Com uma hora de duração, “Stranger Things” leva o SBT de volta aos anos 80 e satiriza jornalismo brasileiro

Em sua primeira investida na TV aberta, Netflix prova que sua linguagem não é funcional apenas na internet, enquanto brinca e satiriza o jornalismo brasileiro.

Todo dia um post diferente enaltecendo uma ação publicitária da Netflix e, mais uma vez, para a segunda temporada de “Stranger Things”, que estreou nesta sexta-feira (27) no serviço de streaming e, definitivamente, ainda causará tanto assunto quanto sua estreia.

Após tomar conta do Spotify, que foi dominado pelo Mundo Invertido, a Netflix também ganhou a TV aberta na madrugada deste sábado pra domingo, com a exibição do primeiro episódio da primeira temporada de “Stranger Things” no SBT, acompanhado do especial “Notícias Estranhas” que, apresentado por Marília Gabriela, levou de volta a emissora de Silvio Santos para os anos 80 (o que não é lá algo tão diferente da realidade, precisamos dizer).

No programa jornalístico fictício, Marília Gabriela noticia o desaparecimento de um menino morador de Hawkins, o pequeno Will Byers, e na sequência, relaciona esse acontecimento com o surgimento de animais feridos e uma suposta criatura que tem assombrado a cidade: Demogorgon ou Chupa-Cabra?



Ao melhor estilo dos jornais brasileiros, inspirado no “SBT Reporter”, comandado pela própria Marília nos anos 90, a reportagem procura por depoimentos de pessoas que teriam visto a tal criatura e, associando o monstro de “Stranger Things” com uma das lendas urbanas mais familiares do imaginário brasileiro, misturam cenas da série com depoimentos de anônimos reais, colocando personagens como Nancy e Jonathan entre os entrevistados.

Durante uma hora ininterrupta, a programação da emissora foi tomada pelo especial, incluindo seus intervalos, com comerciais também ambientados nos anos 80, chamadas para a Netflix, uma plataforma inovadora da rede mundial de computadores, e propagandas como para as bicicletas “Stranger Bikes” e para o walk-talk “Walko Talko”, com ainda mais cenas extraídas das séries.

A audiência durante toda a exibição variou entre 8 e 15 pontos, dividindo a liderança da TV aberta com a Globo, que transmitia o programa Altas Horas no mesmo horário, com participações de Pabllo Vittar e Luan Santana. As hashtags dedicadas ao especial, “BagulhosSinistros” e “StrangerThingsNoSBT”, também lideraram os assuntos comentados pelos brasileiros no Twitter.

Como contou Silvio Santos no “Teleton”, pouco antes do especial, foi a Netflix quem procurou pelo SBT para a veiculação desse programa e, em sua primeira investida na TV aberta, o serviço de streaming prova não estar limitado apenas à internet, adotando uma linguagem fiel ao contexto e narrativa de sua produção, em tempo que também repete e brinca com elementos quase caricatos da televisão e jornalismo brasileiro. A marca do serviço de séries e filmes, assim como em sua plataforma online, permaneceu na tela do SBT durante toda a exibição.

“Stranger Things” já está disponível em sua primeira e segunda temporada na Netflix.

(Esta publicação foi atualizada com a inclusão do vídeo com o especial completo, disponibilizado pela Netflix no Youtube.)