O fim das Neon Jungle foi um dos acontecimentos mais tristes dessa semana :(


O MUNDO É UM LUGAR BEM INJUSTO.

Demorou até que tivéssemos interesse por alguma girlband nos últimos anos, ainda que tenhamos um carinho enorme pelas britânicas do Little Mix, além de uma admiração crescente pelas americanas do Fifth Harmony, mas sabe o que faltava? Um grupo que apresentasse algum diferencial, que unisse todas as tribos como foi as Destony’s Child.

E sabe aonde encontramos isso? Com as londrinas do NEON JUNGLE.


O quarteto, que chegou até a internet com o single “Trouble”, parecia ser justamente aquilo que sentíamos falta em todas essas outras girlbands da atualidade e, longe de cumprir aquele padrão Pussycat Dolls, vinham decididas a apresentar um trabalho autêntico, relativamente ousado e, o melhor, com produções que eram verdadeiras bombas de efeito pop moral.


Quando lançou o seu segundo single, “Braveheart”, seguido de “Welcome To The Jungle”, estava mais que comprovado o valor das Neon Jungle e, o principal, o quão promissor poderia ser o seu futuro se essas músicas caíssem nas mãos certas, e ainda que a reação do público tenha sido significativamente positiva com os outros singles, “Louder” e “Can’t Stop The Love”, além do seu disco de estreia, o magnifico “Welcome To The Jungle”, elas morreram na selva.


Atualmente realizando cortes em seu orçamento (watch your back, [coloque aqui o nome daquela cantora que tá 100% nem aí pra sua carreira]!), a Sony Music encerrou o seu contrato com a girlband e, consequentemente, as hitmakers de “Bad Man” optaram por parar seu trabalho por aqui, comunicando pelo Facebook que elas não estavam exatamente se separando, naquela história de que pra sempre serão apenas uma, mas que suas atividades acabariam por aqui. :(

Elas também falaram de uma tal de Ohana, qual adoraríamos que fosse algum novo projeto em andamento, mas foi só uma forma poética de avisar, “cabô, galera, foi da hora enquanto durou”.

Confira o comunicado na íntegra abaixo:

“‘Ohana’ significa família e família significa que ninguém é deixado para trás ou esquecido. Este tem sido nosso mantra desde o primeiro dia e sempre será.

Nós começamos nossa jornada em um grupo feminino desconhecido e sem nome há apenas dois anos. Neste tempo, nós passamos (bem rápido) de quatro estranhas para quatro completas melhores amigas. Deixamos de ser desconhecidas para sermos reconhecidas no mundo todo. Deixamos de ser sem nome para sermos 'Neon Jungle'.

Neon Jungle é Ohana. Ohana formada por todo amor e apoio que recebemos nestes dois últimos anos. Por isso, é extremamente difícil escrever isso.

Depois de muitas discussões honestas e emotivas, nós todas concordamos com um tremendo peso no coração que essa é a hora de nós continuarmos nossas jornadas individualmente. Isso não significa, nem por um segundo, que estamos separadas. Sempre estaremos nas vidas umas das outras e sempre apoiaremos umas as outras.

Apesar desta ser uma realidade de partir o coração para nós, também é extremamente excitante e adoraríamos que vocês todos continuassem também nessa jornada conosco. Ohana é para sempre. Muito obrigado por tudo do passado, presente e futuro.”


E a parte que, daqui em diante, muito nos interessou neste comunicado foi: “nós todas concordamos com um tremendo peso no coração que essa é a hora de nós continuarmos nossas jornadas individualmente”.

QUE MORTE HORRÍVEL PRA ESSA CARREIRA QUE MAL COMEÇOU. :(


Aos interessados, Neon Jungle era formada por Shereen Cutkelvin, Amira McCarthy, Jess Plummer e Asami Zdrenka, todos nomes que, a partir de agora, ficaremos de olho na espera de qualquer movimento suspeito. Se elas tiverem mais sorte que a Nicole Scherzinger, já será um bom começo.
Tecnologia do Blogger.