It Pop elege: os 20 melhores EPs de 2015!


Todo final de ano é chegada aquela hora de parar, analisar e montar um balanço sobre os grandes destaques da temporada através das nossas listas. E, depois da de melhores singles, chegou a vez de liberarmos a lista de melhores EPs.

Mas It Pop, qual a necessidade de se liberar uma lista dessas? É bem simples: nessa década, em especial, os EPs têm ganhado cada vez mais relevância e visibilidade, porque constituem um trabalho inicial e muitas das vezes são fundamentais para a apresentação de artistas novatos e suas respectivas sonoridades ao grande público. E também há casos de artistas já conhecidos, mas que ainda não se sentem totalmente confortáveis com o processo de criação de seus materiais completos (álbuns), então lançam um número menor de faixas, em forma de EPs, para testar o mercado e, a partir disso, seguirem adiante ou refazerem tudo.

Com base nisso, escolhemos, depois de muita consulta à nossa equipe, aqueles EPs que mais ouvimos e marcaram ao longo do ano, chegando num total de 20, que de forma bem diversificada, traz nomes já conhecidos, outros que passaram a ser ao longo do ano (e com grandes perspectivas de futuro) e muitas apostas, que, com base nos mini-materiais apresentados, nos fazem acreditar que serão bem relevantes no próximo ano e, quem sabe, figurem nas listas de singles, álbuns e clipes de 2016.

Enfim, sem mais delongas e com sonoridades que variam do indie, R&B, hip-hop, pop, rock ou tudo isso junto, confira nossa lista dos 20 melhores EPs de 2015, logo abaixo:

20. Reece Mastin - Rebel and the Reason

"Rebel and the Reason" tem uma importância tremenda para nosso 20º colocado, porque marca um recomeço na carreira de Reece Mastin, o mais jovem campeão de uma franquia do X Factor (Austrália, em 2011, aos 16 anos), que quebra o contrato com a Sony, abandona o pop rock comercial à la P!nk, que a gravadora o instruía a cantar, e passa a ser um artista independente, mais focado ao rock – estilo que marcou sua passagem pelo programa, inclusive. Seu EP é fundamental ao nos mostrar essa transição, que alguns meses depois seria reafirmada em seu novo álbum, "Change Colours". Muito mais maduro vocalmente, apesar de ainda ser um garoto de 20 anos, e com influências sonoras que variam do folk ao rock clássico, repleto de guitarras por toda parte, "Rebel and the Reason" nos mostra o quanto Mastin tinha razão quando afirmara que a gravadora sempre teve a intenção de matar quem ele era artisticamente, visando vender mais e mais, mas que ele ainda era um rockstar e que ia fazer seus interesses valerem dali em diante. E não só valem, como são altamente indicados na nossa lista.


19. Sameblod - Nostalgia

Sabe aquelas bandinhas indie que você, do nada, acha perdida por algum Tumblr da vida e se apaixona? Foi o nosso caso com a Sameblod. O duo sueco (bendita Suécia!), formado pelos amigos Frederick Rundqvist e Mikael Mattison, está na ativa desde 2013 no cenário independente, mas só agora, com seu segundo EP, "Nostalgia", é que começam a ser visados na Europa, em função de singles fantásticos como "My Fortune" e "Fade Out". Com uma sonoridade que mistura grandes vocais e atmosfera épica, com o abusivo (por vezes intrigante) uso de sintetizadores, eles conseguem criar uma vibe etérea, que dificilmente te deixará esquecê-los.


18. DNCE - Swaay

Tentando seguir os passos de Nick Jonas, seu irmão mais novo, que se reinventou completamente na carreira e fez um dos melhores álbuns do ano passado, Joe também resolveu largar os anos de Jonas Brothers pra trás e se jogou na formação de sua banda de indie pop, DNCE. Ainda que os resultados não tenham sido tão satisfatórios num primeiro momento, "Swaay" é um delicioso EP, que mostra que a banda de "Cake by the Ocean" ainda tem muito a oferecer e que vale ficar de olho.


17. Charlie Puth - Some Type of Love

Até dezembro do ano passado, Charlie Puth não passava de um ótimo youtuber, que criava covers incríveis e estava prestes a assinar um contrato de gravação. Chegou 2015 e TUDO mudou. Literalmente. Ao colaborar com Wiz Khalifa no smash hit "See You Again", homenagem póstuma a Paul Walker e tema do blockbuster "Velozes e Furiosos 7", Puth colocou seu nome em evidência no mundo todo e, aproveitando o buzz, lançou seu EP, "Some Type of Love", mostrando que ele é muito mais interessante que o hit que o consagrou e, de quebra, ainda emplacou outro smash hit: a parceria com Meghan Trainor na deliciosa ode sessentista "Marvin Gaye". No começo do próximo ano, o jovem americano lançará seu álbum de estreia, "Nine Track Mind", desde já, um dos materiais que mais estamos ansiosos pra conhecer.


