Os 15 melhores singles de toda a carreira da Anitta

Ela inventou o dancehall, a música sertaneja e a marca de sucos Tang. Ressignificou o verbo “parar” e, nesta playlist, é a atração do nosso “On the Track”.

Bem antes de se unir a australiana Iggy Azalea em “Switch”, a cantora Anitta já caminhava rumo ao trono de rainha do pop nacional. A cantora, que foi tida como um mero fenômeno na época em que explodiu, com “Show das Poderosas”, se manteve por longos quatro anos de exposição, e aproveitou esse momento como ninguém, emplacando hits como “Deixa Ele Sofrer”, “Bang” e “Essa Mina É Louca”.

Do último ano pra cá, ela foi ainda mais pretensiosa: fez inúmeras viagens internacionais, a fim de estudar sobre o mercado internacional e estudar um possível lançamento além das rádios brasileiras, e passada a parceria com Maluma, em “Sim ou Não”, e a recente colaboração em “Switch”, enfim, fez sua estreia para gringo ver com “Paradinha”, lançada com seu videoclipe nesta quarta-feira (31).



Numa entrevista para a revista Contigo!, Anitta adiantou que não pretende lançar um novo álbum tão cedo, seguindo a tendência do cenário atual que, em meio a ascensão dos streamings e popularização das playlists, tem sido mais vantajoso para o lançamento de singles avulsos e, pensando nisso, decidimos então revisitar todos os singles já lançados pela brasileira, fazendo uma lista com os nossos 15 favoritos de todos-os-tempos.

Aqui está.


01. “Sim ou Não (feat. Maluma)”

Foi na onda do dancehall que Anitta nos entregou o melhor single da sua carreira até aqui. A parceria com Maluma é sexy, envolvente,  radiofônica e extremamente dançante. A participação do cantor, por sua vez, mais contribui pelo fator latino do que qualquer outra coisa, não nos deixando outra alternativa, senão rebolar muito a bunda.


02. “Tá Na Mira”

Ainda que, tanto sonora quanto visualmente falando, Anitta tenha evoluído muito ao longo dos seus discos, uma das maiores maravilhas da sua discografia ficou no seu disco de estreia, autointitulado, e se trata desse tiro certeiro aqui. O encontro da música pop e funk já estava bastante presente, enquanto o arranjo tratava de costurar o conceito da letra, deixando o sample com o som de um revólver como a cereja do bolo.


03. “Bang”

E parece que dar tiros é uma das especialidades da cantora. “Bang”, que abriu os trabalhos para o disco de mesmo nome, foi a responsável por consolidar o nome de Anitta como uma cantora propriamente pop, influenciando ainda o som que definiu a tendência pop para vários outros artistas nacionais, da Ludmilla (“Bom”) à Nikki (“Eu Faço Assim”).



04. “Na Batida”

Em busca do seu ritmo perfeito, Anitta soube reutilizar a fórmula de “Show das Poderosas” com maestria em “Na Batida”, conseguindo, inclusive, soar ainda mais interessante do que a primeira vez.


05. “Menina Má”

Essa faixa entra nessa posição pela versão do seu videoclipe – infelizmente, diferente da lançada no disco e disponibilizada no Spotify. Provando, mais uma vez, que Anitta sabe como ninguém combinar referências pop com um belo batidão, seguida de uma letra em que, mesmo antes de assumir discussões sobre o assunto publicamente, já evidenciava o seu empoderamento.



06. “Ritmo Perfeito”

A sacada da letra relacionar um romance com termos musicais (“quem sabe você tem o dom do que há de bom em mim amplificar”) é o que mais gostamos nessa faixa, que também mantém a cantora confortável, apesar de não ser uma zona familiar, combinando elementos da música pop com a “nova MPB”.



07. “Não Para”

A forma como Anitta soa natural transitando entre vários gêneros é um dos pontos altos de sua carreira. “Não Para”, por exemplo, mantém o flerte com o funk, em tempo que a coloca na rota da música eletrônica, como algo que Calvin Harris faria com a Rihanna.


08. “Essa Mina É Louca”

E, fazendo valer o que mencionamos anteriormente, ela acerta até quando flerta com o pagode. “Essa Mina É Louca” também fez parte do álbum “Bang” (2015) e, assim como “Sim ou Não” fez com Maluma, conta com a participação do cantor Jhama como uma forma de firmar a sonoridade num gênero distante da sua zona de conforto. Definitivamente, essa também é uma de suas melhores letras.



09. “Show das Poderosas”

“Se não tá mais a vontade, sai por onde entrei.” Deve ser louco pra Anitta pensar que, se não fosse a música certa, na hora certa, todo o resto de sua carreira poderia ter sido completamente diferente. “Show das Poderosas” ainda foi responsável por convencer meio mundo de que Beyoncé estava certa e o sample de “Pon De Floor”, do Major Lazer, por muito tempo seria uma boa opção.


10. “Loka” – Simone & Simaria feat. Anitta

Se o sertanejo é um dos ritmos mais rentáveis do Brasil, a Anitta vai lá e o reinventa. Brincadeiras à parte, “Loka” é uma música tão, mas tão boa, que abrimos uma exceção sobre não ser um single da Anitta, porque merecia ser enaltecida também. Pontos interessantes: apesar de sertaneja, a parceria de Anitta trouxe para a faixa uma sonoridade bastante inspirada pelo reggaeton e, antes dessa faixa, a cantora já havia cantado sobre ficar louca no refrão de “Show das Poderosas”.


11. “Deixa Ele Sofrer”

Se a Rihanna fosse brasileira, “Deixa Ele Sofrer” é uma música que ela lançaria no álbum “Loud”. A influência majoritária aqui é do R&B, com flertes do trap e hip-hop, mas o resultado, se tratando de Anitta, é inteiramente pop.


12. “No Meu Talento (feat. MC Guimê)”

“Esse som é pra dominar seu pensamento.” É maravilhoso ver Anitta alçar voos maiores e investir cada vez mais em fórmulas diversificadas, mas não dá pra negar o quanto ela acerta quando se rende ao funk. Numa pegada mais eletrônica que os singles anteriores, “No Meu Talento” vem só no tamborzão e ainda cresce com a participação de Guimê.


13. “Blá Blá Blá”

Olha o sample do Major Lazer aí de novo. Depois de Anitta, só vimos o funk e música eletrônica serem tão bem combinados em “Michael Douglas”, do João Brasil.


14. “Meiga e Abusada”

É muito legal escutar essas músicas antigas e ver o quanto a cantora evoluiu, vocalmente falando, não é? “Meiga e Abusada” traz um pop-Perlla, com muitas camadas de synthpop mescladas com a influência do funk, “a fórmula perfeita pra poder te comandar”.


15. “Pra todas elas” – Tubarão feat. Anitta & Maneirinho

Pouco conhecida no repertório de Anitta, a parceria com Tubarão e Maneirinho em “Pra todas elas” é daquelas que te fará dançar sem que você sequer perceba. O batidão eletrônico é comandado pelas rimas de Maneirinho, até que a cantora entra como a diva da vez, entoando versos curtos, mas que fazem toda a diferença na música completa.


***


Quantos hinos! Onde será que “Paradinha”, single novo da cantora, ficará nessa lista? Concordou com as nossas escolhas e posições? Conta a sua nos comentários também!

Ouça e siga a playlist “On The Track: Anitta” no Spotify: