Em desabafo pelo Twitter, Sky Ferreira acusa gravadora de roubar suas ideias e pensa em deixar de fazer música, ‘não sou um fantoche’

Parece que as coisas não vão bem para Sky Ferreira. Até então compondo para seu segundo disco, enquanto se divide também em seu trabalho como atriz, para o filme “The Trust”, a cantora usou seu Twitter para fazer um desabafo que mais tarde foi apagado, falando sobre sua conturbada relação com a gravadora responsável por seus singles já lançados e o tão adiado disco de estreia, “Night Time, My Time”.

Numa sequência de postagens, Sky Ferreira ameaçou deixar de fazer música, antes que se enrole ainda mais com esses contratos, o que nós realmente esperamos que não aconteça, além de acusar a gravadora de roubar suas ideias para usar com outra artista, qual mais abaixo a gente mostra quem pode ser. Rola ainda uma menção à Azealia Banks.
“Eu digo para a gravadora, ‘eu preciso fazer isso’. Eles, ‘não’. Um ano depois eles assinam com um novo artista e fazem uma imitação barata. RS. E ainda vão atrás de todos meus amigos e pessoas com quem trabalho. Talvez eu devesse ser uma consultora criativa deles?”, pergunta a cantora em seu Twitter. 
Segundo alguns fãs, a “imitação barata” em questão seria a cantora francesa Stéphanie Sokolinski, artisticamente conhecida como SoKo, que nesse ano começou a promover seu segundo disco, "My Dreams", com um visual que remete muito à novaiorquina, mas quanto a isso não podemos afirmar, até que a própria Sky aprenda que nós trabalhamos com nomes.


“Eu vou parar agora antes que tenha meu novo álbum adiado por quarenta anos”, continuou Sky. “Deus livre de você ter uma voz e visão que não se encaixem no plano de marketing de alguém ou qualquer coisa assim. Pessoas como eu e Azealia Banks são deixadas pra trás e descritas como difíceis em grandes gravadoras porque não somos fantoches. Nós assumimos o risco sem o dinheiro deles e isso funciona de algum jeito, então eles se aproveitam e tentam replicar com alguém ‘seguro’, fazendo ainda mais barato”, completou.
Em resposta à um fã, ela ainda falou sobre o CD “Night Time, My Time”, afirmando que a gravadora se recusou a promovê-lo e depois usou isso contra ela, reclamando por não “vender o suficiente”.



Mas que barra, hein? Dentro da indústria, o que não faltam são casos de cantoras brigando com gravadoras por divergências artísticas ou restrições que a obrigam a permanecer presas aos selos sem poder lançar músicas novas. Só pra citar alguns exemplos, temos a sueca Robyn, que a gravadora queria tornar uma espécie de “nova Christina Aguilera” e então quebrou o contrato, estreando sua própria gravadora; Kesha, que atualmente está na justiça pedindo por sua liberação da Kemosabe Records; Jojo, que passou mais de dez anos presa ao selo Blackground Records, quando o mesmo já havia falido, mas não a liberava para outros trabalhos e a mencionada Azealia, que não só conseguiu trocar de gravadora ano passado, como também lançou por ela seu disco de estreia quase engavetado.

A gente espera que Sky Ferreira consiga resolver essa situação o quanto antes e da melhor maneira possível. Somos bem suspeitos pra falar da menina, que achamos super talentosa MESMO, mas não temos porque não querer vê-la livre pra lançar o que quiser e quando quiser, principalmente se forem coisas ao nível do que já nos apresentou. Bota a cara no sol e não deixe de mostrar a que veio, Sky!



Tecnologia do Blogger.