Beyoncé e Dixie Chicks fizeram bem mais do que uma performance de “Daddy Lessons”

Não existem limites quando você se chama Beyoncé, né? Se ela quiser quebrar uma câmera da MTV ao vivo, ela pode – inclusive, ela fez. Se ela quiser vestir o marido de Ken, para uma fantasia de Halloween que faça uma dura crítica aos padrões racistas da sociedade, ela pode também – e fez também. E se ela quiser roubar a cena em uma das maiores premiações de música country, ela pode – e, olha só, fez!

Na noite da última quarta-feira (02) aconteceu o Country Music Awards, nada menos que uma das maiores premiações do gênero nos EUA, e para a surpresa de todos, a cantora de “Formation” fez uma performance ao lado do grupo Dixie Chicks, para a música “Daddy Lessons”, do seu disco “Lemonade”.

Nada foi por acaso: a música country é dominada por artistas brancos, dentro e fora dos EUA (tanto é que, se pedirmos pra que você nos cite ao menos cinco artistas negros nesse meio, o Google precisará te ajudar), e Dixie Chicks é um grupo formado por mulheres – Natalie, Emily e Martie – que sofreram um duro boicote nas rádios e imprensa americanas, por conta de declarações contra as ações de guerra de Bush, em relação ao Iraque.

Se isso não bastasse, também foram as moças do Dixie Chicks que saíram em defesa de Beyoncé, quando Alison Bonaguro, que trabalha na Country Music Television, responsável pelo Country Music Awards, criticou a faixa “Daddy Lessons”, afirmando: “Certo, o novo álbum da Beyoncé tem uma música com alguns ‘yee-haws’, um pouco de gaita e menções a vinis clássicos, rifles e uísque, mas, de repente, todos estão agindo como se ela tivesse se mudado para Nashville e anunciado que é uma cantora country agora. Só por causa dessa tal ‘Daddy Lessons’.”

E aí já viu, né? Você é Beyoncé, tem um grupo que já foi alvo de boicote pelo falso moralismo dos EUA em sua defesa, críticas vindas de um nome por trás de uma das maiores premiações country do país e, por coincidência do destino, uma ótima música country que daria uma bela apresentação nessa tal premiação: não tem nada melhor a fazer, senão esfregar todo esse conjunto na cara de quem se incomodou.

O resultado foi duplo: uma baita performance ao vivo e várias caras de bunda pela plateia – incluindo da Miranda Lambert, que nós gostamos demais, mas nos decepcionamos bastante. E, de quebra, ainda rolou uma versão em estúdio para a parceria, e não teve nada de “Tidal exclusive”, não, ela foi liberada de grátis, pelo Soundcloud.



Muito obrigado, Beyoncé e Dixie Chicks!
Tecnologia do Blogger.