Overdose | O possível fim da era Bryan Singer e o reboot mais sutil de toda a franquia 'X-Men'


Dez meses após a última edição do Overdose sobre "Maze Runner", eis que a coluna ressurge das cinzas como uma fênix e prontinha para voltar de vez (dessa vez é verdade, gente). Eu sei que vocês clamavam pela sua volta, não precisa ir nos comentários agradecer, já aviso. Na verdade, quem queria a sua volta era eu mesmo, mas a ~~~falta~~~ de tempo e o meu próprio desinteresse por ela fez com que eu adiasse mais e mais a sua volta, caindo no esquecimento de muitos (inclusive no meu). Mas, AGORA VAI!

A coluna, que quase foi rebatizada, volta praticamente no mesmo formato, mas com um toque de jazz para dar certo. Brincadeiras à parte, pouca coisa mudou e, na verdade, muitos de vocês sequer notarão alguma diferença. Quem acompanha desde a primeira edição, sabe que eu pegava algum lançamento x da semana ou mês e montava um texto bem bonitinho com curiosidades ou encheção de linguiça como nas últimas publicações - sejamos sinceros, né, queridos? A coluna ainda usa, na maioria das vezes, o mesmo gancho, mas escolhe uma temática mais ampla, e vem com um monte de blah blah blah mais refinado. Entenderam? Se não, no decorrer do post entenderão. Aaah, lembrando, o Overdose volta a ser lançado mensalmente, tá? Nada de post toda semana porque eu não sou obrigado e acaba saindo tudo meia boca.

Pra começar essa versão Roman Reloaded Revamp To Check, confesso que foi um parto escolher um tema. Comecei com um que quase entrou para publicação deste mês, depois com outro que achei melhor esperar a chegada de dezembro, um que ficou prontinho, mas que por algumas desventuras teve de ir pra geladeira - um dia sai, tipo "DWUW" - e, por fim, cheguei em algo que resultou no que vocês lerão daqui pra frente: "X-Men"! Diferente da proposta inicial, mas nem tanto, não temos um grande lançamento aqui para impulsionar tal discussão. Tá sendo bem aleatório mesmo, de verdade. Não só pra vocês quanto pra mim também, tive tal ideia enquanto estava assistindo "Friends". Lógica? Não temos.

Mas chega de enrolação porque já foram três parágrafos bem longos, temos muita coisa pela frente e arroz no fogo.


Foi lá no final da década de 90 que Marvel, A Falida teve de vender os direitos de diversos personagens para vários estúdios de cinema para tentar sair do vermelho. Num verdadeiro leilão, cada produtora pegou o que bem entendeu. E como vocês já sabem, a Fox foi a papa-heróis pegando praticamente todo o universo dos X-Men, além do Quarteto-Fantástico. Mas foi só em 2000 que o primeiro filme dos mutantes nasceu, dando início ao singerverso - termo este que explicarei daqui a pouco.

Com direção de Bryan Singer, "X-Men: O Filme" trouxe um impacto para toda a industria de cinema. Até aí, ninguém botava fé em filmes de super-heróis, ainda mais com aquela coisa que chamam de filme com o George Clooney e os bat-mamilos. Foi com ele que pudemos ter a quase perfeita trilogia de Sam Raimi para o Homem-Aranha, os prometidos filmes da DC Comics e o gigantesco universo cinematográfico da ingrata da Marvel, que hoje e nos quadrinhos, anda fazendo várias tramoias para ter os direitos de seus personagens de volta.

Impactante ou não, o longa-metragem deu início ao que chamei de singerverso lá em cima. Antes de tudo, já falo que o termo não foi inventado por mim, e vi ele pela primeira vez no YouTube. Enfim, o singerverso seria todo esse universo "criado" por Bryan Singer. Todo bagunçado, mas "criado" por ele. O diretor desde "X1" esteve envolvido em quase todos os filmes da franquia, e quando não era dirigindo, era produzindo. Mas, aparentemente, ele está chegando ao fim. E nós não poderíamos estar mais do que agradecidos.

