Hoje é o aniversário de Kesha e o melhor presente que ela poderia ganhar é a sua liberdade

Há quatro anos, a cantora briga judicialmente para se livrar do contrato de Dr. Luke, acusado por abusá-la sexual e psicologicamente.


Atualização (17/04): A imagem que ilustrava a matéria foi substituída, após reivindicações de direitos do site Getty Images.

A gente queria muito que hoje fosse um dia para comemorações. A cantora e compositora Kesha é uma das artistas aniversariantes do dia e nesta quarta-feira (01) completa seus trinta anos, mas cientes do quanto a indústria musical tende a ser punitiva com mulheres após certa idade, sentimos a necessidade de relembrar o que está acontecendo com a carreira da cantora.

Antes famosa por inúmeros hits, incluindo seu single de estreia, “Tik Tok”, Kesha não lança um novo disco há quatro anos, sendo seu último o subestimado e comercialmente conturbado “Warrior”, e neste mesmo período, a cantora briga judicialmente por sua liberdade contra o produtor Dr. Luke, que a prende por conta de um contrato com sua gravadora, na qual Kesha ainda deve lançar outros seis discos.

O que impede a californiana de voltar a trabalhar com Luke, entretanto, é o fato dela acusá-lo de abuso sexual e psicológico – denúncias essas recusadas pela justiça americana, uma vez que os supostos abusos teriam ocorrido há muito tempo.



Ao longo dos últimos anos, a cantora se manifestou sobre o assunto, pedindo a chance de voltar a lançar músicas sem trabalhar diretamente com seu agressor, mas a liminar concedida pelas autoridades estadunidenses permite que ela trabalhe com terceiros, contanto que esses trabalhos passem pela aprovação de Dr. Luke antes de chegar ao público.

Ainda que não seja o suficiente, isso poderia ajudá-la a reconquistar seu público e espaço no cenário atual, se o produtor não estivesse reprovando todas as faixas enviadas por Kesha e sua equipe, alegando estar em busca de algo que torne seu retorno um grande sucesso, pelo bem dela e sua carreira.

Desde que o processo foi revelado ao público, foram muitas as artistas que se manifestaram em prol da cantora, incluindo Kelly Clarkson, Demi Lovato, Adele, Charli XCX, Marina & The Diamonds e Lady Gaga, além de Taylor Swift, que não se pronunciou publicamente, mas doou uma quantia significativa em dinheiro para Kesha manter os gastos com advogados.

Dr. Luke, por sua vez, tem encontrado resistência para assinar trabalhos pelos bastidores, perdendo a colaboração de algumas das principais artistas do seu catálogo, como Katy Perry e Britney Spears.



O último lançamento de Kesha foi a parceria com Zedd, uma releitura da canção “True Colors”, e após a música ser bem recebida pelo público, seu videoclipe foi descartado sem maiores explicações, assim como o disco colaborativo que ela lançaria com a banda The Flaming Lips, “Lip$ha”.

Numa das recentes atualizações sobre o caso, emails trocados por Dr. Luke e uma antiga assessora de Kesha, Monica Cornia, caíram na internet e reforçaram as acusações sobre a maneira abusiva como ele controlava sua carreira. Na conversa, os dois falavam sobre a cantora ter “fugido” de sua dieta e, nos trechos revelados, afirmam que seria mais fácil lidar com ela se fosse uma máquina, com Luke garantindo: “eu sempre darei a palavra final”.

Neste aniversário, Kesha não receberia um presente melhor do que a sua liberdade. De qualquer forma, esperamos que ela tenha um bom dia e, o quanto antes, possa voltar a fazer o que ama.