O It Pop elege: os 30 melhores álbuns k-pop de 2014!

O k-pop tem um ritmo frenético de lançamentos. Alguns artistas chegam a lançar dois mini-álbuns e um álbum completo em um período de um ano. Em 2014, novos nomes surgiram e já garantiram - com um ou dois mini-álbuns - seu devido espaço nesta indústria, não é mesmo ToppDogg e Parc Jae Jung? E aqueles já conhecidos nos trouxeram trabalhos dignos e (alguns) surpreendentes, seja com álbuns completos ou não.

Nossos blogueiros selecionaram os melhores álbuns de 2014, e vocês podem conferir quais são logo abaixo. Comentários feitos pelo trio de capopeiros desse blog: Bel, Maria e José. Rolou um pouco de sangue aqui e ali para definirmos o ranking, mas todos passam bem, respirando com a ajuda de aparelhos.


30º "AmadeuS" - ToppDogg 
Esse álbum, ou melhor, esse grupo é divisor de opiniões. Ame ou odeie. Nós amamos. Falamos um pouco sobre ToppDogg aqui no blog quando fizeram seu debut, e por motivos desconhecidos não falamos mais. Em 2014, o grupo lançou dois mini-álbuns - além de versões repackages para cada um -, totalizando seis em sua (pequena) carreira. Entre "Arario" e "AmadeuS", ficamos com o segundo. "AmadeuS" ganha pontos merecedores por unir música clássica e eletrônica. Trazendo uma das melhores misturas do ano, os rapazes do ToppDogg homenagearam Wolfgang AmadeuS Mozart. Ousados, não? Precisamos de mais algum motivo para dizer que "AmadeuS" é uma das melhores coisas de 2014? #BuyAmadeuSoniTunes

29º "Touch & Move" - SISTAR
O SISTAR tem aquela fórmula perfeita que a gente ama: são lindas, são fofas, são sexy sem serem vulgares e cada uma das meninas têm uma voz diferente da outra e que casam muito bem quando juntas. "Touch & Move" é um mini-álbum de verão com músicas perfeitas para serem dançadas e cantadas durante seus dias na praia com os amigos. É a trilha sonora do verão - e de todas as estações -, porque as músicas são realmente uma delícia de ouvir.

28º "Real Talk" - Boys Republic
Boys Republic tem apenas um ano de debut, e são um dos grupos masculinos que mais cresce em questão musical. Eles apresentam em "Real Talk" uma proposta mais madura do que as anteriores, que eram cheias de cenários coloridos e poses fofinhas. Agora eles aparecem mais viris, mais seguros e com vocais impressionantes. Estamos curiosos para saber o que eles vão aprontar no próximo trabalho.

27º "Re:Birth" - NU'EST
O grupo que já veio duas vezes ao Brasil - assim como o MBLAQ -, reuniu algumas de suas faixas antigas com músicas novas e lançaram um álbum completo, "Re:Birth". O que mais impressiona nessa nova fase do NU'EST é, sem dúvidas, o visual dos meninos que mudou bastante. Embora não tenham perdido a simpatia em entrevistas, durante as apresentações eles se tornaram mais sérios, apresentando um conceito mais maduro musicalmente.

26º "EXITO" - Teen Top
Um dos grupos que mais vem evoluindo nos últimos anos é o Teen Top. Depois de começar como meninos em "Supa Luv" e passar por várias fases em sua carreira, eles voltam como homens em "EXITO", apresentando uma nova imagem. Em seu novo álbum, o grupo mostra finalmente que atingiu todo aquele potencial que estamos esperando deles desde de seu debut, A identidade dos rapazes não mudou complemente, somente amadureceu.

25º "Evolution" - Jay Park 
Admitimos que esperávamos um pouco mais de "Evolution". Tendo uma porcentagem baixa de faixas novas, ele não ocupa um lugar muito alto no nosso ranking. Mas pala qualidade de suas poucas inéditas, ele tem um lugar mais do que merecido em nossa lista. Sendo um dos maiores nomes do cenário atual do hip-hop sul-coreano, Jay nos mostra um pouco mais de si nessa sua nova fase da carreira e também nos mostra seus vários lados, um tanto quanto inusitados, com singles como "Joah", que fogem um pouco de seu estilo habitual de música. E isso é bom, em "Evolution", Jay Park se encontrou e mostra que está lidando muito bem com a nova fase de sua vida, o que nos faz esperar ainda mais por seus futuros trabalhos.

24º "Season 2" - INFINITE
O INFINITE é reconhecido pelo seu carisma, além do talento musical. Com o álbum "Season 2", os meninos mostraram uma música mais madura, que refletiu em vídeos mais maduros, e ao mesmo tempo sem perder a essência do grupo: a simpatia que agrada até mesmo quem não é fã. Não é o melhor álbum do INFINITE, mas marca um novo período na carreira dos meninos e merece ser lembrado.