16. Noonie Bao - Noonia

A Suécia, nos últimos dois anos, têm se tornado um grande berço de descobertas para a música pop. "Noonia", da Noonie Bao, é outro belo exemplo disso. Curioso, muito bem produzido e de forma única, Noonie nos entrega singles incríveis, como "I'm In Love" e "Pyramids". Como não amar essa mulher, gente?



15. Frances - Let It Out

Um dos fortes nomes na recente lista de apostas da BBC para 2016, é o da britânica Frances. Seu fabuloso EP, "Let It Out", nos mostra todos os predicados para que ela tenha todo esse buzz sob seu nome. Dinâmica e cheia de influências, que vão desde uma triste e frágil, mas deliciosa balada ao piano na faixa-título, até à sensualidade acompanhada de melodias funky e soul de "I Care", Frances nos sugere uma brisa refrescante num horizonte renovado.



14. Hailee Steinfeld - Haiz

Estranho caso de boa atriz que resolve se jogar na carreira de cantora, a princesinha Hailee Steinfeld trouxe em "Haiz" um delicioso chiclete para ser mascado com calma. O material que já tinha rendido o hino da autoestima, "Love Myself", tem a produção inteira do duo Mattman & Robin, que faz da jovem menina uma excelente popstar, que bebe um pouco da fonte de sua grande amiga Taylor Swift.



13. Lauv - Lost in the Light

Elegância, timbre delicioso, boas composições e um pop classudo. Tudo isso você encontra em "Lost in the Light", EP de estreia do novaiorquino Lauv, uma das novas apostas de Dr. Luke. O jovem moço de 20 anos, que ainda lançará mais um EP no próximo ano antes do lançamento do álbum completo, tem ganhado a atenção da mídia alternativa, por conta de músicas brilhantes, como "The Other" e "Reforget", que reforçam todas suas principais características e compensam todo os anos de trabalho dedicados a descobrir sua identidade sonora, que vem baseada num hipnótico misto de synthpop e R&B. Sério, gente, apostamos bastante nessa jóia para 2016!


12. Dillon Francis - This Mixtape is Fire

Apesar de ter jogado quase todas essas faixas em seus sets ao longo do ano, o DJ e produtor Dillon Francis finalmente lançou seu novo EP. Chamado "This Mixtape is Fire", seu resultado é esplêndido, principalmente por abranger vários gêneros, numa coleção refrescante de ritmos, como a parceria com Skrillex em "Burn Up the Dance".


11. Jack and Jack - Calibraska

Recém-saídos do Brasil na última semana, onde fizeram shows em SP e no RJ, Jack Johnson e Jack Gilinsky, ambos com 19 anos, eram youtubers já conhecidos na internet por conta de suas belezas e seu divertido canal, mas aproveitando o fato de serem multitarefa e ambos terem estudado música por um tempo, resolveram se lançar como cantores também. Através do "Calibraska", brilhante EP de estreia, inteiramente produzido e lançado de forma completamente independente por eles, o duo de pop-rap esbanja versatilidade, com destaque para a agilidade das rimas de Johnson e as influências que imprimem sonoramente, que giram entre o hip-hop, pop, jazz e até groove, sem soar genérico em momento algum. Mérito e tanto para quem dispensa produtores.


10. Kieran Alleyne - Breaking Good

A cena urban britânica sempre traz novidades interessantes e a grande aposta da vez, atende pelo nome de Kieran Alleyne. O jovem londrino de 20 anos, recém-assinado com a Universal e com uma carreira feita na infância dentro da tv britânica (ele também é ator), tem DJ Mustard como um de seus padrinhos musicais e fez do EP "Breaking Good", uma grata surpresa no ano, graças ao espetáculo que sua produção e a voz radio-friendly de Kieran oferecem, que somadas às suas habilidades pra dança, nos remetem muito aos velhos tempos de Chris Brown. Hinos urban como "Comfortable" e "Runnin' Low" deixam isso ainda mais evidente. No momento, o moço trabalha com nomes fortes nesse mercado nos EUA, como Stargate, T.I., Omarion, Tinashe e Jermani Dupri na produção de seu esperado álbum de estreia, programado para o próximo ano.


9. JoJo - III

Após um longo período enfrentando processos pra se ver livre da antiga gravadora, JoJo retornou à ativa com o EP "III" (fala-se "Triangle"), que tem coisas incríveis, como o midtempo "When Love Hurts" e "Save My Soul", que só nos fazem ter alegria por ver essa linda e uma das mais talentosas de sua geração cantando de novo.


