Organizações estudantis processam Lollapalooza por suspeita de burlar a meia-entrada

Em ação movida pela UNE, festival é questionado sobre aumento no valor dos ingressos para meia-entrada.

Deu ruim para o Lollapalooza?

Semanas após revelar as suas atrações de 2018, o festival foi alvo de um processo pela União Nacional de Estudantes (UNE), por uma suspeita de burlar a lei da meia-entrada.

Em relação a edição deste ano, o Lollapalooza Brasil 2018 teve um aumento de 63% no valor de seus ingressos e, com isso, a entrada para estudantes custa quase o mesmo valor da inteira da edição anterior, o que, segundo o advogado que representa as organizações estudantis, Fábio Cesnik, torna a meia-entrada uma “ficção”.

Como uma forma de facilitar o acesso ao festival, a Time For Fun disponibilizou, além dos ingressos para estudantes, a opção de “entrada social”, pela qual basta que o público faça uma doação de R$30 ao Criança Esperança pra que também paguem a metade do valor - que está R$850 em seu terceiro lote.

Em sua defesa, o Lollapalooza argumentou também que a edição de 2018 contará com três dias, contra os dois de 2017, o que prevê um aumento no valor dos ingressos e, consequentemente, não significa que ele esteja custando o dobro da edição anterior.

Marcado para os dias 23, 24 e 25 de março, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, o Lolla 2018 contará com atrações como Lana Del Rey, The Killers, Zara Larsson, Chance The Rapper, entre outros. Confira a line-up completa aqui.