Aposta da Warner, Lettícia amaria cantar com Tiago Iorc e comemora sucesso de “Lance Proibido”

Cantora lançou nesse ano o single “Lance Proibido”, que fez parte da trilha sonora de “É Fada”, da Youtuber Kéfera.

Quando você é uma artista no começo da sua carreira, as entrevistas são uma importante maneira de contribuir para a construção da sua imagem, indo além do que os versos da sua música permitem e, desta forma, mostrando a personalidade que, por suas respostas, o público decidirá se se identifica ou não.

No momento em que aceitamos entrevistar um artista, também temos nossos objetivos, sendo algum deles conhecer um pouco mais o artista, tirando-o da sua zona de conforto, apresentá-lo aos leitores, numa forma de abrir o nosso espaço para esses novos nomes, bem como agregar ao nosso próprio trabalho, sendo essas entrevistas experiências que também nos ensinam a lidar com os diferentes tipos de personalidade que ganham espaço na mídia.

Uma das gravadoras que melhor têm revelado novos nomes para o pop nacional é a Warner e, depois de artistas como Anitta e Ludmilla, um dos novos lançamentos do selo é a cantora adolescente Lettícia.



Com apenas 15 anos, Lettícia estreou nesse ano o clipe da sua nova música de trabalho, “Lance Proibido”, e emplacou a canção dentro da trilha sonora do filme “É Fada”, bastante comentado pela estreia da Youtuber Kéfera nas telonas, e pouco tempo após esse lançamento, que chegou com exclusividade no It Pop, batemos um papo com a moça, que você pode conferir abaixo.

Nós abrimos o bate-papo falando sobre a estreia de “Lance Proibido”, que teve mais de vinte mil visualizações no seu dia de estreia, e a cantora se mostrou animada com a recepção: “Eu fiquei muito feliz com esse retorno. É um momento marcante pra minha vida, um amadurecimento tanto pessoal, quanto pra minha música, então os números foram ótimos, estou muito feliz”.

Ter um dos seus primeiros lançamentos numa produção cinematográfica é grandioso para qualquer um e, sobre isso, Lettícia também teve muito o que comemorar: “Fui na pré-estreia [de ‘É Fada’], aqui em São Paulo, e foi muito legal me ouvir nas telonas. Está sendo incrível pra mim”.

O pop nacional tem crescido e, com isso, a exigência do público também está cada vez maior, mas isso não parece um problema para a cantora. “Trabalho muito pra isso, estudo muito, busco referências, então estou me preparando muito para isso e acho que o público está se identificando com a minha música, o que é muito legal pra mim”.

Apesar das preparações e dessa identificação, Lettícia ainda não assina a composição de suas músicas: “todas minhas músicas lançadas até hoje foram compostas por Mãozinha, Umberto Tavares e Jeferson Junior, que são meus anjinhos musicais”, disse a cantora. “Eles sempre me ajudam e a gente aborda temas que são experiências minhas, coisas que eu gosto”.

Atualmente trabalhando em seu primeiro EP, a cantora se mantém focada na divulgação do novo single, e quando questionada quanto aos riscos de se apegar apenas ao público adolescente, enxerga o potencial de “Lance Proibido” conquistar fãs mais velhos. “O pessoal que está se identificando com a minha música é mais novo, tem a minha idade, mas os mais velhos [estão se identificando] também”.

E, apesar da influência de artistas como Anitta, Rihanna e Ariana Grande, ela não pretende adotar um discurso de empoderamento ou feminismo em seus trabalhos: “Esse assunto é muito polêmico. Enfim, eu não me considero feminista, mas também não me considero uma pessoa não feminista, tanto que nem entro nesse assunto”, explicou. “Respeito a opinião de todos e acho que as pessoas têm o direito de se defender, o direito de concordar ou não, e é isso aí”.

Ainda sobre suas influências, Lettícia não parece ter uma linha bem traçada. “As influências são as que a gente tem sempre, né? Britney, Rihanna, todos esses nomes internacionais”, começou, explicando que a mudança de sonoridade do seu novo single partiu de uma ideia dos seus produtores: “Eles quiseram criar uma coisa diferente, que pudessem notar esse amadurecimento, tanto pessoal quanto na música, e acho que ‘Lance Proibido’ foi criada a partir dessa junção de informações do que aconteceu na minha vida”.

No começo de sua carreira, a menina pensa alto e amaria fazer uma parceria com suas parceiras de gravadora, Anitta e Ludmilla, além do cantor Tiago Iorc: “Divo master!”, brincou.



Por fim, pedimos pra que ela deixasse um recado aos que estavam conhecendo seu trabalho a partir dessa entrevista:
“O que eu poderia dizer ao público é que esse trabalho foi feito com muito carinho, com muita dedicação, e é uma coisa muito importante pra mim, uma experiência muito nova, que estou amando. Eu convido vocês a assistirem ao meu novo clipe, aposto que vocês vão se identificar e curtir muito. É uma experiência que, se você não passou, ainda vai passar, e é isso aí.”