Listamos nossos 19 singles favoritos dos 19 anos de carreira da Britney

Para comemorar os 19 anos de carreira da princesa do pop, escolhemos nossos 19 singles favoritos dessa surra de hinos

Era dia 30 de setembro de 1998 quando, sem exageros, podemos afirmar: o mundo mudou. Britney Spears, com então 17 anos, lançava "...Baby One More Time", seu single de estreia e carro-chefe do álbum de mesmo nome. E falar sobre o impacto cultural e mercadológico da faixa é chover no molhado: um dos maiores singles da história da música, vendeu mais de 10 milhões de cópias e é um marco da cultura pop.

De lá pra cá, 19 anos depois, a princesa do pop lançou mais de 40 singles, vários hits e gravou para sempre seu nome nesse planetinha azul. E para comemorarmos as quase duas décadas de carreira dessa lenda viva, listamos nosso 19 singles favoritos dessa vasta discografia, que conta com nove álbuns de estúdio e sete compilações. Mas saiba: a lista é puramente subjetiva, não leva em conta vendas ou impacto. Já pegou seu "The Singles Collection"?


#19 "I'm Not a Girl, Not Yet a Woman"

Britney já estava no auge quando lançou "I'm Not a Girl, Not Yet a Woman", talvez a sua baladinha definitiva. Incluída na trilha de "Crossroads: Amigas Para Sempre", a faixa trazia um lado mais doce de uma cantora que tinha impactado o mundo com sua barriga chapada em "I'm A Slave 4 U", sendo um dos destaques do álbum "Britney".




#18 "(You Drive Me) Crazy"

Um dos primeiros hinos pra balada da cantora, "(You Drive Me) Crazy" é a embalagem perfeita do que Britney queria entregar para o mundo na sua estreia. Mesmo não tendo recebido o mesmo impacto do single de estreia, "Crazy" permanece absolutamente chiclete quase 20 anos depois - se isso não é música pop em sua essência, não sabemos o que é.




#17 "Stronger"

Electropop para se perder na pista, "Stronger" é um hino gay de auto-empoderamento que conversa perfeitamente com a fase que a cantora se encontrava, evoluindo da imagem de menininha de conto de fadas para tomar as rédeas de sua vida. Tão icônica que já foi usada duas vezes em "RuPaul's Drag Race".




#16 "Slumber Party (feat. Tinashe)"

O último single lançado por Britney ganhou uma versão exclusiva de lançamento com a cantora Tinashe, e se há uma parceria acertada na carreira da cantora, é essa. Mistura de reggae-pop com R&B, "Slumber Party" é toda a veia sexy que Britney construiu ao longo dos anos, só melhorada por Tinashe, criando uma sextape sonora.


#15 "My Prerogative"

Cover do Bobby Brown, "My Prerogative" parece que foi feita para Britney pela letra sobre uma pessoa perseguida e vigiada, que não pode dar um passo sem ser julgada. Se a versão original já era ótima, Britney trouxe um synthpop pesado para lançar o greatest hists de mesmo nome, com uma pegada bollywoodiana que faz qualquer um perder a linha.

 

#14 "Me Against the Music (feat. Madonna)"

Carro-chefe do "In The Zone", passamos anos venerando o reinado do pop, e finalmente a rainha e a princesa se uniram numa faixa e, como era óbvio, o impacto foi real. Com dance, hip hop, funk e uma melodia entorpecente, Madonna brilha durante toda a faixa, sem roubar o lugar de Britney, num casamento sonoro impecável. Hey Britney, you say you wanna lose control?

 

#13 "Born to Make You Happy"

Talvez o single mais lindo (e subestimado) da carreira da cantora, "Born to Make You Happy" nem apareceu nos charts norte-americanos, mas é uma balada mid-tempo fofíssima sobre um amor incondicional. Mesmo Britney cantando sobre como nasceu para fazer seu homem feliz, sua imagem nunca deixou de ser poderosa e confiante, apenas revelando um lado doce em uma de suas melhores músicas.

 

#12 "3"

Quem teve a sorte de viver o mundo pop em 2009 teve, também, o privilégio de ouvir "3" no seu auge. Single feito para o lançamento do "The Singles Collection", a faixa superou "My Prerogative" ao ser abertamente sobre um ménage à troi, com direito a gemidos e muito batidão. Quem não já quis estar no meio de Pedro, Paulo e Maria que atire a primeira pedra.

 

#11 "Till the World Ends Remix (feat. Nicki Minaj & Kesha)"

Você quer farofa? Um dos hinos definitivos de 2011, "Till The World Ends" é uma epopeia fenomenal na pista de dança com elementos de eurodance e trance, perfeitinha para ferver qualquer festa quando Britney se refere diretamente ao DJ, perguanto o que ele está esperando para tocar o terror. O remix com Nicki Minaj e Kesha (co-autora da faixa) é ainda melhor que a original ao unir três divas numa paulada de dubstep. Para dançar até que o mundo acabe mesmo.