8. Allie X - CollXtion I

Outra novidade desse ano no meio alternê, a canadense Allie X já chegou chegando, com seu fabuloso "CollXtion I". Com sete faixas grudentas e de forma redonda, a moça imprime sua marca com bons vocais, que somadas à produção de Billboard (Kesha, Madonna, Ellie Goulding), trazem um dos materiais mais catchy de 2015. Outro nome para ficarmos de olho no ano que vem.


7. FKA Twigs - M3LL155X

Aclamado pela crítica, único, futurista e nostálgico, assim é o "M3LL155X" (fala-se "Melissa"), terceiro EP da curiosa e, sempre incrível, FKA twigs. Aqui, sua sonoridade passa pelo pop e R&B, com a maravilha de jamais ser algo genérico, fazendo com que cada faixa soe fora da zona de conforto da própria artista, inclusive. Outro trabalho primoroso.


6. MAX - Ms. Anonymous

O jovem Maxwell George Schneider talvez seja um dos cantores (vocalmente) mais interessantes dessa nova safra. Dono de habilidades vocais impressionantes e timbre muito radiofônico, o moço já vinha chamando muita atenção graças aos seus covers visualizados milhões e milhões de vezes na internet, que culminaram num contrato com a gravadora DDC2, de Pete Wentz, do Fall Out Boy, que originou em seu segundo EP, "Ms. Anonymous", que traz composições e músicas maravilhosas, mostrando toda diversidade de MAX, como no excelente midtempo que intitula o material, ou no fantástico urban "Gibberish", que tem um dos mais bem pensados clipes de 2015.


5. Alessia Cara - Four Pink Walls

Nome forte para ficar ligado nos próximos anos, a canadense Alessia Cara, de apenas 19 anos, trouxe um "Four Pink Walls" um deslumbrante conjunto de canções sobretudo R&B, que incluem um dos hinos de 2015: a pessimista e antissocial "Here". É um compacto muito interessante, em que cada música deixa uma mensagem bem convincente de quem ela é como artista e o que podemos esperar, que de fato se confirmou em seu álbum, "Know-It-All", lançado agora em dezembro. 


4. Kylie Minogue - Kylie + Garibay

"Kylie + Garibay" é o segundo EP colaborativo da cantora australiana Kylie Minogue e do produtor musical Fernando Garibay. Contando com apenas três faixas, todas escritas por Kylie, o material ainda traz a participação do rapper Shaggy em "Black and White" e a deliciosa colaboração com o muso Sam Sparro em "If I Can't Have You". Pra completar a festa, eles se juntaram ao produtor italiano e lenda, Giorgio Moroder, no hino sexy "Your Body".


3. Troye Sivan - WILD

No ano passado, Troye Sivan despertou a atenção de todos com o lançamento do hino deprê "Happy Little Pill", que culminou no seu primeiro EP, o elogiado "TRXYE". Em 2015, ele voltou com um novo duas vezes melhor. "WILD" é um primor artístico e sonoro, repleto de muita intensidade, emoção, vocais incríveis e letras realmente boas, que te fazem ficar vidrado em cada uma das seis faixas presentes no material, com destaque para a incrível faixa-título e "FOOLS", que compõem a linda trilogia de clipes que ajudou na promoção do material e, consequentemente, do álbum "Blue Neighbourhood", lançado no último dia 4.


2. Bonnie McKee - Bombastic

Compositora consagrada e dona de smash hits nas vozes de cantoras como Katy Perry e Britney Spears, a californiana Bonnie McKee cansou de só escrever e resolveu colocar sua voz no EP "Bombastic". Que é realmente explosivo como seu título sugere. Repleto de hinos e com um star quality impressionante, em faixas que variam do pop rock ao pop mais chiclete possível, Bonnie entrega um material triunfante, que nos deixa ainda mais na expectativa para um álbum seu completo.


1. MNEK - Small Talk

Enquanto não finaliza seu aguardado álbum de estreia, o produtor MNEK nos premiou com o lançamento do fantástico EP "Small Talk", que só confirmam toda sua genialidade em criar composições multifacetadas e letras únicas, que misturam influências do R&B e do soul, com trap music, dubstep e EDM, deixando tudo de forma bem singular. Sabe aquele tipo de material que te fará ouvir mais e mais a cada novo play, sem nem piscar, como nos destaques absolutos "Wrote a Song About You" e "The Rhythm".



Conheciam todos os nomes? Gostaram de algum novato? Caso tenham algum nome que esquecemos ou que vocês achem que valia uma menção, ou algum EP a nos recomendar, sinta-se à vontade para escrever nos comentários. E até as próximas listas, gente!
Tecnologia do Blogger.