O que Carly Rae Jepsen e Cher Lloyd têm em comum? As duas estão com ‘grandiosos retornos’ agendados para 2015 e isso é uma ótima coisa para se pensar

Já passaram uns três anos desde que entramos em 2014, mas toda essa demora para a virada do ano só nos deixa ainda mais ansiosos pelas estreias que nos aguardam no ano seguinte, principalmente se pensarmos em dois nomes que, até aqui, não havíamos comentado nada quanto aos passos que farão nos próximos trezentos e poucos dias, mas estão trabalhando em coisas realmente animadoras.

O primeiro nome que fez com que desejássemos que 2015 fosse amanhã foi Carly Rae ‘Call Me Maybe’ Jepsen. A princesinha do pop lançou no ano passado o seu novo álbum, “Kiss”, pegando bastante do buzz do seu único hit em carreira solo e sua parceria com o Owl City, “Good Time”, mas nem toda a justiça do mundo foi o suficiente pra fazê-la acontecer, mesmo que ela tenha, inclusive, se unido a rapper Nicki Minaj em um remix da farofa “Tonight I’m Getting Over You”. No fim, sabemos que realmente não era pra ser, mas o disco continua soando incrivelmente pop. Todos precisam ouvir pelo menos uma vez na vida.


Para o próximo ano, Queenly lançará um single chamado “I Really Like You” e, certo, a gente sabe que você já está cantando mentalmente algum refrão no ritmo de “Call Me Maybe” com as palavras que compõem o título do single, mas simplesmente pare, não é sobre isso que se trata de um grande retorno. Sem se autocopiar, rainhas têm facilidade para se reinventar.


Além da hitmaker de “Curiosity”, quem também retorna com tudo no próximo ano é a britânica Cher Lloyd e também estamos bem excitados por seus próximos passos. Assim como o “Kiss” de Carly Rae, o último disco de Cher Lloyd, “Sorry I’m Late”, foi friamente injustiçado dentro dessa enorme indústria, mas o ano que vem chega fazendo justiça, a começar pela mudança de gravadora da moça, que foi da Epic Records para a Universal Music. Parece algo realmente grande.


Ainda sem um título, o novo single de Lloyd deve abrir os trabalhos com seu terceiro disco de inéditas logo no segundo semestre do ano, só nos fazendo lamentar o descarte de músicas como “Just Be Mine”, “Bind Your Love” e “Alone With Me”, que dariam ótimos títulos na nossa lista de Melhores Singles de 2015. Neste caso, até um relançamento seria muito bem vindo e chegamos a pensar em alguns títulos (“Sorry I’m Late: What Time Is It?”, “Sorry I’m Late: Time Is Relative”, “Sorry I’m Late and I’m Not Sorry At All”, entre outros), mas simplesmente não vai rolar.


O próximo ano ainda nos reserva a volta de Gwen Stefani, Madonna, Adele (se Deus quiser!), Britney Spears e a importante artista Rihanna, mas deixemos nossas expectativas por esses discos para um outro post, aqui só queríamos pontuar o retorno dessas também importantes e injustiçadas garotas de pop açucarado. Que o ano que vem tenha uma parcela bem generosa guardada para elas e, quem sabe, algumas colaborações com Ariana Grande, Iggy Azalea, Pharrell Williams e/ou Sia, nunca se sabe.
Tecnologia do Blogger.