Kesha precisou que Dr. Luke aprovasse “Praying” e o embuste fez questão de nos avisar isso

“Não houve mudanças nas obrigações de Kesha”, ressaltou Dr. Luke por meio de um comunicado.

Se a volta de Kesha representou uma luz no fim do túnel para os fãs da cantora, que aguardavam o seu retorno desde que começou uma luta judicial contra o produtor Dr. Luke, acusado por abusá-la sexual e psicologicamente, o embuste fez questão de avisar que nada mudou para a voz de “Praying”.



Com seu novo disco, “Rainbow”, prometido para o mês de agosto, a cantora continua sob o contrato com a gravadora de Luke, Kemosabe Records, e dependerá da aprovação do produtor para qualquer lançamento que envolva esse trabalho, distribuído mundialmente pela Sony Music.

Após o lançamento de “Praying”, ele fez um comunicado para a Billboard, afirmando:
Não houve mudança nas obrigações contratuais de Kesha — ela não foi bem-sucedida em nenhuma de suas alegações legais ou moções para se livrar disso. Ela sempre foi livre para gravar e se recusava. Agora, como foi sempre legalmente requisitado, o álbum foi lançado com a aprovação de Dr. Luke pela Kemosabe que é uma gravadora administrada em parceria de Dr. Luke com a Sony.

Ainda que afirme ter sido abusada sexual e psicologicamente por Dr. Luke, Kesha é contratualmente obrigada a lançar seis discos sob o selo do produtor que, ao longo dos últimos anos, vetou vários de seus trabalhos e colaborações, como foi o caso do disco em parceria com a banda The Flaming Lips, “Lip$ha”.


Agora, com “Rainbow” previsto para ser lançado no dia 11 de agosto, a cantora caminha para, enfim, concluir seus trabalhos com Dr. Luke, usando a sua música como uma válvula de escape para o que tem se submetido. Na música nova, “Praying”, a cantora afirma:
Bem, você quase me enganou. Disse que eu não era nada sem você. Oh, mas após tudo o que você tem feito, eu só posso agradecê-lo pelo quão forte me tornei.

Mas, afinal, o que o fez mudar de ideia?

Após anos impedindo-a de lançar novos trabalhos, uma das razões pelas quais Dr. Luke pode ter mudado de ideia para aprovar o lançamento de “Rainbow” é a forma com a qual sua carreira, felizmente, tem sido afetada desde que Kesha fez suas acusações contra ele.

Famoso por seus trabalhos com Britney Spears, Katy Perry e várias outras artistas, Dr. Luke não produziu nenhum lançamento expressivo para as paradas desde “Sugar”, lançada pelo Maroon 5 em 2014, e, neste ano, também perdeu o seu contrato de exclusividade com a gravadora Sony, que optou por não renová-lo diante de todas as discussões.

Com a volta de Kesha por seu selo, o produtor tem a oportunidade de tentar se recolocar no mercado, uma vez que faz questão de ressaltar estar protegido pelas leis americanas, bem como também lucra com as vendas da cantora, que terá uma porcentagem revertida para a gravadora.

No começo desse ano, fizemos um vídeo resumindo a trajetória de Kesha até o lançamento da sua parceria com Zedd em “True Colors”:



Que, com a chegada de “Rainbow”, a cantora possa recuperar todo o tempo perdido.