'Nos alimentam à força com nomes como Ed Sheeran e Sam Smith [...], as coisas não podem ficar piores', diz ex-líder da banda The Smiths sobre a música atual


Morissey, ex-líder dos Smiths e nome mais que conceituado no meio do rock, sempre foi muito franco em suas entrevistas, que vão desde política a assuntos musicais. E, numa delas, dada recentemente ao Boulder Weekly, ele soltou o verbo ao ser questionado sobre o que pensava a respeito do atual cenário da música mundial, cada vez mais fechado aos gêneros que eram sucesso absoluto anos atrás. Culpando, cada vez mais, o mundo dos negócios que esse meio se tornou:

"Não há mais bandas ou cantores que se tornam bem-sucedidos sem o peso do marketing. Não há histórias de sucesso com surpresas. Tudo é controlado, óbvio, previsível e tem exatamente o mesmo conteúdo"

Até aí, tudo ok e com vários pontos realmente relevantes, soando até como uma ótima leitura do cenário atual, que já cansou de comprovar que não é só de gente talentosa que vive. Afinal, o que tem de gente que não compõe, não toca algum instrumento ou, minimamente canta, e fazendo muito sucesso, é algo comum nos dia de hoje. Enquanto nós, enquanto consumidores, aceitamos numa boa.

Continuando a entrevista, Morissey falou sobre a falta de identidade que muitos dos artistas atuais sofrem, sendo facilmente marionetes de suas respectivas gravadoras. Porém, a parte que realmente nos chamou atenção neste trecho, é quando ele cita seus conterrâneos e duas das maiores estrelas mudiais, Ed Sheeran e Sam Smith, como exemplos de seu raciocínio:

"Então, estamos na era dos popstars comercializados, o que significa que a gravadora controla as paradas e, consequentemente, o público perde o interesse. É raro quando uma gravadora faz algo pelo bem da música. Dessa forma, nos alimentam à força com nomes como Ed Sheeran e Sam Smith, o que pelo menos significa que as coisas não podem ficar piores. É triste. Não há espontaneidade e tudo parece irrecuperável".

Declarações bem fortes contra dois dos mais talentosos, vendáveis e aclamados artistas do último ano, sendo que no caso de Sam, ainda tem o atenuante de ser um dos maiores premiados do último Grammy com seu material de estreia, composto inteiramente por ele. Mas, num geral, Morissey quis apenas dizer que a indústria atual é uma farsa (o que faz sentido até, mas usando os argumentos certos, como em seu início). Porém, quando para confirmar sua tese é preciso "atacar" um colega seu, por mais sincero que soe, não é nada bom e acaba perdendo boa parte da razão, ficando apenas como uma declaração infeliz. 

Hoje, depois de ler as declarações do rockstar, Ed Sheeran se manifestou pelo Twitter, após ser marcado pela NME, dizendo: "Gente, vocês deveriam encarar isso como uma absoluta besteira. Deixando-me de fora da equação, Sam foi a história de sucesso menos previsível do ano passado".


Até o momento em que escrevíamos esse post, Sam Smith não havia se pronunciado sobre o caso. E vocês, o que pensam a respeito das declarações de Morissey e sobre o momento atual da música mundial? Concordam, discordam, tão nem aí? Opinem!
Tecnologia do Blogger.