Já podemos ficar com medo? "O Grito" vai ganhar um remake

Caralho, a gente já tá assustada.

Ícone do terror, Kayako Saeki inventou o medo em 2002 no Japão com um filme para chamar de seu, "Ju-On". A produção de Takashi Shimizu revolucionou o gênero, fazendo um puta barulho mundialmente, levando mais tarde a entidade ao ocidente, popularizando-a ainda mais. "O Grito" é um dos remakes mais fieis de toda história, e sua sequência também é do caralho; o terceiro filme a gente finge que nunca existiu.


Enquanto no Ocidente não falávamos da família Saeki desde 2009, no Japão a força da franquia só crescia. São mais de 10 produções por lá, incluindo spin-offs, que se banham apenas da ideia básica da maldição, e um crossover sofrível com Sadako, a nossa Samara de "O Chamado". Por falar nela, com a sua terceira produção hollywoodiana, era esperado que sua semelhante ganhasse um novo projeto o quanto antes, e isso aconteceu.

"O Grito" vai ganhar um remake. Na verdade, isto não é grande novidade porque desde 2014 os rumores apontavam para um novo filme, porém nada surgiu depois que alimentasse ainda mais a ideia, deixando o projeto no limbo. Porém, nesta semana saiu que Nicolas Pesce, de "The Eyes of My Mother", vai comandar a direção. "Ghost House", do Sam Raimi, entra como produtora. Agora vai, mores.

Diferente de "Chamados", este novo filme é escancaradamente um remake, e não fiquem receosos por isso, porque a ideia é melhor do que parece. Criar tudo de novo às vezes é melhor do que seguir em frente com o desnecessário; "O Grito 3" tá aí pra provar. É mais seguro, entendem?