Recap | X Factor BR 2016: treta, erros da produção e eliminações agitam a semana "Retrô"


Foi ao ar na última segunda e quarta, novos episódios da primeira temporada de X Factor Brasil. Sob o tema "Retrô", o Top 8 deveria lutar por sua permanência no programa. Mas será que as performances valeram a pena? Confira em mais uma Recap!

Acompanhe conosco toda terça-feira a cobertura do X Factor Austrália, a melhor franquia do programa!

E aos sábados e domingos, a cobertura do X Factor UK

Cristopher - "Somebody to Love" (Queen)



Primeiro de tudo, alguém avisa ao Rick e a esse moço que apenas uma pessoa em todos esses anos de reality show consegue cantar Queen bem e sem soar caricato? 



Dito isto, há quem goste de Gritopher, mas pra gente, é bem qualquer coisa. Performance dentro da linha que ele segue desde o início: chata, cansativa e excessivamente gritada. Passamos!


Conrado - "Alma Gêmea" (Fábio Jr.)



Cada país tem o Ryan Lawrie que merece, né? O daqui, é o menino Conrado, que com seus 18 anos e rostinho de astro teen vai ganhando o coração das novinhas e novinhos, que perdem tempo criando fã-clubes e votando massivamente no garoto. Sobre a performance, em si, achamos a escolha até adequada, porém em vários momentos o tom pareceu baixo demais. Realmente, o timbre dele pode ser bem bonito, se trabalhado, mas o grande problema, é que Conrado é muito cru pra uma competição assim. E pensar nele como campeão (hipótese altamente aceitável), chega a ser desanimador pra credibilidade do programa.

Naomi - "Like a Virgen" (Madonna)



Que escolha bizarra da Alinne, socorro! Naomi é muito interessante dentro do estilo rock 'n' roll que se propõe, mas depois de cantar Fifth Harmony e agora Madonna, fica previsível o quão perdida na competição ela e sua mentora estão. Mudou o arranjo, se movimentou e fez o que dava com uma escolha tão descaracterizante e esse balé cafona sabotando. Longe de ser algo bom, mas já minimamente melhor que Gritopher e Ryado Lawrie.

Miguel EV - "Against All Odds" (Phil Collins)



A escolha foi boa, mas a execução deixou muito a desejar e ficou tão chata como as últimas semanas do moço. Nada funcionou na performance e ainda ficou semitonado em partes. De bom mesmo, só Miguel protagonizando um dos momentos mais engraçados dessa temporada, ao afirmar que não conhecia essa música (que é um clássico) até cantá-la e ser duramente criticado por Rick Bonadio por sua ~falta de conhecimento musical~, e responder que o tema "Retrô", pra ele, com 19 anos, era cantar algo dos Jonas Brothers HAHAHAHAHAHAHA. Sem mais!

Resultado de imagem para gif beyoncé deboche

Heloá - "O Tempo Não Para" (Cazuza)



A escolha parecia interessante num primeiro momento, porém, essa alteração no arranjo, alternando entre o reggae e o rock, ficou bem confusa e tirou toda a beleza e sentimentalidade do hino de Cazuza. Uma pena, porque Heloá é muito boa, porém seu direcionamento até agora não foi o melhor. Ao invés de forçar essa versatilidade excessiva, ela deveria focar naquilo que melhor se adapta à sua voz: a MPB. Aí sim ela pode ir longe.

Jenni - "Mr. Jones" (Counting Crows)



Outra escolha bizarra, socorro! A música é boa, mas era óbvio que não pra Jenni, que é uma das participantes mais diferentes do grupo e até agora era quem mais mostrava consistência, porém essa performance veio pra cagar tudo. Foi péssima. Desafinou, ficou caricata, passou insegurança e nem esse palco lúdico salvou. Que decepção! 

