Madonna fala sobre Nicki Minaj, Illuminati e vazamento de novo CD em entrevistas + vaza a demo da inédita ‘Inside Out’!

Madonna garantiu a nossa trilha-sonora até o fim desse ano com as seis músicas reveladas de seu novo CD, “Rebel Heart”, incluindo o primeiro single do material, “Living For Love”, mas a internet simplesmente não perdoa e, neste domingo (21), outra canção aparentemente gravada para o décimo terceiro álbum da cantora caiu na internet numa versão demo.

A faixa da vez se chama “Inside Out” e, na melhor das hipóteses, faz com que esperemos enormes mudanças caso venha a cumprir a listagem final do “Rebel Heart”. A razão? A letra soa interessante e trabalha bem com esse conceito de coração apaixonado x coração rebelde, anunciado por Madonna como ponto chave desse disco, só que, gente, é um pouco estranho ouvirmos uma música com dubstep em pleno 2014, ainda mais carregando um título de uma canção do “Femme Fatale”, da Zombney, que introduziu a tendência para o pop mainstream em outrora. Ouça:



Pelos últimos dias, Madonna deu entrevistas para diversos veículos, falando sobre a reviravolta na divulgação de seu novo material, que só começaria a ser promovido em fevereiro do ano que vem, e revelou que os recentes vazamentos fizeram com que ela acionasse algumas mudanças em estúdio. As novas faixas, por exemplo, agora são levadas de estúdio à estúdio pelas mãos de pessoas autorizadas, sem que circulem por email ou qualquer outra coisa que envolva a internet. Em estúdio, todos são obrigados a deixarem seus celulares num local reservado, em tempo que até o wi-fi dos locais em que trabalha suas inéditas passou a ser desativado. É como se ela estivesse desligando qualquer possibilidade da internet voltar a atrapalhá-la nos trabalhos com esse novo CD.
“Bem, nós não colocamos coisas em servidores online mais. Tudo em que trabalhamos, se usamos computadores, não estamos com o wi-fi ligado, não estamos na internet. Nós não trabalhamos de uma maneira que qualquer um possa ter acesso às informações. Nós temos algumas fotos e vídeos gravados, e todos precisam deixar seus celulares antes de entrar. Quero dizer, infelizmente, isso é uma droga, mas é como as coisas precisam funcionar. É dessa forma que os vazamentos acontecem.” 
Ainda que assim tenha feito, a cantora confessou não gostar de ver seu disco lançado homeopaticamente, uma vez que tinha em planos lançar tudo integramente, como de costume, mas garantiu que o primeiro single do “Rebel Heart”, que é a dançante “Living For Love”, em breve ganhará um videoclipe, além de um remix do Diplo com vocais de ninguém menos que o cantor revelação MNEK — que participou de uma das muitas demos da canção. A faixa também acompanha a cantora Alicia Keys no piano.
“Nós tivemos que pensar fora da caixa. Manter os pés no chão. Eu não planejava lançar meu disco desse jeito. Eu queria... planejar tudo com calma. Lançar o single, gravar um clipe, começar a falar sobre o material. E você sabe, preparar o lançamento do disco completo e tê-lo pronto para isso. Digo, é esse o tipo de pessoa que eu sou. Acho que é a melhor forma de se fazer isso. Mas nós não tínhamos escolhas.”


Entre tantas coisas, Madonna também comentou sobre a controversa “Illuminati”, produzida pelo grandioso Kanye West, afirmando que a faixa ironiza sobre as especulações de vários artistas integrarem a seita secreta, quando o verdadeiro conceito em torno da palavra passa longe de todos esses rumores.
“’Illuminati’ é uma música que eu escrevi entre março e abril. As pessoas estão sempre usando a palavra Illuminati, mas eles sempre se referem à isso da forma incorreta. Muitas vezes me acusam de ser membro dos Illuminati e eu acho que na cultura pop atual, os Illuminati são vistos como um grupo de pessoas poderosas e bem sucedidas que estão trabalhando pelos bastidores para controlar o universo e não pessoas com consciência, não pessoas que são iluminadas” explicou a cantora.
E continuou:
“Os verdadeiros Illuminati foram um grupo de cientistas, artistas, filósofos, escritores, que surgiram no que foi chamado por Era do Iluminismo, quando não havia composições, arte, criatividade e nem mesmo espiritualidade, e a vida estava parada numa mesmice. E logo depois disso, tudo floresceu. Então tivemos pessoas como Shakespeare, Leonardo DaVinci, Michaelangelo e Isaac Newton e todas essas mentes incríveis, grandes pensadores, todos foram chamados de Illuminati [...] Então quando as pessoas se referem a mim como membro dos Illuminati, eu sempre tenho vontade de agradecer. Muito obrigado por me colocar nesta categoria. Mas antes de agradecer, eu senti que precisava escrever uma música sobre o que eu acreditava que os Illuminati eram ou não.” (Segura essa, Danizudo!)
Ela ainda afirmou que Kanye West soube complementar a canção com o tom alarmante de sua produção e quando terminaram, temia que ele não gostasse do resultado, o que obviamente não aconteceu. Madonna aproveitou para falar sobre a dificuldade em trabalhar com diferentes DJs da atualidade, uma vez que eles não possuem mais do que cinco dias disponíveis numa mesma cidade e da facilidade em colaborar pela segunda vez com Nicki Minaj.
“Ela é muito metódica em seus pensamentos. Nós conversamos um pouco e ela colocou no papel palavras que eu disse descrevendo sobre o que a canção [Bitch I’m Madonna] se tratava e o sentimento que eu gostaria de tirar disso, então ela foi e trabalhou nisso. Ela escreveu, voltou, gravou uma versão da música e nós conversamos sobre isso. Foi um vai e volta até que ela chegasse no ponto certo. Foi uma colaboração completa.”
Questionada sobre uma possível performance no Grammy Awards 2015, Madonna deixou uma possibilidade no ar, afirmando que algo assim seria maravilhoso e tem chances de acontecer. Nós mal podemos esperar.

O disco “Rebel Heart” já está disponível para pré-venda no iTunes, mas só estará integramente entre nós no dia 10 de março de 2015 (ou pelo menos é assim que Madonna planeja que as coisas aconteçam, RS). Este post foi composto por trechos das entrevistas da cantora para as revistas Billboard e Rolling Stone.
Tecnologia do Blogger.