Está mais do que na hora da Katy Perry lançar seu novo disco

Cercado de expectativas, apostamos que o verdadeiro sucessor do "Teenage Dream" fará justiça a peruca queimada

Há pouco mais de três anos atrás, Katy Perry lançava seu terceiro álbum, o "PRISM". Sendo esse registro o sucessor de seu disco de maior sucesso, o "Teenage Dream", de 2010, que teve 5 singles em #1 o que fez com que a cantora igualasse o recorde do Michael Jackson, ele chegava cercado de expectativas e com a missão de ser tão grande ou maior que seu antecessor.

Na preparação para a chegada desse novo CD, Katy Perry tentou de muitas formas dizer que ele seria diferente do segundo: a americana queimou a icônica peruca do "Teenage Dream", era que para alguns foi infantil, simbolizando o amadurecimento de sua identidade visual e sonora, e também deu uma série de entrevistas afirmando que estava experimentando coisas novas em estúdio e que por isso esse novo trabalho seria muito mais sombrio. 

E então o álbum saiu. Comercialmente falando, o "PRISM" não conseguiu superar o "Teenage Dream, mas não foi mal. Dos cinco singles trabalhados, dois foram grandes hits, sendo eles "Roar" e "Dark Horse". O problema estava na identidade do disco. Lançado para ser um material completamente diferente do adocicado segundo álbum da cantora, o "PRISM" mais soou como uma continuação do que como uma reinvenção, parecendo ter sido feito as pressas, apresentando um conceito desconexo e não mostrando um desenvolvimento de fato, o que nos faz perguntar até hoje o porque da peruca queimada.



Mas aí que essa era passou e Katy resolveu sair da mídia, se resguardar e começar a trabalhar em seu quarto álbum, entrando no maior hiatus da sua carreira até então. Com algumas notícias saindo aqui e ali, já sabemos que o time por trás do trabalho é praticamente o mesmo dos anteriores, trazendo sim algumas novidades, mas no geral nomes que já estão acostumados a trabalhar com a cantora, como o produtor Max Martin e a cantora e compositora Bonnie McKee. Mas isso não significa que a historia vai ser repetir. 

Lançada no ano passado como tema das Olimpíadas para o canal americano NBC, "Rise" é a primeira música pós-hiatus da cantora. Com uma sonoridade diferente, mais contida e madura, Katy nos entrega uma balada poderosa. O tema da faixa, como o título já indica, é "superação", algo bastante falado no "PRISM" mas, diferente do que vimos em "Roar", por exemplo, "Rise" traz um tipo de superação diferente, mais íntima, dela com ela mesma, e menos referente a relacionamentos.

Vazada na mesma época, "Witness" é um pop minimalista que resgata um pouquinho do eletro house e que nos mostrou como Katy está amadurecendo seu som, sem forçar para um lado conceitual da coisa.

Com essas duas amostras, podemos ver que a americana está empenhada em sair da sua zona de conforto, falar sobre mais do que o óbvio e fazer justiça a peruca queimada de tantos anos atrás.



E o que "Rise" e "Witness" podem indicar para o #KP4? Analisando a vida de Katy, bastante coisa. Em termos de conceito, Perry está em um relacionamento estável com o ator Orlando Bloom e cada vez mais politicamente engajada, como foi o caso da sua participação na Woman's March em janeiro. Assim, seu quarto álbum pode ter muito de empoderamento feminino, superação consigo mesma e uma carga de ensinamento proveniente das decepções que Katy sofreu e do fato de que, agora, ela está tranquila novamente. 

Em termos de sonoridade, acreditamos que "Rise" e "Witness" também são ótimas amostras do que vem por aí. Além do seu time de sempre, a cantora tem trabalhado pela primeira vez com alguns nomes animadores. Ela esteve em estúdio com o Shellback, produtor hitmaker por trás de faixas da Pink e da Britney Spears e de grande parte do "1989", da Taylor Swift, que é muito conhecido por trabalhar ao lado do Max Martin, o que significa que nosso bom e velho pop continua a salvo.

Falando em nomes surpreendentes e que podem trazer algo de novo ao sem som, a americana trabalho com o Swae Lee, membro do grupo Rae Sremmurd, que é mais conhecido pelo hit "Black Beatles" e grande responsável por criar o conceito de "Formation", da Beyoncé. Será que vem trap por aí? E além do Swae, ela andou experimentando novos caminhos com um DJ. Diplo? Skrillex? Calvin Harris? Zedd? Façam suas apostas.


Ao que tudo indica, a volta da cantora californiana está mais perto do que esperávamos. Na última segunda-feira (06) Katy Perry confirmou sua volta aos palcos no Grammy, marcado para o próximo domingo (12), e se os rumores estiverem certos, esse será seu primeiro passo de divulgação com o single “Chained To The Rhythm”, inédito e em parceria com o cantor Skip Marley.

O anúncio veio acompanhado da primeira imagem dessa nova era, mesma foto que ilustra esse post, na qual a cantora aparece loira e sob uma estética minimalista, com os mesmos tons utilizados na capa do icônico “Teenage Dream”.

Nosso corpo está pronto para o verdadeiro sucessor desse sonho adolescente.