Entrevistamos a Melanie Martinez, que falou sobre o futuro de “Cry Baby”, seu próximo clipe, parcerias dos sonhos e histeria dos fãs

Melanie Martinez é a cantora mais fofa do mundo! A menina, que foi uma das finalistas do “The Voice” americano, veio ao Brasil no mês passado, com uma série de shows que promovem seu álbum de estreia, “Cry Baby”, e a convite da gravadora dela no Brasil, Warner Music, a gente marcou presença no show e, horas antes, aproveitamos pra bater um papo com a moça.


Visto que seu disco de estreia já está perto de ter seus trabalhos encerrados, nossa conversa foi centrada no futuro de sua carreira, indo do fim da personagem “Cry Baby” às prováveis colaborações de Melanie. A cantora também respondeu sobre a euforia dos fãs brasileiros, que até rendeu uma situação desconfortável durante seu show no Rio de Janeiro.

Confira a entrevista completa logo abaixo:

It Pop: “Cry Baby” é o nome do seu álbum de estreia e também da personagem que protagoniza suas canções, a gente quer saber se você já idealizou um fim para a Cry Baby ou se pretende mantê-la em seus próximos projetos?

Melanie: Esse CD é sobre a história de Cry Baby, sua vida familiar, o que ela passa e tudo mais, e, para o próximo álbum, eu quero meio que estar na perspectiva dela, mas sem falar de sua vida, necessariamente. Quero falar sobre ela contando a história de outras pessoas, como se numa cidade estranha, sabe? Então, basicamente, todos os álbuns estarão conectados, de certa forma. Quando eu tiver 60 anos e olhar pra trás para ver os álbuns que eu fiz, quero que eles contem uma história contínua ou que se pareçam com um livro ou filme.


It Pop: Podemos dizer que sua música passeia entre o pop e o alternativo, quais são suas maiores influências? E tem algum artista da atualidade que você amaria colaborar?

Melanie: Eu gostaria de trabalhar com muitos artistas, eu nem consigo pensar em ninguém especificamente, mas, honestamente, minhas colaborações dos sonhos não seriam colaborações musicais, mas com Mark Ryden, que é um artista visual, e eu amo o Tim Burton, que é um diretor incrível. Eu amaria fazer um filme com Tim Burton sobre a história que meus álbuns contam. Então acho que essas seriam minhas “colaborações dos sonhos”.

It Pop: A maioria dos realities como o The Voice tentam “moldar” os artistas pra que eles fiquem mais apropriados para as paradas, mas, desde o começo do programa, você veio com personalidade, um trabalho consistente e um estilo próprio. Você já planejava os passos que deu dentro da competição? Acha que teria sido muito diferente caso tivesse ganhado o programa?

Melanie: Isso é interessante, porque eu olho para aquela experiência como se fosse um aprendizado. Obviamente que tiveram muitos problemas, eu me sentindo desconfortável no programa, por ter de cantar músicas de outras pessoas, enquanto eu queria cantar as minhas músicas, já que eu componho, então foi complicado para mim, especialmente depois do programa, conseguir mostrar para as pessoas que eu não canto covers, eu escrevo músicas. Em alguns shows, as pessoas gritavam “canta ‘Toxic’” e eu ficava “eu não quero cantar ‘Toxic’”. Eu não vou fazer isso. Eu tenho minhas músicas, você pode ouvi-las, ou você pode ir embora, sabe? Eu tenho que mostrar que é isso que eu quero fazer e eu acredito que quando você mostra isso pra pessoas e faz isso por um tempo, elas acabam entendendo. Em programas como o The Voice, as pessoas focam no fato de os outros conseguirem cantar muito bem, mas não sabem quem aquelas pessoas são como artistas. E é difícil descobrir isso depois do show, então foi nisso que eu me foquei; escrever minhas próprias músicas e descobrir qual história eu queria contar.


It Pop: Quais são seus objetivos para os passos seguintes da sua carreira? Esperava ter ido tão longe apenas com seu disco de estreia?

