It Pop Apresenta: tire alguns minutos do seu dia para conhecer a sonoridade cheia de personalidade do SEVENTEEN


Faz tanto tempo que não falamos sobre o k-pop aqui no It Pop que ele já até aconteceu em blogs amigos, né? Hoje, resolvemos trazer um grupo que não é famoso até mesmo na Coreia, mas que está salvando sua gravadora quase em falência e, através de nós, você poderá dizer de boca cheia que conheceu o sucessor do Super Junior primeiro em nosso blog, quando ele ainda lutava para conquistar seu lugar ao sol. Estamos falando do SEVENTEEN (sim, tudo em caixa alta), que busca não depender de algo pronto, fazendo algo para realmente chamar de seu.

O grupo funciona através de um sistema de subgrupos, totalizando 3 (Performance Team, Vocal Team e Hip Hop Team). Cada time cumpre sua determinada função, mas isto não impede que membros do Performance (que, tecnicamente, deveriam apenas dançar) cantar, por exemplo. No Performance Team, temos Hoshi (líder da sub-unit e responsável pelas coreografias do grupo), THE8, Dino e Jun; no Hip Hop Team, temos S. Coups (líder do grupo e sub-unit), Vernon, Mingyu e Wonwoo; no Vocal Team temos Woozi (líder da sub-unit e responsável pela produção e composição das músicas), Joshua, DK, Jeonghan e Seungkwan.

Da esquerda pra direita: Hoshi, S. Coups e Woozi.

Da esquerda pra direita: Dino, THE8, Jun, Vernon, Mingyu, Wonwoo, Joshua, DK, Jeonghan e Seungkwan.

Inicialmente, o SEVENTEEN nunca existiria. O grupo que debutaria em seu lugar era chamado Tempest. Entretanto, membros daquele grupo deixaram a empresa e assim nasceu o 17. Quando anunciada a boyband, foi dito que teríamos 17 integrantes, que se dividiriam em três sub-units, e estas se promoveriam na China, Japão e Coreia. Como vemos hoje, 13 garotos debutaram, e seus três times foram colocados em prática, mas por enquanto, nada de promoções em diversos países.

Mas se são 13 membros, por que o grupo continuou chamando SEVENTEEN? A gravadora "não contava" com a saída de alguns membros até o debut, e como o grupo já era relativamente conhecido, rebatiza-lo não seria a opção. Caso desse um novo nome ao 17, a confusão por quem não acompanhava os meninos seria inevitável. Para justificar o nome, a Pledis correu pra matemática: 13 integrantes + 3 units + 1 único time = 17. Esperta, né nom?

Após um pouco mais de 2 anos, finalmente foi anunciado o "17 Project: Debut Big Plan", um reality pela MBC (um canal coreano) em que os garotos cumpriram diversas missões para ter a tão merecida estréia. No decorrer do programa, topamos com os bastidores para o debut, e em meio deles, acompanhamos a produção de "Shining Diamond", música que resume a trajetória dos 13 e diz que, mesmo com as dificuldades, eles são fortes como diamantes. É tipo uma "Born This Way", só que em coreano.



A última missão do grupo foi reunir 1000 fãs para um showcase de uma hora. Por fim, reuniram as escravas, realizaram o tão sonhado show e, por fim, debutaram com "Adore U" e o seu primeiro EP, o "17 Carat", com canções recheadas de personalidade, porém causando algo confuso na impressão final — mas este não é o tópico de hoje.

"Adore U" conta com produção do Woozi (assim como todo o EP) e coreografia feita pelo Hoshi. Tem uma sonoridade convidativa e original, falando sobre uma declaração, o quão difícil está sendo faze-la e o quanto ela incomodava enquanto não fizesse. É bobinha sabemos, mas funciona e os "akkinda" da canção não saem da cabeça. O único problema foi a distribuição de linhas, uns cantam bastante, outros ficam apenas no "tchauzinho", mas nem relevamos por ser o mal de grupos com muitos integrantes, 13 no caso.



Antes que corram nos comentários, sabemos que o vídeo é estranho, totalmente desconexo com a canção e os vários cenários + um chroma key resultou em uma mistura um tanto quanto desagradável. Sorte que, por serem novos no mercado, houveram versões incontáveis, desde acústica mostrando o poder do Vocal Team à versão toda trabalhada no fanservice com troca de linhas, em que acabou sendo feita justiça às mudas, que "cantaram" partes que não eram suas.

Entre programas e fansigns, foram quase dois meses de promoções e os integrantes sempre que tinham a oportunidade, soltavam que já estavam preparando-se para seu retorno, e sem descanso algum, determinados a acontecer na Coreia. Então, após alguns teasers, surge "Mansae" (novamente com produção do Woozi e coreo do Hoshi) e o EP "Boys Be" (com participação total dos integrantes no processo criativo, além da produção do Woozi) na rede mundial de computadores, e a evolução é evidente, em ambos os trabalhos. O single é, de fato, mais genérico (assim como seu clipe), porém necessário para tornar-se um hit ou pelo menos ter um número relativamente bom de downloads legais porque, caso não tenha, o grupo entra em hiatos ou é desfeito — o mercado coreano é frio, se não deu certo, "matam" o grupo e passam para o próximo. Entretanto, foi corrigido o problema na distribuição de linhas e todos têm o seu momento de brilhar como um diamante, além de investirem novamente no chiclete e o "mansae, mansae, mansae, yeah" grudar na cabeça assim como o "akkinda".



Enfim, caso tenha se interessado pelos 13 garotos do SEVENTEEN, recomendamos escutar "Boys Be" aqui e até o (quase) confuso e desconexo "17 Carat" aqui. Para o primeiro, recomendamos as faixas "Rock" e "OMG", já para o segundo, "Adore U" e "Shining Diamond". E, ainda que não esteja acostumado com os vocais em um idioma completamente estranho misturado ao inglês, pedimos dar play na performance abaixo — última chance, viu? Já é difícil encontrar grupos de k-pop que trabalhem por si mesmos, escrevendo, compondo e produzindo suas próprias canções, não é? Agora, adicionem excelentes apresentações, cheias de carisma e longe dos playbacks (nem sempre). O número reduz bastante, né?



Tecnologia do Blogger.