Tirando o pequeno fanservice em "Primeira Classe", eu (quase todos, na verdade) tinha acreditado que o fim do singerverso havia chegado ali, mas tivemos "Dias de Um Futuro Esquecido", pisando em todas as falsas esperanças. Porém, tudo indica que sua morte está programada com "X-Men: Apocalipse" e "Wolverine 3", com rumores pela rede mundial de computadores e alguns são bem radicais, falando que a Fox planeja rebootar de vez o universo, indo contra o crossover com a nova formação do Quarteto-Fantástico, ao "Deadpool", que até agora não sabemos se é um filme independente ou interligado aos outros, e ao filme "Os Novos Mutantes". Mas será que a Fox realmente está disposta a jogar tudo fora e começar do zero?

A linha cronológica da franquia pode estar toda errada e seu último filme bagunçou ainda mais ela, mas a mesma está gerando um lucro danado e o Bryan Cantor saber muito bem o que faz, apesar de tudo. Vocês queriam o elenco antigo de volta? Ele trouxe. Vocês queriam fidelidade nos trajes dos heróis? Ele está trazendo. E como se não bastasse ele entregar bons filmes, a maioria dos fãs também o adoram, ficaram pê da vida quando ele preferiu "Superman: O Retorno" a "X-Men 3" e clamaram pela sua volta após "X-Men: Primeira Classe", que trouxe um elenco completamente novo e é considerado para muitos e para o blogueiro que vos fala o segundo melhor filme dos alunos do Professor X.

Apesar dos fatores acima contribuírem para que o recomeço não aconteça tão cedo, já outro parece forte suficiente para tal. Temos dois grandes atores da franquia que ~confirmaram~ o fim de suas participações na franquia. Hugh Jackman fala desde sempre que viverá o carcaju apenas mais uma vez, mas parece que agora é verdade e "Wolverine 3" será o seu último filme na pele do personagem-título. Enquanto isso, Jennifer Lawrence, num papo super rápido com a MTV, disse que "Apocalipse" será o seu último filme mutante, mesmo que não descarte a po$$ibilidade de retornar.

Tudo parece confuso, concordo, mas se eu te falar que ambas as ideias (o fim e o recomeço) andam de mãos dadas e tomam até lanche no recreio juntas? Sim, posso estar até um pouquinho louco, mas faz sentido. Como vocês sabem, o novo filme da franquia reintroduzirá Jean Gray, Tempestade, Cyclops e Noturno - além da Jubileu, é claro. Temos nomes promissores e um que deve ter custado um pouco caro com todo o hype da série da HBO. Vocês acreditam que os cinco serão descartados após "Apocalipse"? Seria um investimento muito grande para algo muito pequeno.

O fim do singerverso não significa necessariamente um reboot, e sim apenas ao diretor Bryan Singer abandonando o barco. Assim como um recomeço não significa o fim da era Singer. Mas, com alguns nomes novos no elenco, Hugh Jackman dando adeus ao Wolverine e Jennifer Lawrence ficando nesse vai ou não vai, uma nova trilogia não pode ser descartada. As faces desta terceira geração de mutantes não ficarão apenas em "Apocalipse", e provalmente serão usadas em futuros filmes, trazendo (futuramente) cada vez mais novas identidades aos personagens já conhecidos. O reboot é sutil, quase imperceptível e visual. A gente mal pisca e ele já aconteceu.

ENFIM, falar do futuro da franquia "X-Men" é complicado. Muitos rumores e poucas confirmações. Em time que está ganhando não se mexe, mesmo que os jogadores joguem mal. Sendo assim, Bryan Singer não deve sair tão cedo da franquia, ainda que necessário. O reboot? Ele pode estar acontecendo diante os nossos olhos e nem estamos percebendo. Vai ser gradativo, sendo feito aos poucos. Caso a Fox faça a louca e reboote tudo mesmo, não quero nem tentar relacionar o filme solo do Deadpool, Gambit, o filme dos Novos Mutantes e o provável crossover com o Quarteto com tudo isso.

***

E é só isso, mas nada. Bem, meus amores, espero que vocês tenham gostado. Deixem nos comentários opiniões sobre a volta do Overdose, e deem também sugestões pro tio melhorar cada vez mais a coluna. Tchau e até a próxima! Nos vemos numa quarta-feira qualquer por aí, ou quando me der na telha de postar a edição do próximo mês. Beijinhos de luz. ♥
Tecnologia do Blogger.