Top 10: os 10 melhores clipes para comemoramos os 10 anos de carreira da Rihanna!

Era dia 24 de maio de 2005 quando foi lançado "Pon De Replay", single de estreia da Rihanna, o que viria a ser o primeiro de muuuuitos singles de sucesso da barbadiana - com peak #2 na Hot 100. Sete álbuns, 58 singles e 33 clipes, cá estamos, 10 anos depois, repetindo, DEZ ANOS DEPOIS. Já podemos nos sentir velhos? Para comemoramos os 10 anos da carreira da Rihanna escolhemos nossos 10 clipes favoritos da vasta videografia da cantora, tarefa super difícil para quem tem tantos clipes, eras incríveis e nada menos que 21 VEVOs Certifieds (e bem próxima de conseguir mais dois). Vamos lá?


10. RUDE BOY
O "corpo estranho" que amamos da videografia do "Rated R", "Rude Boy" quebra todo o padrão dark apresentado até então ao trazer um vídeo vibrando com as cores da bandeira da Jamaica, milhares de colagens e muito chroma key, fazendo a linha bem M.I.A. Numa estética noventista, Rihanna é a dancehall queen que vai do Caribe à África sem perder o rebolado, e, obviamente, nos colocando pra dançar também. Pelos takes insanos, o clipe, dirigido por Melina Matsoukas, foi indicado ao Video Music Awards de "Melhor Edição".



9. WE FOUND LOVE
Apesar de "Talk That Talk" ser o álbum mais urban da barbadiana, foram as farofas que marcaram a era, com o grande destaque para "We Found Love". O carro-chefe do álbum voltou a cutucar no barraco da cantora com Chris Brown ao retratar no clipe um amor bandido. Rihanna contracena com Dudley O'Shaughnessy (qualquer semelhança com Brown é mera coincidência, cof) numa trama bem "Trainspotting: Sem Limites" e "Réquiem Para Um Sonho", onde o casal lida com a relação de amor e ódio com muitos abusos, drogas e violência psicológica. O vídeo, sob direção de Melina Matsoukas, é um dos poucos clipes a levar os dois maiores prêmios do formato ao mesmo tempo: "Vídeo do Ano" no VMA e no Grammy.



8. UMBRELLA
A música que transformou Rihanna na estrela definitiva que é hoje, "Umbrella" tem tudo que um clipe de diva tem que ter: carão, figurinos estonteantes, sensualidade e coreografia. Jay Z, padrinho da cantora, puxa os versos para vermos caixas d'água explodindo enquanto Riri faz um balé enquanto desvia da água, para logo depois dançar com seu guarda-chuva. Impossível esquecer da icônica cena onde a cantora está completamente nua e pintada de prata sob direção de Chris Applebaum. "Umbrella" foi o primeiro clipe vencedor do VMA da Rihanna, vencendo logo "Vídeo do Ano", marcando-a como a única artista feminina a vencer a maior categoria duas vezes.



7. YOU DA ONE
Melina Matsoukas fez a dobradinha depois de "We Found Love" ao dirigir o single do próximo single de Rihanna, "You Da One", um glorioso clipe em preto & branco (em sua maioria) que não segue um roteiro. O conceito é visual, com projeções geométricas, perucas cônicas, efeitos visuais dos mais diversos tipos que deram a cara à era "Talk That Talk". Com referência ao filme "Laranja Mecânica" e a Michael Jackson, a simplicidade de "You Da One" é compensada pelas brincadeiras da tela que enchem os olhos.



6. DISTURBIA
O primeiro clipe dark da animadíssima Rihanna do "Good Girl Gone Bad" pegou todo mundo de surpresa. "Disturbia" é um clipe claustrofóbico, com maquiagem dark, globos oculares brancos num cenário bem "Jogos Mortais". A edição tremida, ágil e desconexa transmite a sensação magistralmente da loucura e insanidade que a letra prega, com Rihanna sendo a rainha do hospício, num aperitivo ao trabalho visual que seria mais explorado na próxima era - "Disturbia" foi um aviso e um clipe que deve ter feito Marilyn Manson orgulhoso (ou invejoso).



