Beyoncé já pode samplear essas frases de Chimamanda Ngozi Adichie em suas próximas músicas

Nosso primeiro contato com o trabalho de Chimamanda Ngozi Adichie aconteceu quando Beyoncé sampleou um de seus discursos, para a música “Flawless”, do álbum “Beyoncé” (2013), mas sua jornada no ativismo negro e feminista é longa, incluindo livros como “Americanah” e “Sejamos Todos Feministas”, e em uma de suas recentes aparições na imprensa, Chimamanda maravilhosamente colocou um jornalista em seu lugar, enquanto discutia a eleição de Donald Trump à presidência dos EUA.



No jornalístico BBC Newsnight, a escritora nigeriana dividiu a bancada com R. Emmet Tyrell, editor-chefe da revista American Spectator, e quando o senhor tentou sair em defesa de Trump, afirmando que o atual presidente dos Estados Unidos nunca foi racista, Chimamanda o respondeu de uma forma tão clara e objetiva, que amaríamos tê-la sampleada em todas as músicas de Beyoncé daqui para frente.
Me desculpe, mas se você é um homem branco, não tem que definir o que é racismo. Realmente não tem”, explicou. “Você não tem que sentar aqui e dizer que ele não foi racista, quando, obviamente, ele foi. E não é sobre a sua opinião. Racismo faz parte da realidade, e Donald Trump está habituado a ela.
Tyrell tentou questioná-la, afirmando que ela estava defendendo uma teoria marxista que, por sua vez, não permitiria sequer que ele abrisse a boca, e ela quase desenhou:
Não, com certeza você pode. O que estou te dizendo é que Donald Trump tem nos mostrado e tem dito coisas que são objetivamente racistas.
Vem, remix de “Formation”, por favor! Assista ao momento exato dessa discussão abaixo:



O melhor é que ela sequer olha para a cara de Tyrell e, quando ele cita a teoria marxista, ainda revira os olhos, hahaha. Maravilhosa! O debate completo pode ser assistido abaixo:

Tecnologia do Blogger.