Por que esperar os gringos gostarem pra reconhecer algo que sempre foi nosso?

Em uma das melhores fases de sua carreira, após se consolidar como uma das artistas mais interessantes do pop nacional da atualidade, além de ser também uma das maiores, numericamente falando, Anitta deu um verdadeiro show na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos e, ao lado de alguns dos maiores nomes da nossa música, provou mais uma vez que sempre foi mais do que uma tendência, com um provável futuro promissor pela frente.

Embora tenha sido duramente criticada pelos brasileiros, que custaram a aprovar a sua participação no evento, reclamando até o último segundo que antecedeu a sua chegada ao palco, a hitmaker de “Essa Mina É Louca” foi só elogios na imprensa gringa, que chegou a compará-la com artistas como Beyoncé e Rihanna, causando ainda um efeito semelhante ao da Claudia Leitte, na Copa, que se tornou assunto enquanto todos perguntaram sobre quem era “aquela garota”.


Prazer, Anitta.


Muito se fala sobre os brasileiros e a nossa síndrome de “vira-lata”, com essa ideia de que tudo vindo de fora é melhor, e esse episódio com a Anitta nas Olimpíadas é uma ótima maneira de exemplificar isso, principalmente quando, após receber tantos elogios dos gringos, foi possível perceber uma mudança no discurso dos brasileiros, que, repentinamente, decidiram bater no peito pra se orgulharem da cantora brasileira.

Nada do que a Anitta fez naquele evento era novo. Está certo, aquele repertório foi uma surpresa e, definitivamente, tê-la dividindo o palco com Caetano Veloso e Gilberto Gil é algo memorável em vários sentidos, mas aquela era a mesma Anitta que daqui a pouco estará de volta aos seus palcos, cantando músicas como “Bang” e “Show das Poderosas” e entregando o mesmo ótimo show. Por que só reconhecer isso depois que chegam os elogios de fora?

Embora o caso de Anitta seja o mais recente, esse está longe de ser algo isolado. Quem não se lembra do choque da internet, quando a Björk tocou uma música do MC Brinquedo? E a mudança de perspectiva sobre hits como “Tá Tranquilo, Tá Favorável” e “Baile de Favela”, depois deles serem tocados pelo Skrillex e Diplo, no palco do gigante Lollapalooza?

O Brasil está cheio de grandes nomes – na mesma noite em que tivemos esse show da Anitta, o mundo aplaudiu Karol Conká, MC Soffia e Ludmilla. Está mais do que na hora de os valorizarmos, sem que precisemos esperar que os gringos tomem essa atitude primeiro.

Tecnologia do Blogger.