Até The Chainsmokers recusou cantar para Donald Trump, então ele desistiu de convidar artistas

No dia seguinte a cerimônia de Trump, entretanto, um evento feminista contará com participações de Katy Perry, Cher e Zendaya.

Deu ruim para Donald Trump. O presidente dos Estados Unidos assumirá sua posse no próximo dia 20 e, depois de muitos convites recusados, aceitou o fato de que não contará com uma grande atração musical no seu evento.

Entre os convidados pela equipe de Trump, estiveram Aretha Franklin, Elton John, Celine Dion, Kiss, Justin Timberlake, Katy Perry, Bruno Mars, Adam Lambert, Rebecca Ferguson, Justin Bieber e até The Chainsmokers, mas nenhum topou se envolver com o cara, que possui um histórico racista, machista e xenofóbico por trás de sua eleição.

Em contato com a NME, o responsável pelo planejamento da posse presidencial americana, Tom Barrack, afirmou que eles têm sorte de terem “a maior celebridade do mundo” – no caso, Donald Trump – e que em vez de tentarem cercá-lo de artistas famosos, vão rodeá-lo com “a sensualidade suave do lugar”.

Durante o evento, entretanto, o público contará com apresentações de corais de igreja e grupos de dança, além de uma participação da cantora e Youtuber, Jackie Evancho, que possui cerca de 60 mil inscritos pela internet.



MANIFESTAÇÃO DO POP

Se Donald Trump teve dificuldades para encontrar artistas que se apresentassem em sua posse, o mesmo não aconteceu com a organização de Woman’s March, uma manifestação organizada por movimentos feministas, que contará com mais de 100 mil mulheres, protestando a favor dos direitos das mulheres, imigrantes, LGBTQ e contra o racismo.

A passeata, marcada para o dia seguinte ao apossamento, em Washington, deve contar com inúmeros nomes famosos, incluindo cantoras como Katy Perry, Cher, Zendaya, além das atrizes Scarlett Johansson e Amy Schumer.