Novo clipe de Beyoncé contará com a participação dos pais de jovens negros assassinados nos EUA


Definitivamente, nós nunca ficamos tão ansiosos para um novo trabalho da Beyoncé. Depois do tombo que foi aguardar um suposto lançamento da cantora nessa sexta-feira (25), devido às inúmeras especulações e suas misteriosas publicações no Youtube, parece que o trabalho da cantora segue ganhando forma e, pela sua silhueta, temos a impressão de que ainda incomodará muita gente.


Quando lançou “Formation”, com uma performance de tirar o fôlego e os brancos da sala no Superbowl, Beyoncé usou, pela primeira vez, sua música em prol do movimento Black Lives Matter e, ao que tudo indica, seguirá essa linha durante todo o seu novo registro, cantando sobre assuntos que nem todo mundo está realmente disposto a ouvir.

Há muitos rumores sobre esse novo disco da cantora ser extremamente questionador e ela não podia ter escolhido um momento mais propício, visto que assuntos como o racismo e feminismo vem sendo incessantemente discutidos e, nos Estados Unidos, eles ainda lidam com uma possível eleição do Donald Trump, que é o equivalente ao Bolsonaro deles, e a mais nova informação sobre seus próximos passos só reforça isso.

De acordo com o site Fameolous, Beyoncé esteve em contato com as famílias de jovens negros assassinados pelas autoridades americanas e, após algumas conversas, conseguiu com que esses pais participassem do seu novo clipe, retomando parte do que ela tratou em “Formation”.



Segundo essa fonte, o clipe contaria com a participação dos pais de vítimas como Mike Brown (18 anos, morto por um policial em Ferguson, em 2014), Tamir Rice (12 anos, assassinado por dois policiais em 2014) e Trayvon Martin (17, assassinado pelo segurança do seu condomínio), que apareceriam segurando cartazes com a foto de seus filhos.


Ainda entre as especulações, há informações de que o novo disco da cantora está finalizado e, ao contrário do anterior, “Beyoncé” (2013), não será um álbum visual, mas será lançado com um filme, dirigido pelo Kahlil Joseph, no qual ela se aprofundaria ainda mais nessas discussões, ao som de suas músicas novas. Os rumores apontam um lançamento para o mês de abril, com uma estratégia surpresa, semelhante ao seu último e aclamado disco.

Será que a cantora vai mesmo usar sua voz para intensificar ainda mais as discussões em torno do movimento negro nos EUA? Nós realmente esperamos que sim. Aliás, se metade desses rumores estiverem certos, todos já estamos na vantagem. Seja como for, o ideal é que os fãs não se apeguem totalmente às especulações, mantendo a formação e aguardando por algum sinal vindo da própria cantora.

Isso é tudo.
Tecnologia do Blogger.