O clipe de “Make Me”, da Britney Spears, já está entre nós e é decepcionante por várias razões

Britney Spears não está para brincadeira! Depois de revelar a capa do CD “Glory” e o seu novo single promocional, “Private Show”, a eterna princesinha do pop aproveitou essa sexta-feira (05) para lançar o clipe do seu single de retorno, “Make Me”, mais uma vez batendo de frente com a Katy Perry, que estreou há algumas horas o vídeo de “Rise”.

Sem coreografias ou uma grande produção, o lançamento de “Make Me” parece confirmar os rumores de que o clipe teve seu conceito alterado e foi refilmado na metade do caminho, por conta do excesso de cenas sensuais, que teria incomodado Britney. Isso explicaria a ausência de David LaChapelle em sua direção, agora assinada por Randee St. Nicholas.

No geral, a história do novo vídeo acompanha Britney e suas amigas numa audição que busca por homens que as faça suspirar. Os caras padrõezinhos fazem o que podem para chamar a atenção delas e, num clima cheio de brincadeiras, elas sorriem e comemoram quando são surpreendidas. Também há um bombardeio de propagandas, que devem garantir a verba para o clipe seguinte.

Em takes externos, Britney se escora na parede, rebola timidamente e trabalha bastante o carão, protagonizando, inclusive, a cena que se transformou na capa do seu novo CD (pra que gastar com ensaio, gente?). O rapper G-Eazy também aparece em cenas fora da história central, num cenário neutro, por meio de uma televisão.

Por mais legal que seja vê-la disposta a fazer algo tão despretensioso, é decepcionante saber que ela voltou com um clipe tão fraco, principalmente pensando nos seus trabalhos anteriores, que sempre renderam clipes incríveis para seus primeiros-singles (“Hold It Against Me” e até “Work Bitch” são mais interessantes). O mais provável é que, nesta refilmagem, muito do que realmente prestava de “Make Me” tenha ficado pelo caminho, o que é uma pena.

Esperamos mais dos seus próximos passos, Britney. You betta work, bitch. You betta work.

Tecnologia do Blogger.