Video Review: como destruir um conto de fadas por Taylor Swift no clipe de 'Blank Space'

Taylor Swift abriu os trabalhos para sua vida propriamente pop com "Shake It Off", lead single do álbum "1989". Com a faixa Taylor não nos convenceu, principalmente levando em conta que ela já havia despencado para o pop há tempos antes de sair do armário - "I Knew You Were Trouble" não nos deixa mentir, e o clipe da mesma é ainda mais perdida. Particularmente, o editor que vos escreve nunca foi fã da ex-cantora de country, mas alguns dos seus trabalhos conseguiram a proeza de capturar a atenção.

O último dos trabalhos citados é "Blank Space". Ao ser lançada a faixa não soou como um grande single, mas tudo mudou com seu clipe. Sob direção de Joseph Kahn (diretor de "Womanizer" de Britney Spears, "LoveGame" de Lady Gaga, "All The Lovers" de Kylie Minogue, "Can't Remember To Forget You" de Shakira e Rihanna e váaaarios outros), a cantora tira sarro de si própria em meio a surtos psicóticos de ciúmes.

O clipe é inteiramente baseado na simetria de frames de Stanley Kubrick, um dos maiores diretores da história do cinema. Para quem não sabe, Kubrick era absurdamente perfeccionista, chegando a filmar dezenas de vezes uma só cena até alcançar a perfeição, além de utilizar enquadramentos milimetricamente perfeitos, como em "O Iluminado" (imagem abaixo).


Kahn então se inspira no diretor para montar o clipe, usando jogos de câmera certeiros (principalmente os que dão ideia de zoom) e enquadramentos fenomenais, usando as técnicas clássicas de montagem visual (centralizando de lados opostos pessoas que estão de frente uma a outra), que casa com a estética polida do clipe. Fora isso, temos uma cenografia violentamente bela, com a locação externa filmada no Castelo Oheka e a interna na Mansão Woolworth, que dão o ar conto de fadas esperado pela cantora, que usa e abusa de figurinos estonteantes para conseguir o efeito "eu sou um pesadelo vestido de sonho".


E o sonho de Taylor com seu boy magya, interpretado pelo ator Sean O'Pry (um dos peguetes de Madonna no clipe de "Girl Gone Wild" inclusive), inclui diversas cenas externas em câmera lenta, deixando que tudo flutue graciosamente como num verdadeiro filme da Disney, com Taylor escrevendo seu nome e do amado numa árvore com passarinhos voando ao fundo, cavalos brancos e veados, tudo remetendo à pureza e doçura. 


Mas o amor de Taylor aparece sempre impassível enquanto ela se derrete a cada olhar - ela já deveria saber que ele é um problema. Então a cantora tira sua roupa de sonho e mostra o pesadelo que há por baixo, e é aí que a melhor parte do clipe começa. "Eu posso fazer a mesa virar" canta ela no single, bêbada de ciúmes, mas no clipe faz muito mais: começa a transformar a vida do amado num inferno.

Taylor surta, grita, chora, atira vasos, tenta derrubar árvores, joga o celular do cara na água, destrói todos os seus quadros, rasga suas roupas e acaba com seu carro. Quem nunca? Estão aqui as melhores cenas do clipe, como o slow motion maravilhoso onde a cantora joga uma roupa dele em chamas pela janela. O uso do slow motion intercalado com cenas em velocidade normal foi usado de forma eficientemente cômica, como durante a destruição do carro, onde hora é tudo em câmera lenta e suave desbancando pra velocidade normal com a loira toda desengonçada partindo pra cima do pobre automóvel.


Taylor também faz referência ao pecado original com a cena da maçã, com ela brincando com o amado através da fruta do pecado - que ele percebe só depois da primeira mordida.


Com todos os surtos de Taylor o cara acaba indo embora com todos os prejuízos, mas não importa. Um novo boy magya chega e ela está pronta para começar tudo de novo, afinal, sempre haverá um espaço em branco na lista dela. Assista ao clipe.



Com "Blank Space" Taylor Swift conseguiu aliar um vídeo técnica e esteticamente impecável com um conceito divertidíssimo para a música e sua vida, afinal, ela tem uma longa lista de ex-amores e todos eles dirão que ela é insana, e ela brinca com essa "fama" da melhor forma possível, rendendo um dos melhores clipes de 2014 e que elevou o nível da música às alturas. Se pudéssemos tiraríamos só uma sequência do vídeo, a da cantora em cima do cavalo (ficou gritante no andar da carruagem), mas isso é só um detalhe no meio de toda a loucura imposta pela nova-velha cantora pop.

P.S.: Na descrição do vídeo há o aviso: "Nenhum animal, árvore, carro ou ator foi machucado para fazer esse vídeo". Risos. Melhor cena:

Tecnologia do Blogger.