O clipe novo da M.I.A., “Borders”, é tão foda, que não imaginamos nenhuma outra artista indo tão longe

A rapper M.I.A. pode ainda não ter uma comunicação direta com as massas, vez ou outra emplacando algum hit, como foram os casos de “Bad Girls” ou, voltando um pouco no tempo, “Paper Planes”, mas é inegável a forma como ela aproveita o quanto representa para fortalecer minorias e, claro, tocar na ferida como ninguém faz.

Não é de hoje que a rapper busca inspirações em assuntos políticos para suas canções, motivo pelo qual ela começou a se desentender com o Diplo lá na produção do “Kala” (2007), de onde eles tiraram “Paper Planes”, e em um cenário crítico, no qual todos querem discutir sobre as guerras, mas se fecham às fronteiras impostas por meios de comunicação que só te deixam solidarizar com uma bandeira, ela vem ao lado dos refugiados em seu clipe novo.


“Borders” sucede o clipe que abriu os trabalhos do projeto “Matahdatah Scroll 01: Broader Than A Border”, sendo essa sua prometida segunda parte, “Matahdatah Scroll 02: Border”, e assim como as músicas reveladas anteriormente, “Swords” e “CanSeeCanDoo”, deve integrar o novo disco da britânica, “Matahdatah”.

Com direção da própria rapper, “Borders” nos surpreende por seu visual e necessários exageros, nos mostrando, em proporções épicas, M.I.A. como líder de vários grupos de refugiados, que buscam atravessar fronteiras, seja pela terra, água ou mar, e assim como no clipe da sua parceria com o GENER8TION em “The New International Sound, Pt. II”, a grandiosidade das cenas, como o momento em que os refugiados usam seus corpos para formar a palavra “life” (“vida”, em tradução livre), nos deixa não menos do que boquiabertos.

Assista ao clipe de “Borders” abaixo:



Sempre com opiniões que fogem do senso comum quando os assunto são política e avanços sociais, a rapper chegou a comentar indiretamente no Twitter o caso dos recentes atentados entre países como a França e Iraque e, com certa ironia, afirmou que o mundo está da mesma forma como ela já criticava em seu primeiro CD, então ela não gostaria de precisar falar sobre tudo isso outra vez. Na publicação, ela conclui perguntando se as pessoas não podem simplesmente ouvir o álbum anterior e, desta vez, quem sabe tiram algo produtivo disso.

“Matahdatah” será o quinto álbum de inéditas de M.I.A., sucedendo o disco “Matangi” (2013), que contou com singles como “Bad Girls”, “Come Walk With Me”, “Y.A.L.A.” e “Double Bubble Trouble”, além de uma colaboração com o cantor The Weeknd em “Sexodus”.

Tecnologia do Blogger.