23º "And&End" - T-ARA
T-ARA entrou no mainstream, pelo menos aqui entre o pessoal do blog. "And&End" teve como single a farofa eletrônica e deliciosa "Sugar Free". Não é a primeira vez que as moças do T-ARA apostam em algo do tipo, porém em "Sugar Free" elas abusam do gênero. Entretanto, o EDM fica apenas em suas duas primeiras faixas. Aqui temos baladinhas, e até uma pegada meio country(?) em "I Don't Want You". Para dizer que não temos nada eletrônico além de "Sugar Free", temos "Orgr" - a faixa brinca um pouco com o ritmo, mas não vai além. "And&End" traz várias faces do T-ARA, de maneira distinta, objetiva e espetacular, sendo digno de entrar em nossa lista.

22º "Broken" - MBLAQ
MBLAQ voltou no começo de 2014 com o mini-álbum "Broken", que foi divulgado como um álbum onde o vocal dos meninos seria mais explorado. E cumpriu muito bem a sua missão. Com faixas mais lentas do que as mais conhecidas, como os mega-hits "Oh Yeah" e "Smoky Girl", em "Broken" o MBLAQ mostra um som mais maduro em suas músicas. Além do amadurecimento, podemos, com esse álbum, sentir melhor a voz poderosa dos meninos. Uma pena que o grupo está praticamente acabado.

21º "Rain Effect" - Bi Rain
O rei do k-pop voltou esse ano, e não poderíamos ficar sem citar "Rain Effect" nessa lista. Sexy, o álbum nos mostra porque amamos tanto Rain e marca o grande retorno de um dos maiores nomes do k-pop, depois de dois anos em hiato. "Rain Effect" pode ter uma fórmula já usada pelo rapaz em outras ocasiões, mas isso não torna o álbum ruim, muito pelo contrário, o torna tão bom como todos os outros. 

20º "Magazine" - Ailee 
Ailee deu uma pausa no pop que vinha fazendo nos seus dois primeiros mini-álbuns para mostrar um lado mais artístico. Em "Magazine", além da beleza da cantora, sua voz é ainda mais explorada em baladinhas, onde podemos flutuar ao ouvir sua voz. É um álbum diferente do que ela vinha fazendo, e bem arriscado, mas que deu muito certo.

19º "Got Love" - GOT7
Depois de dizerem que as garotas garotas garotas amam eles, GOT7 nos apresenta "Got Love". Composto por nove faixas, o álbum aposta mais uma vez no hip-pop dos garotos, porém eles dão uma pitadinha de R&B em "A" - faixa usada para a divulgação do disco, e dona de três remixes, um deles soa como uma ótima versão alternativa para a canção - e adicionam um toque urban em "Bad behaviour" e "Good Tonight".

18º "Hello" - Mamamoo
Não falamos em Mamamoo aqui no blog em momento algum, mas estávamos atentos aos trabalhados do grupo. Podemos ter ignorado um pouco as moças do Mamamoo, mas elas foram dignas de entrarem em duas de nossas listas de fim de ano. Aquela dos oitos artistas para ficarmos de olho em 2015, e aquela com os melhores clipes k-pop do ano. E olha só, Solar, Moonbyul, Wheein, e Hwasa são donas, também, de um dos melhores álbuns de 2014. "Hello" mistura muito bem pop, blues e jazz - principalmente esses dois últimos. Estamos achando tendência álbuns do tipo e queremos mais (vindo de outros artistas, queremos um novo conceito no próximo trabalho de Mamamoo).

17º "Truth or Dare" - Gain
Em "Truth or Dare", somos mais um vez apresentados às várias faces da personalidade de Gain. Sexy e divertido, o álbum nos faz conhecer a artista, com singles super gostosinhos que mostram bem a personalidade indiferente de Gain as convenções que muitas ídolos femininas seguem nessa industria. O álbum é um trabalho muito bem feito, repleto de hinos e mostrando mais uma vez que a mulher mais sexy da Coreia do Sul não nos decepcionou.

16º "Rewind" - Zhou Mi 
Esse debut foi uma surpresa para todos, seja porque nunca sequer pensamos que ele poderia acontecer, ou porque realmente não esperávamos algo tão bom quando recebemos. Em um álbum que mistura tanto o chinês quanto o coreano (um acontecimento novo para o k-pop), Zhou Mi nos mostra sua verdadeira identidade musical que estava bem escondida. Com um pop menos farofa do que está acostumado no Super Junior M, ele nos conquista com a sutileza e qualidade de seu primeiro álbum.

