10 ótimos álbuns que você provavelmente não ouviu em 2015, mas deveria (Parte 1/10): Tove Styrke, “Kiddo”

Já se tornou tradição que façamos as tão comentadas listas com os melhores lançamentos do ano, mas, como de costume, também acontecem vários casos de ótimos lançamentos ficarem de fora dos nossos escolhidos e pelas razões mais variadas possíveis.

Uma delas, talvez a mais comum, é o caso do disco não ter sido votado por membros o suficiente dentro da equipe, o que faz com que ele seja passado para trás por outros discos melhores colocados e, desta forma, termine fora dos eleitos na listagem final. 

Mas se tem uma coisa que a gente não tolera, é injustiça com boa música e exatamente por essa razão, começamos há dois anos o especial “10 músicas para ouvir nos últimos 10 dias do ano”, agora reformulado, com dicas realmente imperdíveis de lançamentos do ano que você deveria, mas provavelmente não escutou.

Assim como as duas edições anteriores, o especial será dividido em dez partes, sendo cada uma delas totalmente focada em um disco, e, pela primeira vez, temos ainda a possibilidade de apresentar o disco por completo para vocês no próprio post, graças às maravilhas da tecnologia e o Spotify.

Vamos ao que interessa?

TOVE STYRKE, “KIDDO”

Não é preciso ir muito longe para saber que o melhor disco pop do ano veio da Carly Rae Jepsen e seu “EMOTION”, mas se o disco da canadense, ainda que com todo o hype em cima de singles como “I Really Like You” e “All That”, não foi dos seus melhores em questões comerciais, o que dizer sobre o “Kiddo”, da Tove Styrke?



Uma das nossas melhores descobertas do ano, Tove é sueca e, entre outras coisas, conquistou a internet com uma versão cover de “Baby One More Time”, da Britney. A cantora já possuía um disco de estreia, autointitulado, lançado lá em 2010, mas de 2014 pra cá que traçou melhor sua atual sonoridade, com um pop ousado, repleto de sintetizadores e letras que provavelmente superam muitos dos seus discos favoritos desse ano.



Pra quem gosta de artistas como Robyn, MØ, Charli XCX, Carly Rae Jepsen e Major Lazer, seu CD “Kiddo” é uma pedida e tanto, e pela discrepância entre os artistas citados, é notável o quanto ela consegue abordar com sua música, claramente pop, mas com uma veia alternativa que dá ao seu trabalho um tom tão singular, que dificilmente imaginaríamos outra artista fazendo tão bem.



Para testar: “Snaren”, “Borderline”, “Number One”, “Burn” e “Brag”.


Tecnologia do Blogger.