Melanie: Não, eu não costumo esperar nada, quando eu estou escrevendo músicas. Eu meio que estou só contando histórias, escrevendo músicas, e isso é tudo no que estou focada. Então é muito legal eu vir para o Brasil e saber que tem fãs que escutam a minha música. É incrível a quantidade de amor e suporte que eles têm me mostrado nas redes sociais, ou só o fato de eles ouvirem minhas músicas. É maluco! E eu amo isso! Meus objetivos são de continuar fazendo música, continuar contando uma história, e de dirigir videoclipes para mim, como fazer vídeos para todas as músicas do “Cry Baby” e álbuns futuros.

It Pop: Os fãs brasileiros são muito receptivos, eufóricos e intensos quando o assunto são shows de seus ídolos, mas você já reclamou no Twitter sobre o comportamento de alguns fãs. Será que essa animação nossa não vai causar uma má impressão em você?

Melanie: Interessante... É complicado dizer como você se sente numa rede social. Por exemplo, eu posso postar uma coisa e as pessoas olharão para aquilo de milhões de formas diferentes. Um exemplo foi quando escrevi sobre não gostar das pessoas gritando coisas pra mim enquanto me apresento. Aí as pessoas me falaram, “ah, mas você está indo para o Brasil, onde os fãs são muito barulhentos”. Não é sobre serem barulhentos, o problema é quando eu quero falar alguma coisa e, bem, sou só eu, falando baixinho, tentando conversar com eles, cantar minhas músicas e aí há pessoas gritando coisas tipo “senta na minha cara!”, sabe? É inapropriado e complicado pra mim numa performance. Eu adoro quando as pessoas cantam junto, é a melhor coisa, adoro ouvir a voz das pessoas, é incrível! Eu faço música pra que as pessoas se conectem com ela. Então é óbvio que eu não vou me estressar com eles por cantarem suas músicas favoritas, é sobre me tratarem como não me tratarem como um ser humano, porque eu sou um ser humano.


It Pop: A gente questionou aos seus fãs pelo Facebook, se tinha algo em especial que eles gostariam que perguntássemos e muitos falaram sobre qual será seu próximo videoclipe com esse álbum. Pode nos adiantar isso?

Melanie: Eu ainda estou pensando sobre isso. Eu sei qual vai ser a próxima música que vai ganhar um videoclipe, mas não vou dizer qual é. Só posso dizer que é o começo da história. Só isso que eu vou dizer, apesar de já ter entregado qual é. Mas eu ainda tenho que escrever a história do vídeo, resolver como vou fazer isso.

It Pop: E ainda falando sobre seus próximos passos, já tem alguma ideia de quando começará a escrever músicas novas? (Ela não entendeu a pergunta e terminou nos contando quando ela começou a compor músicas, tadinha, hahah!)

Melanie: Eu comecei a escrever minhas músicas quando eu tinha 14 anos e, quando eu sai do The Voice, comecei a escrever com mais mentalidade, com esse personagem e tudo isso. Então foi mais depois do The Voice. 

It Pop: Por fim, se pudesse ter um superpoder, qual seria, Melanie?

Melanie: Provavelmente ser invisível. Mas só algumas vezes. Eu acho que seria legal.

***

O álbum de estreia da Melanie, “Cry Baby”, estreou em agosto desse ano e, como falamos em nossa resenha, desenvolve uma sonoridade que vai do pop ao trip-hop, se assemelhando aos trabalhos de nomes como Lorde e Marina and The Diamonds. Um dos maiores sucessos do CD no Brasil foi a canção “Pity Party”, em que ela canta sobre uma festa que não teve a presença dos seus convidados:


Aproveitando o espaço, um obrigado especial ao pessoal da Warner Music Brasil pela oportunidade e ao fã-site Melanie Martinez Brasil pelo auxílio durante a entrevista. <3
Tecnologia do Blogger.