O It Pop se une a esses grandes artistas e te convida para o teste mais importante da sua vida




Fim do Mistério. Na última sexta-feira (27) começamos a postar na fanpage do It Pop imagens da silhueta de alguns artistas e mensagens que, provavelmente, devem ter despertado a curiosidade de muita gente. Você já deve ter visto na imagem do post, mas são eles: Miley Cyrus, Lady GaGa, Alicia Keys, Madonna, Rihanna, Katy Perry, Adam Lambert, Bono Vox e Elton John.

Mas por que resolvemos reunir toda essa galera? A gente te explica. Em algum momento de suas carreiras, esses artistas incríveis decidiram sensibilizar a população e ajudar milhões de pessoas que vivem com o HIV. Com comprometimento a causa, essas estrelas globais impactaram de uma forma muito positiva na vida de muita gente e podem ser considerados importantes ativistas da causa. Aliás, preparamos um especial contando como esses artistas deram voz às discussões sobre o assunto.



Como a gente sabe que vocês amam música tanto quanto a gente, decidimos despertar a curiosidade de vocês e usamos esses artistas pra isso. O dia de hoje, 1º  de dezembro, é conhecido como o Dia Mundial de Luta Contra a Aids e nós resolvemos responder uma importante questão nesse dia: sabe o que vale mais do que ganhar um Grammy, ter o reinado da música pop, assumir os vocais de uma das maiores bandas de rock ou ter um dos CDs mais aguardados do ano? Realizar o teste de HIV e cuidar da sua saúde.

Essa ideia surgiu quando estávamos desenvolvendo aquele texto sobre o Charlie Sheen e conversamos com o cara responsável pelo blog “Diário de um Jovem Soropositivo” e percebemos que se você realizar o teste, você estará ajudando na erradicação da doença. E como a gente ama vocês, afinal, o que seria do It Pop sem vocês aqui, resolvemos compartilhar tudo isso, usando esses artistas chamar a sua atenção.  

A nossa intenção com esse texto é ir um pouco além do “Use Camisinha!” e do que geralmente falam pra você sobre o assunto. Que o uso preservativo é essencial na proteção contra a infecção do HIV você já deve saber, mas existem alguns pontos tão importantes que, talvez, ninguém tenha te contado.


Conversando com o autor do Blog Diário de um Jovem Soropositivo, ele nos explicou que existem três principais grupos quando falamos sobre HIV. O primeiro diz respeito àqueles que usam o preservativo em suas relações sexuais e possuem o hábito de fazer, regularmente, o teste de HIV. Respeitando a janela imunológica (30 dias – tempo, em média, que o nosso organismo demora para reagir à presença do vírus e produzir os anticorpos que sensibilizam o teste) e com resultado negativo, podemos afirmar que esse indivíduo é o chamado soronegativo.

O segundo grupo diz respeito aos indivíduos que realizaram o teste de HIV e que receberam um resultado positivo, sendo esses, os soropositivos. Sobre essa situação, o autor do blog nos contou que “quem recebe o diagnóstico positivo pode começar imediatamente seu tratamento com a terapia antirretroviral, o ‘coquetel’, que é gratuito em todo o País. [...] Os antirretrovirais são capazes de reduzir a ‘carga viral’, que é quantidade de vírus presente no sangue, a níveis indetectáveis pelos exames mais precisos de laboratório, e em pouco tempo. Esse é o meu caso e de 78% das pessoas que vivem com o vírus e sob tratamento no Brasil". Aliás, que notícia incrível. O tratamento por aqui, além de gratuito, parecer ter muito sucesso, garantindo a saúde dos pacientes.

Chegando nesse ponto, você pode se questionar: eu posso ser soropositivo ou soronegativo. Que outro grupo pode existir nessa realidade? E essa é exatamente uma das questões-chaves desse texto. Existe um grupo de pessoas (que talvez você se encaixe) que são aqueles que não sabem se possuem ou não o HIV porque nunca fizeram ou não têm o hábito de realizar um exame com frequência (e, muitas vezes, não respeitam o período da janela imunológica). Diante dessa realidade, esse grupo foi apelidado como sorointerrogativo.

Pra você entender a importância desse grupo, o nosso colaborador revelou que boa parte dos óbitos decorrentes de AIDS acontecem por conta dos sorointerrogativos que foram acometidos por alguma doença oportunista, devido ao sistema imunológico muito debilitado.  

Provavelmente você nunca tinha ouvido falar sobre sorointerrogativo, né? A gente também não. E é a partir desse ponto que a gente começa a te explicar como isso pode atrapalhar no combate ao HIV.

Voltando aos três grupos que acabamos de comentar, vale uma reflexão. O primeiro e o segundo grupo possuem algo em comum: eles cuidam da sua saúde. Os soronegativos descritos fazem o uso do preservativo e tem o hábito te realizar o teste. Os soropositivos, por sua vez, fazem o tratamento indicado e, na maioria dos casos, alcançam o status de carga viral indetectável, portanto, quem se cuida não transmite e não contrai HIV, seja pelo uso consistente da camisinha, seja pelo uso do coquetel antirretroviral”, afirma o autor do blog.


