A treta da Natalia Kills com o X-Factor e todas as vezes que seu marido e ícone fashion, Willy Moon, inspirou outros grandes artistas

As últimas semanas estiveram cheias de discussões sobre originalidade, hein? Desde que o Robin Thicke e Pharrell Williams perderam o processo de plágio contra o hit “Blurred Lines”, legitimamente reconhecida como uma cópia de “Got To Give It Up”, do cantor Marvin Gaye, passaram a estudar então a possibilidade de levar Pharrell para os tribunais outra vez, agora com “Happy”, e lá do outro lado do globo, quem também resolveu acusar possíveis plágios foi a cantora Natalia Kills.

Estreante na bancada de um reality show musical, Natalia Kills foi convidada para ser jurada do X-Factor da Nova Zelândia e, conhecendo seu trabalho e a maneira com que ela é injustamente desconhecida na indústria, não tinha como comemorar essa oportunidade, que em muito a ajudaria quanto a exposição de seus novos projetos, incluindo o disco que sucede o ótimo “Trouble” e deve ser lançado neste ano, mas a britânica terminou atraindo a atenção pública para seu nome de uma maneira bem ruim.

Tudo aconteceu quando Joe Irvine, um dos participantes do programa, subiu ao palco para apresentar “Cry Me A River”, do Michael Bublé. Geralmente, após essas performances, o esperado é que os jurados opinem sobre o que assistiram. A performance, a presença de palco, a desenvoltura em frente ao público, o vocal, etc. Mas Natalia Kills ficou bem puta com outra coisa: o visual do participante que, segundo ela, copiava “descaradamente” o seu marido e também jurado da franquia neozelandesa do programa, Willy Moon.

Os momentos que sucederam esse visível emputecimento da cantora compuseram um dos episódios mais vergonhosos de todas as edições do X-Factor ao redor do globo, com ela e seu marido humilhando o cantor novato simplesmente porque ele vestia um terno e tinha o cabelo penteado para trás. O QUÃO INÉDITO É ALGO ASSIM? E as declarações, que logo viraram a internet contra Natalia Kills e Willy Moon, foi bem além, garantindo a insatisfação da emissora responsável pelo programa que, horas mais tarde, confirmou o que parecia ser o mais justo: a demissão do casal.

Autopromoção e reality shows musicais frequentemente andam de mãos dadas, de forma que é bem comum termos artistas pouco reconhecidas por seus trabalhos, ainda que esses sejam de qualidade indiscutíveis, atuando como jurados nessas bancadas e na maioria das vezes isso os ajuda bastante, contribuindo pra que eles garantam algum espaço que esteja aberto a mostrar seus novos projetos no velho “uma mão lava a outra” e dizemos isso desde a Jennifer Lopez no American Idol à Claudia Leitte no The Voice Brasil. É uma tática bem funcional, pelo menos quando você sabe usá-la ao seu favor. Natalia não soube.

Nesta altura do campeonato, a cantora sobe em disparada no limbo de artistas britânicos que lutam por um pingo de relevância na indústria, ao lado de Rita Ora, Jessie J, entre outros, e sequer pode contar com o status que adquiriu desde a parceria com Madonna no disco “Rebel Heart”, visto que sua atitude foi sim horrível e não suscetível a qualquer defesa. Seja como for, aproveitamos o momento para expor outros artistas que também copiam descaradamente o visual de Willy Moon, ajudando Natalia Kills a evitar estar nos mesmos eventos que esses, vai que ela termina tão enojada o quanto ficou com o participante do programa. Olha só:


Justin Timberlake gosta muito da combinação de terno + pasta no cabelo. O cantor até tem uma parceria com o Jay Z sobre terno e gravata:



WILLY MOON’S IMPACT!

Olly Murs, descoberto pelo X-Factor UK, é um verdadeiro “gentleman” e sempre ficou muito bem neste look Willy Moon:

Pitbull recusou o gel ou pasta para complementar o penteado, mas também não nega um terno:
(A história da humanidade deveria ser divida num Antes e Depois de Willy Moon, como exemplificamos na foto acima.)

Me diz, Bruno Mars, tu tá metido com plágios?

A gente está envergonhado em estar na frente deste computador vendo Lady Gaga copiar descaradamente o visual de Willy Moon:

Até você, Madonna?

Opa, parece que até o Ed Sheeran é muito influenciado por Willy Moon.

E a tendência Willymoonesca também chegou ao Brasil:

Sério, estão todos muito apegados à ela:

E como bem citou o Popjustice, o mais interessante é notar que, depois do discurso de ódio da cantora opressora, no mesmo vídeo temos o apresentador do programa copiando descaradamente o figurino do cara:




Depois do impeachment da Dilma é Willy Moon quem assume a presidência?
QUE INSPIRADOR.

Tão inspirada em falar sobre autenticidade, Natalia Kills lidou com muitas comparações com a cantora Lady Gaga desde que assinou com a Interscope, sendo prometida, inclusive, como uma versão morena da cantora de “Bad Romance”. 

A oportunidade que Natalia tinha de aproveitar o programa para se erguer profissionalmente e, em nome da boa música, incentivar novos talentos a explorar seu lado artístico, conquistando assim um espaço que ainda é bem limitado para novos nomes, como a própria sabe bem, foi desperdiçada por uma completa tolice. God damn problem.

Tecnologia do Blogger.