'Eu nunca amei o 'Perfectionist'', diz Natalia Kills em bate-papo sobre seu novo álbum e seus trabalhos anteriores


Natalia Kills pode não ter uma carreira concretizada e forte como muitos outros artistas pop, mas a inglesa pode se considerar orgulhosa por ter um filho lindo chamado "Trouble", um outro filho nem tão lindo mas que a gente ainda gosta, "Perfectionist", alguns outros EPs e uma treta que abalou as estruturas da internet (e de sua carreira) com um participante do X Factor neozelandês.

E como se falou sobre essa confusão, meu Deus. Basta jogar "Natalia Kills" no Google que o segundo resultado da busca já é de um site noticiando a demissão de Kills e seu cônjuge, Willy Moon, do reality show musical pelo fato deles terem discutido feio com o coitado do Joe Irvine e, convenhamos, eles foram bem babacas mesmo. Contudo, mesmo com multidões xingando muito no Facebook e Twitter dizendo que a carreira dela estava acabada e que ela jamais lançaria algo novo, Natalia mostrou o oposto disso.

A garota estava há um bom tempo longe das redes sociais por conta de todo o ódio que estava rolando por lá, mas ontem ela decidiu voltar para a terra de ninguém que a internet é, e aproveitou para fazer uma sessão de perguntas e respostas com seus fãs, onde acabou revelando bastante sobre o sucessor do aclamado "Trouble".

"Não haverá colaborações no meu próximo álbum. Eu quero que ele seja puro. Eu nunca fui muito fã de featurings, mas eu entendo porque a gravadora precisa deles", declarou a ex-jurada do X Factor, que ainda continuou: "eu escrevi uma música chamada ‘Straight Jacket’ há algumas semanas e eu acho que a minha vida toda foi feita só para que eu fizesse essa música. O próximo álbum é mais obscuro, mais duro, não tão pop, mas bem memorável. Eu só escrevi tudo o que eu realmente sentia sem me importar com o quão fodido possa parecer. Meu novo álbum soa como drogas. Eu quero que ele soasse como os primeiros álbuns que comprei e cresci ouvindo. Garbage, Hole, All Saints, Oasis, Massive Attack... Eu escrevi todas as ideias, mas o álbum ainda não estará finalizado até que eu o ouça e saiba que se eu morrer amanhã, eu fiz uma coisa boa". Eita, segura esse rock.

Ainda a indagaram sobre seus discos anteriores, e sua resposta foi bem interessante: "Eu amo o Trouble. Eu nunca amei o 'Perfectionist'. Eu amo todas as minhas composições, mas eu sempre quis que os produtores não o fizessem tão EDM". Nós só conseguimos pensar nisso:


Via: Active Kills BR
Tecnologia do Blogger.