#10 "If U Seek Amy"

Ha ha hi hi ha ha hoe! Toda a confiança que Britney construiu pode ser resumida por "If U Seek Amy" quando ela afirma que não importa se você a ame ou a odeie, todo mundo a deseja. Claro, ela usa metáforas criativas e divertidas para esconder a real mensagem da canção, recheada com muito dance-pop, que até hoje faz todo mundo sair a procura da Amy. Todos os garotas e as garotas estão implorando para que você ache essa mulher.

 

#9 "Break The Ice"

It's been a while... Só com a primeira frase já somos colocados no mood pedido para essa chuva rave de eletrônica. Com um pé no R&B, o último single do melhor álbum da carreira de Britney, a bíblia "Blackout", é uma canção tecnológica matadora que viria a ser uma das referências sonoras que o pop seguiria quando a cantora consegue, sim, nos fazer nos sentir quentes, quentes, quentes.

 

#8 "Hold It Against Me"

Britney dá todo o tom de abertura do "Femme Fatale" já no primeiro segundo de "Hold It Against Me". Então ela começa um longo diálogo: "Ei, você aí, por favor me desculpa se eu estiver chegando muito forte, mas se eu disser que quero seu corpo, você o segura contra o meu?". Daí em diante entramos numa montanha-russa eletrônica insana que não nos poupa de sintetizadores para ter certeza de que ninguém fica em pé.

 

#7 "Oops!... I Did It Again"

Uma das canções de assinatura de Britney, "Oops!... I Did It Again" não só criou um bordão como é uma faixa debochadíssima que abriu os trabalhos do segundo álbum da cantora, afirmando: eu não sou tão inocente assim. Pena para nós, já que é impossível não se apaixonar pela faixa, que rouba nosso coração com um dance-pop histórico. Droga, ela fez de novo.

#6 "Gimme More"

"Gimme More" pode ter entrado para os livros de história do pop pela desastrosa performance no VMA 2007, mas nada jamais será capaz de diminuir a força da faixa e o quanto ela foi importante para a carreira da cantora. Lead single do "Blackout", não só fomos apresentados para o eterno "It's Britney, bitch!" como Danja cria uma das melhores produções já feitas na música pop. "Bet you didn't see this one coming. The legendary Ms. Britney Spears".

  

#5 "Piece of Me"

Depois de anos sendo amada e odiada pela mídia, sendo empurrada de um lado para outro desde os 17 anos, "Piece of Me" pode não ter sido escrita pela cantora, mas é o recado perfeito para todos seus detratores. Com backingvocals da maravilhosa Robyn, aqui Britney joga na cara de todo mundo o quanto seus erros e acertos foram a salvação de revistas e tabloides, e como, mesmo sendo julgada, todo mundo queria um pedaço dela. Cheia de sintetizadores e pitches, o auto-manifesto de Britney se torna universal quando todos nós sofremos cobranças externas - só não paramos nas manchetes como ela.


#4 "...Baby One More Time"

Num mundo onde Spice Girls dominavam, o teen-pop ganhou um reforço jamais imaginado com "...Baby One More Time". Pegando carona no advento da internet, Britney surgiu no momento certo, com a música certa, para o público certo. Não é à toa que o single foi #1 no planeta inteiro e catapultou o nome da cantora às alturas. Com um pop doce, honesto e incrível, "...Baby" é cheia de macetes impecáveis que criaram o monstro musical que conhecemos há quase 20 anos.

#3 "I'm A Slave 4 U"

A faixa que criou a imagem sexy de Britney, "I'm A Slave 4 U" já começa com ela cantando "Todos vocês me vêem como uma garotinha, sempre dizendo: 'garotinha, não entre no clube'. Bem, só estou tentando achar o porquê, pois dançar é o que amo fazer". Sugestiva, hipnótica, sensual e o abre-alas do seu crescimento, "I'm A Slave 4 U" faz qualquer lugar virar uma sauna e criou o imaginário de orgia musical que Britney carrega até hoje. Ainda habita o mistério de como teve um tímido peak #27 nos EUA.

 

#2 "Womanizer"

Depois da turbulenta era "Blackout", Britney precisou ressurgir das cinzas e mostrar que ainda fazia todo muito dançar. A resposta então foi o hino supremo "Womanizer". Com sirenes para alertar a surra de electropop que levaremos, o hino feminista aqui não dá espaço para respiro, sendo violentamente dançante do início ao fim, com uma das melhores melodias já criadas na história da humanidade e que, quase 10 anos depois, ainda permanece fresca e atemporal.

#1 "Toxic"

Quando você pensa em Britney Spears, provavelmente pensa em "Toxic". E por quê? Não só porque a faixa é o mais absoluto e perfeito trabalho de sua carreira, como também o divisor de águas dentro dos 19 anos de vida no mundo pop de Britney. Responsável pela vitória do único Grammy da cantora, na categoria "Melhor Gravação Dance", tudo ao redor de "Toxic" é icônico: os violinos de bhangra, os vocais mega processados, o clipe... Todos os elementos são milimetricamente orquestrados para se tornarem uma canção tóxica, que é capítulo obrigatório em 10 de 10 bíblias do mundo pop.



***
Surra de hinos! Que você também louve os 19 anos da princesinha, que nos presenteou com tantos cânticos e mudou nossas baladas para sempre. Mas e então, quais as suas 19 músicas favoritas do piercing na barriga do pop?