Lady Gaga, Ariana Grande, Lorde e outras artistas finalmente estão falando sobre a Kesha

Chegou o dia! Nesta sexta-feira (19) finalmente aconteceu o primeiro julgamento do processo da cantora Kesha contra seu produtor, Dr. Luke, e nesta audiência, o hitmaker e seu advogado concederam à cantora a liberdade para trabalhar com outros produtores, como ela havia pedido para a gravadora que detém os direitos dos seus trabalhos, Sony Music, ainda assim, há muito o que percorrer até que ela finalmente possa lançar algo.

Pra quem não se lembra, Kesha está processando Dr. Luke por abuso sexual e psicológico, afirmando que o produtor, com quem trabalhou em seus dois primeiros álbuns, “Animal” e “Warrior”, foi o culpado por seus distúrbios alimentares, bem como já a drogou para ter relações sexuais sem seu consentimento —sendo mais diretos, o nome disso é estupro.

Porém, o cara que, além dela, já trabalhou com Britney Spears, Katy Perry, Christina Aguilera, Miley Cyrus, P!nk e vários outros nomes que provavelmente te dizem muito sobre o que você entende como música pop, rebateu as acusações da cantora com um novo processo, afirmando que ela estava o difamando na esperança de se livrar do contrato que assinou antes da fama, que a obriga à trabalhar com ele até que lance outros três discos.

O caso ficou tão sério que, mundialmente, mobilizou os fãs da cantora com a campanha “Free Kesha” (Liberte a Kesha) e, após um adiamento, teve sua primeira audiência nesta sexta-feira (19).

Infelizmente, as coisas não parecem positivas para Kesha, uma vez que, como acontece com muitas vítimas de abuso sexual, estão cobrando dela mais provas para suas acusações, e enquanto ela segue dentro desse processo, assiste tudo o que conquistou em anos anteriores se esvair, já que não pode lançar novos trabalhos até que toda essa história seja concluída e se vê  acuada, pois não encontra muito apoio enquanto disputa algo com um dos homens mais influentes da indústria atual.

tumblr_inline_nvk9zpZL1I1sz9av4_500.gif (488×154)

Durante a audiência, algo que chocou os fãs de Kesha foi o posicionamento da sua gravadora, Sony Music, que se mostrou bastante disposta a defender Dr. Luke que, segundo o advogado do selo, tem toda uma carreira colocada em jogo por conta da polêmica. E por mais que já tenham passado três anos desde um último disco da cantora, a gravadora não vê nisso um cenário tão crítico, acreditando que ela pode voltar e atrair tanta atenção quanto nomes como Adele ou Justin Timberlake, que tiveram ótimos números após um longo jejum musical.

A audiência dessa sexta-feira (19), entretanto, parece ter despertado mais atenção do que o movimento #FreeKesha havia conseguido anteriormente e, pelas redes sociais, vários artistas se posicionaram pela primeira vez a favor da cantora, incluindo nomes como Lady Gaga, Ariana Grande, Lorde, Lily Allen e o vocalista da banda Bleachers, Jack Antonoff, além de artistas menores, como as revelações Halsey, Alessia Cara e Chloe Howl.

Olha só:

“Há pessoas que te amam em todo o mundo, Kesha, e eu posso dizer que admiro de verdade a sua bravura.”


“Hoje os meus pensamentos estão com a Kesha. Eu sinto muito que você precise suportar essa experiência.”


“Estou do lado da Kesha nessa fase traumática e profundamente injusta. Mande boas vibrações para ela, todo mundo!”

“Meu coração está com a Kesha.”


“Tenho nojo de qualquer pessoa poderosa que abuse de sua autoridade. Meu coração está partido pela Kesha e todas as pessoas afetadas por essa toxicidade. É foda. (...) Eu nem sei o que eu faria... Eu apenas espero que ela encontre paz e um jeito de continuar criando e expressando quem ela é sem medo.”

“LIBERTE A KESHA”

“Tento não comentar nada quando não tenho coisas legais pra dizer sobre uma pessoa... Então essa sou eu não falando sobre o Dr. Luke.”


“Se duas pessoas não querem fazer negócios uma com a outra, me parece muito cruel que um prenda o outro por um contrato. Eu não estou acusando ninguém de coisa alguma, mas eu acredito que a Kesha merece a chance de seguir em frente, criar e ganhar a vida.”
“Realmente desapontada ao ouvir sobre esse caso da Kesha. Ninguém deve ser negada à liberdade do seu agressor e nem de sua criatividade.”

“O que Kesha está passando agora é um exemplo da lei diminuindo uma vítima de abuso. Eu mal posso imaginar o que ela está sentindo agora. É tão triste! (...) Eu acho que as pessoas pensam que a indústria musical é alguma bolha mágica em que todas as coisas dão certo. NUNCA será certo usar a sua posição para prender garotas jovens.”



“Me enoja e parte o meu coração saber que qualquer corte ou pessoa questionaria continuamente uma mulher que afirma ter sido abusada. O fato de que Kesha precisa escolher entre fazer música livremente ou evitar a pessoa que a abusou é ultrajante e degradante.”

Todo o apoio, principalmente de pessoas públicas, é bem vindo! E os fãs de Kesha estavam, inclusive, se perguntando sobre isso. Taylor Swift, por exemplo, fez um discurso de cunho feminista e empoderador enquanto levava o prêmio de Disco do Ano, no Grammy Awards, na última segunda-feira (15), não seria demais se ela utilizasse isso além do seu esquadrão?

Outros nomes, como Katy Perry, Britney Spears e Nicki Minaj, que chegaram a trabalhar com Kesha em anos anteriores, também são indagados pelos fãs da cantora, mas mantém um silêncio bastante incômodo sobre o assunto. E é claro que elas não são obrigadas à coisa alguma, mas seria SENSACIONAL se mais nomes femininos se unissem em prol da causa, pressionando ainda mais o produtor e a gravadora a agirem de outra forma em meio à toda a história.

A próxima audiência desse processo deve acontecer em maio e, neste episódio, a cantora terá a oportunidade de expor novas provas e depoimentos contra o produtor, que também terá mais uma chance de reforçar a sua defesa. Levando em consideração o que aconteceu nesta sexta-feira (19), nossas expectativas não são das mais positivas, mas continuamos na torcida pra que a justiça seja feita e, o quanto antes, possamos voltar a ouvir Kesha com novidades outra vez.



Para ajudar, você pode compartilhar a hashtag #FreeKesha em seu Twitter, além de assinar a petição da campanha neste outro link.

Tecnologia do Blogger.