15º "Error" - VIXX 
Estamos falando sério quando dissemos que queremos esses meninos tomando o k-pop para eles. VIXX combinam o visual, conceito e música de forma maravilhosa. "Error", um dos melhores trabalhos dos meninos, conta com vocais brilhares e interpretações tocantes de suas músicas. Mostrando que o grupo vai além de clipes com visuais incríveis, esse álbum não poderia faltar em nossa lista. 

14º "Fantastic"- Henry
Muitos já sabem, mas alguns não. Henry não é sul-coreano e sim, canadense. Talvez, a nacionalidade tenha influenciado o rapaz a trazer trabalhos tão descapopizados. Assim como em "Trap", mini-álbum de estreia do moço, em "Fantastic" não encontramos nada que realmente nos remetesse a tal gênero. Aqui encontramos pop, R&B, baladinhas (e músicas que infelizmente não se tornaram singles). Tudo parece desconexo, mas não está. Que Henry continue a evoluir em cada álbum. Amém.

13º "HER" - Block B
Block B sempre consegui ser diferente em seus conceitos de cada álbum, porém todos haviam algo em comum: o lado badboy dos integrantes. Em "HER", eles jogam fora isso e trazem seu lado mais divertido possível com a faixa-título e "Jackpot". Entretanto, também temos uma parte sentimental em meio a esse álbum. Parece um conceito confuso, e facilmente de ser quebrado no decorrer de cada faixa (devido a sua montagem), muito pelo contrário. Tudo funciona perfeitamente, até a quase-desconexa "Very Good (Rough Version)" ganha um espacinho merecido aqui.  Com "HER", Kyung e seus amigos nos mostraram o porquê de fazerem parte de um dos grupos mais queridos nesse mundo alternativo e hispter (AHAM, TÁ) chamado k-pop.

12º  "Overdose" - EXO
Que o EXO veio pra ficar, disso ninguém tem dúvidas. E com o sucesso estrondoso do mini-álbum "Overdose", menos ainda. Um dos álbuns mais vendidos do ano, "Overdose" é (mais) uma fase ótima do grupo, embora tenhamos alguns hinos esquecidos. Com as faixas maravilhosas "Thunder" e "Run", o álbum teve apenas um single, sua faixa-título. O que poderia ter sido uma era marcante para o EXO, se tornou apenas um simples single. Uma pena. Entretanto, EXO entrega um álbum digno de estar em nossa lista.

11º "Timing" - Kim Hyun Joong 
Kim Hyun Joong é um artista que cria um conceito para cada um de seus álbuns. Nessa nova fase, ele resolveu apostar em um estilo mais calmo e retrô, nos presenteando com um álbum delicioso de ouvir e que faz você ficar mexendo os pés de um lado para o outro em cada uma das músicas. Vale ressaltar a faixa "His Habit" que, apesar de não ter sido single, foi a primeira prévia da (maravilhosa) fase do cantor.

10º "Skool Luv Affair" - BTS
Esse é um dos álbuns que mais surpreenderam em 2014. BTS era, até então, um grupo de hip-hop. Então, é lançada "Boy In Luv", com um batidão pop, nos mostrando que eles são capazes de irem muito mais além. Ainda com o conceito de "meninos inocentes na escola", o "Skool Luv Affair" é um marco na carreira dos meninos por trazer um lado pop que ninguém esperava e por manterem a sua identidade em cada uma das faixas com sua pegada de hip hop. 

9º "Red Light" - F(x) 
F(x) sempre foi um girlgroup merecedor de muita atenção, e mesmo que sua gravadora as odeiem, nós ainda as amamos. Ano passado o grupo nos presenteou com um dos melhores álbuns do ano, e esse ano não foi diferente. O sucessor de "Pink Tape", o maravilhoso “Red Light”, mostra um lado mais maduro do grupo, mas sem deixar para traz em nenhum momento aquele lado que nos fez gostar de F(x) em seu debut.

8º "Crush" - 2NE1
CL está com seu passaporte comprado para ir aos Estados Unidos, e caso sua estreia ocorrer bem, ela traz 2NE1 depois. Com "Crush" nos perguntamos: porque a YG não adiantou essa (possível e futura) estreia em solo norte-americano com esse álbum? De k-pop aqui, temos apenas os vocais coreanos das integrantes. Brincadeira. Mas desde quando escutamos "Happy" e "Come Back Home" - faixas divulgadas em primeiro momento -, sentimos aquela (velha) vibe nascemos-no-país-errado que as moças adquiriram com o tempo. Parecemos estar criticando o álbum de maneira negativa, mas não estamos. No mais, "Crush" está aqui como um dos melhores do ano, porque faríamos uma crítica negativa, oras? O k-pop precisa de mais 2NE1s para se tornar popular no mundo!