5. RUSSIAN ROULETTE
Foi um choque sair da era pop que foi a "Good Girl Gone Bad" para a sombria "Rated R", inciada após o acontecimento que marcou a carreira (e a vida) de Rihanna: o incidente com Chris Brown. "Russian Roulette" abriu os trabalhos de forma tenebrosa, com seu clipe pesado e macabro que trata de infidelidade, auto-destruição e violência a partir da metáfora da roleta russa. Dirigido por Anthony Mandler e com um "quê" de "Disturbia", mas sem a veia dance desta, "Russian Roulette" foi um marco ao trazer maturidade a uma artista até então conhecida por nos fazer tremer na pista, e, claro, nos mostrar o seu lado negro da força.



4. WHERE HAVE YOU BEEN
Saindo de dentro dum rio com maquiagem de crocodilo em suas costas e seios; a imagem de abertura de "Where Have You Been" já é icônica, e é só a preparação para o tema. Coreografia pesada, efeitos especiais, referências egípcias, indianas, africanas, pirâmides, olhos, ninho gigante e Rihanna belíssima num clipe meio Beyoncé, meio Jennifer Lopez que nos fez cair na pista e rendeu duas indicações ao VMA de 2012: "Melhor Coreografia" e "Melhores Efeitos Especiais". O de coreografia merecia ter levado.



3. HARD
Bad Gurl Riri já habitava nosso mundo desde o "Rated R", e a prova disso é "Hard". Agora indo para a cultura militar, Rihanna é o sargento que treina um exército no meio do deserto, enquanto esbanja sensualidade em figurinos mega exagerados - bem a cara do cenário pop em 2009 - como o uniforme de ombreiras gigantes, o vestido de espinhos e o capacete do Mickey, tudo em meio a tanques (cor de rosa), tropas, helicópteros, explosões, tiro, porrada e bomba, ainda com tempo para levantar a bandeira do seu próprio reinado. Maravilhoso em todos os aspectos possíveis, todo mundo sabe que Rihanna é tãaaao difícil.



2. ONLY GIRL (IN THE WORLD)
Para o clipe de "Only Girl (In The World)", Rihanna levou o conceito da canção ao pé da letra para o clipe e é literalmente a única garota no mundo. Anthony Mandler concebeu então um mundo todo cor de rosa, mas não bobo como em contos de fadas, e sim um universo paralelo cheio de cor, felicidade e super feminina, que casam perfeitamente com a letra da música. Como afirmou Rihanna, "Era como o mundo seria se fosse só eu. Feliz, colorido, energético". "Only Girl (In The World)" foi uma perfeita abertura do "Loud", principalmente por se distanciar da figura pesada do "Rated R" e introduzir-nos à era em vermelho que viria.



1. S&M
O mais controverso clipe da carreira de Rihanna é também o seu melhor clipe. Dirigido por Melina Matsoukas, "S&M" já chegou causando logo no conceito: sadomasoquismo. Num clipe absurdamente colorido temos Riri sendo objeto de fetiche da mídia, mas o jogo vira e ela prende vários repórteres para satisfazer seus dejesos. Além disso, o clipe foi banido e excluído do Youtube pelo conteúdo sexual, e depois processado por David LaChapelle, que afirmou - com razão - "cópia e composição do conceito total, tom, humor, tema, cores, adereços, configurações, decorações, figurinos e iluminação" de algumas de suas obras. O caso foi acertado entre as partes e só deixou o clipe ainda mais apimentado. Até a participação do Perezzzzz Hilton é perdoada.



Ufa! Que videografia linda, hein? Parte mais difícil de escolher só 10 entre tantos é ter que deixar de forma outros incríveis ("Diamonds", "Pour It Up", "Man Down"...). Mas ainda estamos esperando um clipe digno dessa lista com o "R8", viu Riri? À propósito, lança esse álbum, mulher!
Tecnologia do Blogger.