It Pop elege: os vinte melhores clipes de 2015 (até agora!)

Lançar discos, singles e clipes é uma das coisas mais comuns que vemos artistas fazerem. Alguns conseguem, inclusive, fazer isso com um intervalo mínimo de tempo, outros terminam levando um pouco mais, enquanto uns passam a vida focando num mesmo material, mas o principal, deixando de lado a frequência com que essas coisas são lançadas e, claro, seu desempenho nas paradas globo afora, é a qualidade desses discos, singles e clipes, até porque lançar qualquer uma dessas coisas é fácil; difícil é garantir que eles correspondam às nossas expectativas e sejam extremamente bons. Coisa que, até essa parte do ano, os vinte nomes abaixo conseguiram. 

Anualmente, nós elegemos os melhores singles, clipes e singles do ano, tanto no fim do ano quanto em sua metade, e neste começo do segundo semestre de 2015, não faríamos diferente. Reunindo a opinião de toda nossa equipe, listamos então os melhores do ano (até agora) e, neste post e pelos próximos dias, vocês conhecerão os nossos artistas e lançamentos eleitos. Talvez seja válido ressaltar que só elegemos materiais realmente lançados neste ano, dando um prazo de chegada até o dia 15/06 e restringindo a aparição de qualquer artista mais de uma vez na mesma lista.

CONFIRAM OS VINTE CLIPES DO ANO (ATÉ AGORA) DE ACORDO COM O IT POP:


20. Britney Spears - Pretty Girls (feat. Iggy Azalea)

Com um visual bem anos 80 inspirado no filme "Meu Amante é de Outro Mundo", "Pretty Girls" traz Britney Spears e Iggy Azalea tentando reconquistar o seu lugar ao sol com algo bem simples. No vídeo, a nave espacial de SZN cai na piscina de Britney, e a partir daí nasce a amizade mais improvável possível com uma terráquea e uma alienígena de bumbum avantajado.. Contando com a co-direção da intérprete de "Work", o vídeo é super leve e bem humorado.

19. Rita Ora - Poison

Figurinos impecáveis, fotografia irretocável e muita gente bonita! Da rua à fama, o vídeo de "Poison", de Rita Ora, é dirigido por Cameron Duddy e explora as diversas problemáticas que o sucesso repentino traz para a vida de quem passa do anonimato ao status de celebridade. No vídeo, Rita se torna uma supermodel da noite pro dia, o que acaba afastando-a de seus amigos e da realidade em que sempre viveu. Enredo super envolvente! Achamos tudo sensacional.

18. J. Cole - Wet Dreamz

A perda da virgindade é um tabu que assola boa parte da humanidade desde que se tem notícia desta, certo? Talvez, pensando nisso, o rapper J. Cole resolveu apostar nesses medos e incertezas para criar, ao lado do diretor Ryan Staake, o conceito para a parte visual de "Wet Dreamz". Porém, não de uma forma que seria "comum" quando o assunto principal de sua música é o sexo. Apostando na inocência de dois cachorros para serem os protagonistas apaixonados em busca de sua primeira vez e num jogo de câmeras espetacular, o resultado é um dos clipes mais inteligentes, dinâmicos, divertidos e adoráveis desse primeiro semestre.

17. Nicki Minaj - Feeling Myself (feat. Beyoncé)

Ainda sob exclusividade do Tidal (mesmo quase dois meses após o lançamento oficial), "Feeling Myself" é um delicioso jogo de imagens cheio de diversão e muita sensualidade, intercalando cenas do festival Coachella. Dava pra esperar menos de Nicki Minaj e Beyoncé? A resposta é um sonoro "não". Muitas cores, cenários maravilhosos, coreografias requintadas! Essas duas ensinaram pra gente que em alguns raros casos, quanto mais, melhor.

16. Brandon Flowers - Can't Deny My Love

Ótimas músicas nem sempre rendem clipes à altura, certo? Com "Can't Deny My Love", por sorte, isso não aconteceu e o resultado é um fantástico clipe. Dirigido pela dupla Robert Schober/Pat Scola e com fotografia impecável, vem todinho inspirado numa história épica e cercada de mistério, onde Brandon, desconfiado do comportamento de sua mulher (ou seria tomado por sua paranoia?), interpretada por Evan Rachel Wood, sai dos domínios de seu vilarejo rumo a uma montanha onde acontece uma série de rituais estranhos, aos quais acredita que ela faça parte. Mas será que ele está realmente certo?

15. Tove Lo - Talking Body

Acontecimento pop de 2014, a sueca Tove Lo trouxe em "Talking Body" um grande clipe, provando que "menos é mais". Com uma história simples, mas muito bem executada dirigida por Andreas Weman, vemos a cantora atravessar todo um estúdio escuro em meio às mais variadas situações - motel, inferninho e até um carnaval de rua - em busca de um misterioso boy magya em fuga, culminando em seu inesperadamente sádico, mas sedutor, final.

14. Charli XCX - Doing It (feat. Rita Ora)

Muito chroma key, muito rosa e uma fotografia que remete a filmes antigos. Tudo nos faz entender que a continuação de "Telephone" demorou, mas finalmente chegou! Em "Doing It", Charli XCX e Rita Ora são duas fugitivas da polícia que, entre muita diversão e homens sarados, buscam sua liberdade sem medo de ser feliz. Agora pare e pensa: com todos esses elementos, tem como isso dar errado? Ponto pras meninas.

13. MAX - Gibberish (feat. Hoodie Allen)

O clipe de "Gibberish" do novato MAX é capaz de confundir até os mais atentos! Cheio de efeitos especiais, o cantor interpreta a música enquanto alguns dançarinos fazem movimentos reversos que, surpreendentemente, encaixam perfeitamente com as ações de MAX. A gente vê, revê e continua sem entender como tudo foi planejado. Em meio a tanta perfeição cinematográfica, seria um pecado deixá-lo fora de uma lista que elege os melhores clipes do ano (pelo menos até agora).

12. Years & Years - King

Nós já avisamos que em terra de It Pop, Years & Years é rei, e depois de figurar na nossa lista de melhores singles, eles não poderiam ficar de fora, não é mesmo? O clipe de "King" reúne uma combinação perfeita de ótimo single + performance corporal, nos mostrando o vocalista, Olly Alexander, controlado por vários dançarinos coreografados pelo brilhante Ryan Heffington, responsável, entre outros, por "Chandelier" e "Elastic Heart", da Sia. E, caso você assista ao clipe e ainda não o entenda, saiba que o conceito está no refrão da música, "I was a king under your control".

11. Allie X - Catch

A estreante Allie X, uma das trigêmeas perdidas da Lady Gaga (a outra é a Lykke Li), jogou algumas faixas aleatórias em seu Soundcloud ano passado para preparar o terreno para o lançamento do seu EP de estreia, "CollXtion I", e o carro-chefe do material é a tóxica "Catch", que ganhou um dos clipes mais incríveis que vimos nos últimos tempos. Montado como se fosse um GIF gigante, o vídeo é completamente feito com imagens sobrepostas e animadas que dão um efeito robótico incrível ao vídeo, impulsionado pelas imagens surrealistas da cantora, que pela primeira vez mostrou seu rosto por completo. "Catch" é pop que enche os olhos e assusta na mesma medida, o que é sempre sensacional.

10. Bonnie McKee - Bombastic

Reeditando aqueles vídeos "podrões" de ginástica dos anos 80, Bonnie McKee transforma o seu pop radiofônico num clipe trash sem precedentes. Mas pera, então porquê está entre os melhores clipes? Porque com tantas ferramentas utilizadas nos clipes de hoje para retocar o que já era perfeito, nada melhor que fugir dos padrões pra fazer algo igualmente incrível. Com direito a lasers saindo do peito, dancinhas insanas e uma explosão de cores, "Bombastic" é aquele VHS que você não quer se desfazer dele.

9. Zella Day - Hypnotic

Você já imaginou como seria Lana Del Rey sem sua vontade de estar morta? Se já, seus problemas acabaram: eis Zella Day. A cantora, uma versão mais pop e feliz da rainha dos lábios de 15kg, lançou seu álbum de estreia (escandalosamente maravilhoso) esse ano e, mostrando como se faz, lançou a obra-prima que é o clipe do hino "Hypnotic". Inspirado pesadamente pelo filme "A Montanha Sagrada", o vídeo conta a história de um amor narcotizante entre Zella e um mago andarilho sexy e descamisado, que praticamente a possui com seus rituais mágicos, tudo nos moldes do filme, com alguns cenários exatamente iguais. Locações, figurinos, iluminação, efeitos especiais, tudo é milimetricamente costurado para dar o ar alucinógeno e onírico do clipe, uma das melhores coisas que vimos de artistas estreantes nos últimos tempos.

8. Florence + The Machine - What Kind Of Man

Florence sempre se destacou pela parte visual impecável e superproduções de seus clipes. Porém, foi com algo mais cru, como visto em "What Kind of Man", que ela nos surpreendeu muito. Partindo da premissa de um relacionamento arruinado, (aparentemente, por uma tragédia), ela nos faz voltar aos acontecimentos passados que culminaram naquilo, como, por exemplo, o envolvimento dela com outros caras bem melhores e que a valorizavam bem mais que o próprio marido, funcionando, num contexto geral, como a versão moderna de Flo e do diretor Vincent Haycock para a "Divina Comédia", clássico literário de Dante Alighieri.

7. Madonna - Living For Love

O parto do "Rebel Heart", 13º álbum da Madonna, foi cheio de complicações. Desde a saída de um dos álbuns mais fracos de sua carreira, o "MDNA", até o vazamento de TODAS as faixas do novo álbum, a nova era parecia fadada ao fracasso, porém se tem algo que nosso deus maravilhoso sabe é se reinventar. Prova disso é o clipe que abriu os trabalhos, "Living For Love", uma luta metafórica entre Madonna e todos os minotauros de sua vida que diariamente a tentam derrubar. Mas bitch, she's Madonna. Num clipe todo em carmim, a Rainha do Pop orquestra um vídeo fabulosamente simples, que usa de um domínio técnico afiado para transformá-lo em um dos melhores do ano, seja nos jogos de câmera, que fazem um balé pelo cenário, até os figurinos e a plataforma circular onde a proprietária da música pop flutua presa a cabos de aço, para no fim mostrar que minotauro bateu de frente é só tiro, porrada e bomba.

6. Hilary Duff - Sparks

É simplesmente apaixonante saber que um artista, mesmo após um longo hiato, ainda se preocupa em fazer sempre o melhor pros seus fãs. Dona de um dos álbuns mais aclamados do ano até aqui, Hilary Duff se destacou também no quesito visual com o clipe de "Sparks". Usado inicialmente com o intuito de divulgar o aplicativo Tinder, o vídeo ganhou uma edição especialmente para os fãs cheia de coreografias, cores fortes se contraponto e o melhor: uma Duff sorridente, mostrando o quão prazeroso é estar de volta. Nós só podemos agradecer, mulher!

5. Björk - Black Lake

Quando se trata da Björk, a única certeza que temos é que veremos em mãos um trabalho puramente artístico. Tendo estreia exclusiva em sua mostra no Museu de Arte Moderna de Nova York, o clipe de "Black Lake" é quase um mini-documentário de 10 minutos, dirigido por Andrew Thomas Huang, no qual a cantora cria um vídeo minimalista e tocante em meio à paisagem título, em sua terra-natal, a Islândia, enquanto chora e lamenta sua separação com o ex-marido, que serviu de inspiração para o álbum "Vulnicura".

4. Tinashe - All Hands On Deck

Desde o início, a faixa "All Hands On Deck" era uma das preferidas do álbum de estreia da Tinashe. Então, quando ela a anunciou como single, os fãs ficaram em polvorosa. Porém, isso duplicou de tamanho quando ela lançou o clipe pra faixa, que é, apenas, uma das melhores definições do meme "Bicha, a senhora é destruidora mesmo, hein?!". Nele, nossa princesinha urban dá um show de passinhos e sensualidade numa performance memorável dentro de um estaleiro repleto de contêiners. Precisamos de um tempinho pra respirar, porque perdemos o fôlego aqui.

3. Sia - Elastic Heart

Se em 2014 Sia fez de "Chandelier" um dos melhores clipes do ano, em 2015 isso não seria diferente. Trabalhando de novo com a criança-prodígio, Maddie Ziegler, mas agora auxiliada pelo ator Shia Labeouf e, mais vez sob a direção de Daniel Askill, a cantora nos brinda com outra obra de arte, cheia de simbolismo, entrega total e interação fascinante dos protagonistas, dispostos dentro de uma gaiola, representando uma luta interna de Sia consigo mesma, tentando se libertar de seus medos e erros do passado, culminando num final intenso e apoteótico.

2. Major Lazer & DJ Snake - Lean On (feat. MØ)

Se já houveram dois artistas que amamos e nunca receberam o reconhecimento merecido, esses artistas são o Major Lazer e a dinamarquesa MØ. De um lado o batalhão de gingado do Diplo, do outro, a dona de um dos melhores álbuns de 2014. O Major já está no terceiro álbum, enquanto MØ(zão) até tentou ao lado de Iggy Azalea em "Beg For It", mas sem sucesso. E não é que a união fez com que os dois finalmente acontecessem? "Lean On" é tudo o que a Azealia Banks mais tem fobia na vida: a boa e velha apropriação cultural. O bonde do Diplo vai de ônibus até a Índia para nos fazer dançar até o chão com um dos hinos definitivos de 2015, cheios de cenas coloridas, locações vibrantes e a coreografia mais divertida do ano. Se você nunca fez a dança das mãozinhas na balada, você não viveu 2015. Ainda há tempo.

1. Taylor Swift - Bad Blood (feat. Kendrick Lamar)

O clipe mais falado de 2015, obviamente, sofre até hoje os males de sua própria fama: é amado e odiado em proporções bíblicas. Para nós, "Bad Blood" é uma jogada certeira que une tudo o que a cultura pop tem de melhor. Taylor Swift chamou um batalhão de gatíssimas famosas para rechear o vídeo, mas nem é isso que faz de "Bad Blood" ser o clipe genial que é: são suas referências - que vão desde "Kill Bill" até "O Grande Dragão Branco" -, sua direção/produção - feita por Joseph Kahn, que conseguiu magistralmente realizar um verdadeiro curta-metragem de ação hollywoodiano -, e seu roteiro, impecável e divertidíssimo. "Bad Blood" é um autêntico neo-noir que já marcou época. Nós até hoje lamentamos por band-aids não curarem buracos de balas, porque levamos um monte de tiros.


***
E não se esqueçam: ainda esta semana revelaremos nossa lista de melhores álbuns do ano (até aqui) e na próxima segunda a de melhores filmes (until now). Aproveitamos para ressaltar que, de fato, teve bastante lançamentos que não conseguiram uma posição na lista, mas permanecem firmes e fortes em nossos corações. Quer cornetar a gente? Sentiu falta de algum clipe sensacional? Mudaria alguma posição? Tem seu próprio top vinte? Sinta-se à vontade e conte para gente pelos comentários! Até breve.
Tecnologia do Blogger.