7º "Rise" - Taeyang 
Quatro anos após seu primeiro álbum solo, Taeyang volta com o sensacional "Rise". Taeyang ressurge, em parte, sentimentalista, apesar do forte título dado ao álbum. Temos as poderosas "Eyes, Nose, Lips" e "Stay With Me" - não é uma regravação da música de Sam Smith, e sim uma parceria com seu grande amigo G-Dragon - como nossas principais baladas do álbum, sendo também, para nós, as melhores do disco. Apesar do lado sentimental do rapaz prevalecer, temos uma pegada dance em "Body" - tem vocais da CL!! -, e não podemos esquecer da divertida "Ringa Linga".

6º "STEP 1" - Parc Jae Jung
Parc Jae Jung ganhou no ano passado o Superstar K5 com "At First Sight", música toda trabalhada no jazz. A primeira música trabalho do rapaz foi a que deu sua vitória, porém com uma roupagem completamente diferente: sombria e melancólica. Canção esta para a promoção de seu primeiro mini-álbum. Esperamos algo similar na versão completa do disco, mas não encontramos nada do tipo. Jae Jung traz em "STEP 1" um som gostoso de se ouvir, e logo em sua segunda faixa somos conquistados pela sua voz. O álbum, também, mostra uma identidade única para Parc Jae Jung e queremos que ela permaneça em seus futuros trabalhos. #BuySTEP1oniTunes

5º "ACE" - Taemin
Nesse ano a SM deu foco aos seus novos artistas solos, nenhum deles desconhecidos, é claro. Tivemos a volta fantástica de Henry, a estreia de Kyuhyun, ZhouMi e Taemin. Aquele menino que comandava os outros integrantes do SHINee em suas coreografias e mostrava aos poucos sua evolução vocal, é o dono de um dos melhores álbuns do ano. "ACE" vem com a proposta em querer mostrar uma nova imagem para o maknae. Um novo Taemin. A proposta não fica só no papel e em seus teasers, em cada faixa vemos um "galera, eu cresci", principalmente em "Pretty Boy". Palmas para Taemin que conseguiu com facilidade desprender-se da imagem de garoto fofo (e frágil) com um álbum incrível.

4º "THIS IS LOVE" - Super Junior 
Um dos maiores retornos desse ano foi o do grupo Super Junior. Com um dos comebacks mais aguardados, a boyband fez bonito e atendeu a todas as nossas expectativas. "This Is Love” lembra de uma forma muito positiva o seu álbum mais bem sucedido, "Sorry Sorry", que vão de faixas divertidas ao estilo Super Junior e baladas depressivas. O álbum é um conjunto de hinos muito bem dispostos que, juntos, formam um tipo de disco que só o Super Junior poderia fazer.



3º "Cant't Stop" - CNBLUE
CNBLUE é uma banda que consegue feitos incríveis, como, por exemplo, todas as faixas de um álbum fazerem sucesso, mesmo quando apenas uma delas tornou-se single. "Can't Stop" é um desses trabalhos. Mesmo que oficialmente só a faixa-título tenha sido single, todas as outras 5 músicas são bem conhecidas pelo público e os fãs sabem cantar cada uma delas. Can't Stop é um marco na carreira do CNBLUE que se preparou bastante para esse comeback na Coreia do Sul e, pelo visto, acertou em cheio na escolha.



2º "First Sensibility" - B.A.P
Em "First Sensibility", B.A.P traz à tona um dos seus pontos mais fortes e também uma de suas características que mais gostamos no grupo: sua versatilidade. No álbum, B.A.P vai do pop, hip-hop ao flerte com o rock, sem nenhum momento perder sua verdadeira identidade. Completamente composto e produzido pelo grupo, suas letras e composições também ajudam para que esse seja, de longe, um dos melhores álbuns do ano.

1º "Play" - Akdong Musician 
Não há uma lista nossa em quem os irmãos do Akdong Musician não tenham ficado entre os primeiros lugares. Neste caso, eles ocupam o topo. O duo realmente dominou o ano com seu álbum "Play". Voltado mais para o folk do que para o pop, o duo mostra seu som suave, mas muito bem trabalhado. Em onze deliciosas faixas, eles nos conquistam de tal maneira que fica impossível não se apaixonar.

...

E, acabou! Finalizamos aqui nossa última lista toda dedicada ao k-pop, e no próximo ano tem mais. Faltou algum álbum digno de entrar em nossa lista, mas que ficou de fora? Deixem aqui nos comentários.
Tecnologia do Blogger.