Diego - "Baby One More Time" (Britney Spears)



Hahahaha essa escolha tinha tudo pra ser maravilhosa. O problema é que Diego tá fazendo um caminho aposto ao que Honey G faz no UK: de candidato em potencial à "joke act". Essa performance dele nos remeteu às do Rylan em 2012. Já que não podemos ir na voz, vamos na zoeira então ¯\_(ツ)_/¯. Não dá pra negar que em termos de performance, ninguém dessa temporada se equivale a ele, porém, se melhorasse um pouco os vocais, poderia ser imbatível. Mas o que funciona pro sucesso dele no programa, principalmente, é a treta com Rick Bonadio, provocadas unicamente por este, que têm se mostrado um babaca a cada novo episódio – dessa vez, se recusando a comentar da forma correta, pois pra ele, Diego não canta ~músicas de meninos, então só merece ser massacrado. Sério, cadê o público pedindo a cabeça dele como fizeram naquele lamentável episódio de Natalia Kills/Willy Moon no X Factor NZ? Foi no mesmo nível. E as críticas que Bonadio faz ao Diego são muito destrutivas. Não tem nada de construtivo ali. É bullying e outras coisas veladas toda semana. Sdds profissionalismo. 

Ravena - "Dancin' Days" (As Frenéticas)



Não que tenha sido sensacional, mas finalmente cantaram em português e, pela primeira vez, as sentimos como um grupo que pode, minimamente (e com muito trabalho pesado), dar certo. As hormonias foram aceitáveis, individualmente bem e a movimentação foi melhor que em todas as anteriores. Estão evoluindo e isso, por si só, já é ótimo. Prevemos final pra elas.

Achou que o episódio de segunda tinha acabado, né? Nós também. Mas não. Teve tempo ainda de uma performance cafoníssima e desnecessária do trio de tenores Il Vollo (cá entre nós, lugar de grandes vozes é no rival, né?!), que ainda foram bem babacas com Fernanda Paes Leme, que os entrevistaria em inglês, mas um deles disse que ela podia perguntar em português mesmo, que entendiam pela similaridade com o italiano. Mas advinhem só em que língua responderam? RÁAAA... em inglês.




No programa de quarta, tivemos outra performance chata em grupo e outra vez dividindo o microfone, porque o orçamento é baixo, tá, gente?!



Na sequência já tivemos a grande convidada da noite e maior popstar brasileira da atualidade: Anitta. Que cantou três vezes seus hits, "Sim ou Não", "Bang" e "Essa Mina é Louca", mas tudo pela metade, por conta da pressa do programa (que tem 2h hahaha) e acabou comprometendo um pouco, apesar de Anitta esbanjar simpatia .









Na hora dos resultados, tivemos a grande surpresa da noite, com Diego não ficando entre os menos votados (pense em Rick Bonadio emputecido) e, com isso, o Bottom sendo formado por Miguel, Naomi e Heloá.

Miguel foi o menos votado e eliminado direto da competição. Já as meninas cantariam por sua sobrevivência na competição e pelos votos dos jurados.



Heloá escolheu "Eu Amo Você", sucesso do Tim Maia e disse que faria algo suave, sem gritaria, mas o que vimos (até mesmo pela sobotada do microfone no começo, que a deixou nervosa) foi mais próximo a uma cabra sendo perseguida, do que a cantora maravilhosa que conhecemos. Foi péssimo!



Já Naomi optou pelo clássico rock do Mettalica, que reflete muito sua personalidade artística e foi coreta, apenas.



Na votação, enquanto esparávamos um empate e o público decidindo, fomos surpreendidos por um 3x1 contra Naomi, que a mandou para casa.



Pra finalizar, ainda tivemos uma performance colorida e cheia de energia da nossa jurada Alinne Rosa, com seu novo single.



E é isso, pessoal! Gostaram do programa? O que acharam das eliminações dessa semana? E essa treta desnecessária de Rick Bonadio com Diego? Nos contem!

Semana que vem, com o tema "Sucessos do Cinema", estaremos de volta em mais uma Recap. Até lá!

Tecnologia do Blogger.