Is A Tramp”

A parceria da cantora com o músico de jazz foi crucial para os passos seguintes de sua carreira, incluindo o álbum “Joanne”.

Parece que foi ontem, mas já faz seis anos desde que Lady Gaga e Tony Bennett se uniram para uma versão do clássico jazz “The Lady Is A Tramp”, que antecedeu todo um disco em parceria entre os dois, “Cheek to Cheek”, e um novo momento pra carreira da cantora, que vinha do disco “Born This Way” para o que foram “ARTPOP” e seu mais recente, “Joanne”.

Na época, tanto Lady Gaga quanto Bennett eram só elogios um para o outro. Os dois músicos de Nova York se conheceram em um evento beneficente, no qual a cantora apresentou uma versão de “Orange Colored Sky”, de Nat King Cole, e deixou o Tony encantado.

O músico quis se apresentar pra Gaga, que nem sabia que ele estaria por lá, e logo em suas primeiras conversas, já rolou o convite para uma parceria, que você sabe como acabou.

A parceria entre Tony Bennett e Lady Gaga foi significativa por muitas razões, entre elas, a força de uma das maiores e mais interessantes da artistas pop da sua geração ao lado de um gênio do jazz, que em muito contribuiu para apresentar o gênero pra toda uma nova geração e, na contramão, também desconstruir o preconceito que ainda existia sobre a imagem dela enquanto artista pop, muito associada aos elementos espalhafatosos, performances chocantes e especulações polêmicas.

“The Lady Is A Tramp” ganhou ainda um videoclipe: um registro de Gaga e Bennett em estúdio, no qual a cantora mal esconde sua animação em estar ao lado do músico, que sorri como um vovô orgulhoso de sua cria. Três anos mais tarde, a dupla voltava ao som do disco “Cheek to Cheek”, que chegou a levar um Grammy, além de ter estreado no topo da Billboard Hot 200. Vale ressaltar que, mesmo antes do encontro com Tony, Gaga já cantava jazz (desde os seus 13 anos).

Relembre essa parceria: