5 músicas que podem acabar com o reinado de Wiz Khalifa e sua ‘See You Again’ na Billboard Hot 100

Parece que foi ontem que vimos Wiz Khalifa alcançar pela segunda vez em toda sua carreira o primeiríssimo lugar da Billboard Hot 100, nada menos que a principal parada de singles dos EUA, com a parceria do novato Charlie Puth em “See You Again”, entretanto, quem dera realmente fizesse apenas um dia que isso aconteceu e não torturantes doze semanas. Isso mesmo, DO-ZE-SE-MA-NAS. D-O-Z-E-S-E-M-A-N-A-S. 12 SEMANAS dominando a principal parada musical da Terra do Obama e, infelizmente, não por ser a melhor música de sua carreira nem uma produção que realmente mereça toda essa atenção, mas sim uma oportunista homenagem ao ator Paul Walker, que faleceu um pouco antes da estreia do filme “Velozes e Furiosos 7”, qual protagoniza e, olha só, tem “See You Again” na trilha sonora.

Nos chame de insensíveis e tudo mais, mas não tem como olhar pra letra de “See You Again” e não pensar no quão Sônia Abrão foram Wiz Khalifa, Charlie Puth e toda sua equipe na produção, lançamento e divulgação dessa faixa e, sendo assim, a cada semana que víamos a canção no topo da parada da Billboard, torcíamos para nunca mais vê-la de novo. Coisa que, se estivermos certos, está beeem perto de acontecer.



O primeiro indício de que “See You Again” finalmente está com seus dias contados é que o rapper Wiz Khalifa nunca foi um nome realmente relevante nos EUA. O rapper, tão importante na indústria de lá quanto o MC Guimê por aqui, já fez diversas aparições na Hot 100, mas sempre bem longe do topo e, entre seus maiores feitos, com exceção do hit atual, podemos citar “Black and Yellow” (seu primeiro #1, em 2010), “No Sleep” (#6 em abril de 2011), “Roll Up” (#13 em junho de 2011) e “Work Hard, Play Hard” (#17 em maio de 2012), sendo suas outras aparições em colocações bem menos expressivas, como a parceria com o The Weeknd em “Remember You”, com pico de #63, e com o Akon em “Let It Go”, que chegou até #87.

O segundo indício é que seu reinado não pode durar pra sempre, né? O maior período que uma música já passou no topo da Billboard Hot 100 foram dezesseis semanas, sendo o título de Mariah Carey e sua “One Sweet Day”, em parceria com o Boyz II Men, de 1995, e se igualando com as doze semanas de Wiz Khalifa, temos canções como “Blurred Lines”, do Robin Thicke (2013), “Boom Boom Pow”, do Black Eyed Peas (2009), “Yeah!”, do Usher (2004), “Lose Yourself”, do Eminem (2002), e “Smooth”, do Santana (1999). Acima deles, ainda temos faixas que se seguraram por intermináveis QUATORZE semanas, incluindo músicas do Black Eyed Peas, mais Mariah Carey, Elton John, Whitney Houston, entre outros.



Por fim, o indício mais convincente de todos é o fato de que a fila anda e, falando da Hot 100, isso fica mais claro toda semana, conforme músicas sobem e descem periodicamente e, de vez em quando, terminamos surpresos com algumas faixas que ascendem meteoricamente e, quando nos damos conta, já estão lá por outras 12 semanas. Na ansiedade em ver Khalifa finalmente perder seu topo, tanto por “See You Again” não ser lá aquelas coisas quanto pela música ser uma verdadeira filhadaputagem disfarçada de homenagem, apenas monetizando um pouco mais o falecimento de Walker, que já rendeu uma bilheteria e tanto para o último “Velozes”, reunimos então algumas faixas que botamos fé no potencial de derrubar o rapper e sua parceria com Charlie Puth, analise conosco:

— “Cheerleader”, OMI —
Sabe aqueles hits que tocam até enjoarmos e nos arrependermos de viver na Terra? Então, “Cheeleader” tem muita cara de preencher o requisito. A música do cantor jamaicano OMI foi lançada em 2012 (!), mas ganhou um remix Felix Jaehn, que relançou a música com o selo Ultra Music (gravadora de música eletrônica que, entre tantos nomes, lançou Pitbull e Inna para o mainstream) em maio do ano passado e, sabe aquela coisa de lugar certo na hora certa? É mais ou menos o que aconteceu, uma vez que a faixa veio ganhando a atenção do público aos poucos e nesta semana surgiu na segunda posição da Hot 100, apenas abaixo de “See You Again”.



Em abril desse ano, notando a ascensão da música, a gravadora já havia lançado uma nova versão do seu clipe, que ultrapassou os 50 milhões de acessos no Youtube, e se souberem trabalhar bem esse movimento positivo em torno da faixa, que mescla reggae com música eletrônica, podem conseguir o primeiro #1 americano da história da Ultra Music, nos satisfazendo também em finalmente encerrar o reinado de Wiz Khalifa.

— “Watch Me”, Silentó  
Em outubro de 2014, Miley Cyrus decretou a obsolescência do twerk e, dentro dos shows da Bangerz Tour, introduziu ao seu público uma nova dança, chamada nae nae. Foi também em outubro a última vez que ouvimos falar na coreografia, que terminou não rendendo nem metade do que foi o twerk, mas eis que o nome nos soou familiar quando encontramos “Watch Me”, single de estreia do rapper Silentó, que viralizou em janeiro desse ano e, um pouco depois, conseguiu um contrato com a Capitol Records, mesma gravadora da Katy Perry, que logo tratou de explorar um pouco mais do potencial da faixa.



Sem muito o que dizer, o viral de Silentó só conseguiu chamar a atenção por 1) sua letra irritantemente repetitiva e, consequentemente, chiclete e 2) fazer referência à inúmeras coreografias características do hip-hop, o que inclui a novidade “nae nae” e até o clássico do Soulja Boy, que é a dancinha do Superman em “Crank That”. Em destaque nas paradas da Austrália, França, Alemanha e Nova Zelândia, “Watch Me” foi oficialmente lançada como single em abril desse ano e, no Youtube, ganhou um novo clipe, mostrando então toda essa mistureba de danças. Se prestarem atenção, tem até um pouquinho do brasileiro “Passinho do Romano”, hahaha. Nas últimas semanas, a faixa teve um ganho significativo em streams e vendas, subindo quatro posições na Hot 100 e, sendo assim, aparecendo em seu terceiro lugar, acima de Taylor Swift e sua massivamente divulgada “Bad Blood”.

— “Where Are Ü Now”, Jack Ü e Justin Bieber —
Diplo e Skrillex conseguiram pela primeira vez em toda sua carreira emplacarem um hit na Billboard Hot 100. A parceria com o canadense Justin Bieber em “Where Are Ü Now”, presente no disco de estreia dos dois com o projeto Jack Ü, foi daqueles sucessos espontâneos, que já se destacavam antes mesmo de anunciarem como single, e depois de toda essa recepção, foi inevitável: lançaram a faixa nas rádios, clipe no Youtube e até começaram a apresentá-la com a participação de Bieber. O grande segredo de “Where” tem sido o trunfo de Diplo desde sua ascensão como produtor, essa sonoridade trap não convencional, e enquanto alguns se incomodam com seu sucesso, como foi o caso do Deadmau5, que até lançou uma paródia para essa parceria, o público só tem a comemorar, até porque a faixa é uma das melhores coisas que ouvimos neste ano.



Um dos grandes responsáveis pela ascensão de “Where Are Ü Now” foi o lançamento do seu videoclipe, que conta com a participação de Justin Bieber por trás de ilustrações feitas pelo público. Entre os desenhos, temos tanto referências à música quanto brincadeiras com a vida pessoal do cantor canadense, o que inclui menções à sua ex-namorada, Selena Gomez, outro fator que favoreceu a procura pelo vídeo. Atualmente, a parceria está no oitavo lugar da lista, o que registra um crescimento de nove posições desde a última semana, tá?

— “Can’t Feel My Face”, The Weeknd 
The Weeknd tem muito a agradecer pelo convite para a trilha sonora de “Cinquenta Tons de Cinza”, porque foi justamente sua participação, com a canção “Earned It”, que fez com que muito mais gente passasse a prestar atenção em seus trabalhos, o que inclui um dos seus singles mais recentes, “Can’t Feel My Face”. Dando sequência à um processo natural de “mainstreanização” de sua música, o que começou a acontecer quando ele se uniu com a Ariana Grande na inusitadamente ótima “Love Me Harder”, o primeiro single de seu novo disco traz uma proposta bem mais radiofônica que o R&B do seu álbum anterior, “Kiss Land”, até lembrando um pouco do que estamos acostumados hoje em dia com o Bruno Mars, e parece ter tido o efeito esperado, uma vez que a música já está na sexta posição da parada.



A estabilidade de The Weeknd se deu por conta da música estar em destaque nas rádios americanas e, se estivermos certos, com um pouco mais de impulso do próprio cantor e seu público, conquistando também mais números em streaming e vendas, podemos esperar vê-la em posições cada vez mais altas. Vale ressaltar que The Weeknd também aparece nas posições #16 e #19 com, respectivamente, “Earned It” e “The Hills”.


— “Bitch Better Have My Money”, Rihanna —
Tava demorando pra Rihanna começar os trabalhos do “R8” pra valer, né? A cantora passou meses desde o lançamento de “Bitch Better Have My Money”, segundo single do seu novo álbum, sem nos trazer novidades, mas aí voltou com tudo, trazendo um videoclipe sangrento e repleto de polêmica, além de uma performance no Saturday Night Live, o que pareceu ser o suficiente pra elevar a canção de #28 para #15. Se continuar divulgando a faixa, que segue a fórmula do trap atual, ainda que de maneira bem boca suja, a barbadiana deve conquistar o top 10 da parada e, depois disso, alcançar o topo se torna uma questão de tempo.



Boas saídas para Rihanna conseguir alavancar o single na parada são mais performances, maior divulgação da canção em rádios e plataformas de streaming, além de eventuais remixes. Quem sabe não somos presenteados pelos próximos dias com uma versão da música em parceria com Kanye West.

***



Entre outras faixas que estão se destacando na parada e possuem potencial para alcançar seu topo, temos “Classic Man”, do rapper Jidenna, que é quase uma nova “Fancy”, a estreia do Fetty Wap e Remy Boyz em “679”, pegando o buzz remanescente de “Trap Queen”, e o single de retorno da Demi Lovato, “Cool For The Summer”, que tem sido massivamente divulgado nos EUA e, apenas com as primeiras performances e lançamento no iTunes e plataformas de streaming, já entrou no top 40 da lista. 



Seja como for, tudo o que esperamos é não precisar ver Wiz Khalifa no topo outra vez. Muito menos ouvir essa música apelativa pra car#%¨$ö.
Tecnologia do Blogger.