Qual o melhor disco pop lançado nesta semana e por que é o ‘No Good’, CD de estreia da Ivy Levan?

Era janeiro do ano passado quando falamos pela primeira vez da cantora e compositora americana Ivy Levan, um dos mais novos e promissores investimentos da Interscope Records, gravadora que, entre tantos nomes, botou fé na Lady Gaga e Lana Del Rey, lançando seus respectivos discos de estreia, e agora coloca suas mãos sob os trabalhos da novata aqui.



Para o caso desse ser seu primeiro contato com Levan, é ideal que você saiba que a mulher tá longe de cumprir um padrão redondinho para as rádios, com músicas que pareçam hits prontos ou qualquer coisa assim. Muito pelo contrário, ela vem com visual e sonoridade retrôs, numa coisa entre os anos 50 e 60 que, somado à sua postura classuda, nos remete à artistas como a Amy Winehouse e Duffy, só que com o vozeirão e apetite pop da Christina Aguilera. Mistura inusitada, né? E tá bem por esse caminho mesmo.

Aqui no blog, Ivy já passou com músicas como “The Dame Says” e “Hang Forever”, do seu EP de estreia, “Introducing The Dame”, mas o primeiro contato efetivo do blogueiro que vos fala (oi, gente!) com a moça foi mesmo em “27 Club”, o segundo single do seu álbum de estreia, “No Good”, e com produção de ninguém menos que o Diplo.



Quem acompanha meus posts por aqui, deve saber que falou Diplo, eu estou lá, mas a surpresa com “27 Club” foi IMENSA porque Ivy Levan não só conseguiu entregar uma produção impecável, como também tirou Diplo de sua zona de conforto, deixando de lado toda aquela baderna para twerk do Major Lazer e produções como “Bitch I’m Madonna” para assumir a musicalidade sessentista que mencionamos acima.

O resultado foi esse hino abaixo, uma razão mais que significativa para nunca mais tirarmos os olhos da americana:



DAÍ QUE CHEGAMOS NO DIA 7 DE AGOSTO e, sabe o que isso significa? Que é o dia de lançamento de “No Good”, o CD de estreia da moçoila que, além da parceria com o Diplo em “27 Club”, traz também o single “Biscuit” e os promocionais “The Dame Say” (make. money. work.) e “Best Damn Thing” (Avril’s impact?), sem falar no seu próximo single, a parceria com o Sting em “Killing You”, e mais uma porrada de músicas incríveis mesmo!

Abaixo há um player em que você pode escutar cada uma das novas canções, o que pode ser uma das maiores experiências dos últimos tempos desde a última segunda-feira:



C%R@LHO, HEIN?

Com um disco desses e toda a postura que ela vem apresentando há algum tempo com seus videoclipes, acreditamos que não tardará até que Ivy Levan se torne a próxima grande coisa. Por via das dúvidas, fazemos desde já a nossa parte e, só para garantir, você devia fazer a sua também, compartilhando sobre ela em suas redes sociais e espalhando seu hinário de estreia para o máximo de amigos possíveis. É o que chamamos de uma emergência pop.

Levando em consideração que o próximo single da cantora, “Killing You”, tem uma proposta um pouco mais radiofônica, ainda que não muito distante do que ela fez com o Diplo em “27 Club”, estamos na torcida pra que a Interscope não perca a oportunidade de promove-la até que seus clipes passem a quebrar a internet. Realmente há muito o que aproveitar neste primeiro material e, sendo seu CD de estreia, imagina o que ela não fará daqui alguns anos?

Vida longa à Ivy Levan!
http://i.giphy.com/LDYDYu9gRpNLi.gif
Tecnologia do Blogger.