Já, o terceiro grupo, que nem sempre usa o preservativo e não realiza o teste com frequência, não tem certeza sobre a sua sorologia e a falta da informação correta é o grande perigo, pois “nesse caso, sem tratamento, a carga viral é muito possivelmente alta e, com isso, a transmissibilidade também. Existem dois momentos em que um portador do HIV sem tratamento apresenta maior carga viral e, portanto, maior risco de transmissão: no estágio final da infecção e na fase inicial, logo após a entrada do vírus no organismo. Em geral, 44% das transmissões podem ser atribuídas à infecção recente. Portanto, um recém-infectado que não sabe da sua condição oferece um alto risco potencial de transmitir o vírus”.  

Estão entendo como é importante saber e não simplesmente supor a sua sorologia? Isso terá um impacto direto na transmissão do vírus para outras pessoas e na eficácia do tratamento. Quanto antes você souber, melhores serão os resultados do seu tratamento e menor a probabilidade de você transmitir o vírus para outra pessoa, por isso, a gente precisa ficar em dia com o teste de HIV.

E lembra que dissemos, lá no começo do texto, que iríamos além do “Use Camisinha”? Acompanha só o que o colaborador desse texto contou pra gente. Sério. É pra quebrar qualquer preconceito que você possa ter com um portador do vírus HIV.

Algumas pesquisas têm sido feitas entre casais sorodiscordantes - quando apenas um dos parceiros é HIV positivo. Mediante um acordo entre o casal, de forma consensual, o preservativo não é utilizado em todas as relações quando o parceiro HIV+ está sob tratamento e possui carga indetectável.

O nosso parceiro conta que “algumas transmissões do HIV foram sim documentadas. A partir de análise genética de cada uma cada uma das infecções, constatou-se que em nenhuma delas a origem da transmissão veio do parceiro soropositivo que estava indetectáveltodas se deram em situações em que o parceiro soronegativo teve uma relação desprotegida fora do relacionamento estável”.

E sabem o que isso significa? Que a camisinha deve sim ser utilizada para prevenir o contágio pelo vírus do HIV, porém, em caso de falha do preservativo, os antirretrovirais assumem um papel super importante na prevenção da transmissão do vírus.

Diante dessa realidade, o autor do Diário de um Jovem Soropositivo expõe “a ideia de que soropositivos em tratamento e com carga viral indetectável são parceiros sexuais que não apresentam risco consistente de transmissão do HIV pode ser difícil de engolir, pois muda um paradigma muito fundamental, que está arraigado dentro de muita gente". 


Essa ideia começou a fazer mais sentido para os pesquisadores quando eles se deram conta de que esse mesmo coquetel é capaz de impedir a transmissão de uma mãe portadora do vírus para o seu bebê. Fábio Mesquita, diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, afirma que “a lógica era exatamente esta: a gente derrubava a carga viral da mãe e o bebê não nascia contaminado. [..] Anos depois — entre 1996 e 2011 — a ciência concluiu[...]: derrubou a carga viral, não tem como transmitir o HIV. Esse hoje é o mecanismo mais poderoso de prevenção que existe”.

E ainda conclui o pensamento com uma frase de muito impacto pra gente: “é mais poderoso que a camisinha”. Entenda. Não estamos afirmando que você deve parar de fazer o uso do preservativo. O que ele está querendo dizer é que se você sair da situação de sorointerrogativo e fizer o tratamento, caso tenha o diagnóstico positivo para o HIV, além de cuidar da sua saúde, você irá reduzir drasticamente, a chance de transmitir o vírus para seus futuros(as) parceiros(as).

Julio Montaner, criador do tratamento como prevenção, reafirma essa ideia ao contar que “se uma pessoa que está em tratamento e que tem carga viral não detectável se transforma em uma pessoa que não transmite o HIV por nenhuma via, seja de mão para filho, em relações homossexuais, seja em relações heterossexuais ou ainda pelo uso intravenoso de drogas”. Olha isso, gente!



E essa meta 90-90-90? Sério. Nós precisamos compartilhar isso com o mundo! Copia e cola pra geral: Se até 2020 for possível identificar 90% dos portadores do vírus HIV e garantir que desses, 90% iniciem o tratamento de forma contínua, alcançando resultados para que 90% obtenha a carga viral indetectável, até 2030 poderemos chegar a uma queda de 90% na mortalidade e na incidência do vírus, acabando com a pandemia do HIV que conhecemos hoje e transformando a doença em algo esporádico, infrequente e de baixa penetração em nível social.

Já pensou que incrível? Mas pra que tudo isso aconteça, você precisa conhecer a sua sorologia. Portanto, continue usando o preservativo em todas as suas relações sexuais, mas não deixe de realizar o teste de HIV e iniciar o tratamento, caso o seu resultado seja positivo.

Tá vendo? Não é a toa que esses artistas que usamos pra chamar a sua atenção e tantos outros já deram voz ao assunto, afinal, informação é o ponto. A gente precisar aprender sobre o HIV, conhecer a nossa sorologia e entender o tratamento. Por isso, a gente espera que essa nossa ação e esse texto colaborativo com o blog Diário de um Jovem Positivo tenha te ajudado a refletir sobre o tema e a provocar uma postura diferente em você daqui pra frente!

Use camisinha, faça o teste e ajude na erradicação do HIV. Essa luta é nossa!


Ao autor do Blog Diário de um Jovem Soropositivo: muito obrigado pela parceria, pela atenção/dedicação durante o processo e, principalmente, por nos informar tão bem sobre o assunto. O trabalho que você realiza com o seu blog é admirável. Você tem o nosso respeito e o nosso carinho. Parabéns e conte sempre com a gente!
Tecnologia do Blogger.