It Pop entrevista: ‘Sinto a necessidade de matar uma parte de mim para ressurgir com uma nova proposta’, diz Nicky Valentine

Com um ano cheio de reviravoltas, incluindo o lançamento do seu primeiro disco por uma grande gravadora, a cantora brasileira Nicky Valentine quer ir além do nicho eletrônico que a consagrou e, dando como encerrada a era “Papa’s Princess”, planeja um importante passo em sua carreira.

No geral, são poucos os grandes artistas nacionais que se dão ao trabalho de planejar suas carreiras aos mínimos detalhes. Com exceção de nomes menores entre as grandes massas, as coisas se resumem em emplacar alguma coisa na trilha-sonora da Globo e derivados, aproveitando pra lançar quantas músicas parecidas com o hit possíveis, até saturar seu nome ao máximo e, sendo assim, dar lugar para outro fenômeno.

Nosso último grande nome pop foi a cantora Anitta e, vamos lá, nem podemos falar da moça no passado, ela não está tão “poderosa” como antes, mas continua por aí, e ditou uma tendência e tanto quanto ao “funk pop”, abrindo as portas do mainstream brasileiro para Valesca, Guimê e Ludmilla, mas o alvo de Nicky não é este.



Desde seus primeiros lançamentos, a cantora sempre se dedicou ao máximo fazendo sua carreira pelas pistas e foi muito bem-sucedida, mas em 2015 quer manter o equilíbrio iniciado neste ano, aonde trabalhou simultaneamente entre os meios pop e eletrônico.
“Eu passei meus últimos meses caminhando na linha entre os dois segmentos e fui muito feliz. Por um lado ‘Cha Cha Boom’ ganhou fôlego nas pistas mundiais e por outro o single ‘Acabou’ me deu uma projeção que nunca havia tido. Para 2015, tenho acordos e contratos fechados, que vão garantir pelo menos duas novas músicas para as pistas, é o que posso adiantar”, contou ao blog.
Ainda assim, mudanças são esperadas, uma vez que Valentine quer ir além do que já fez e, trabalhando com novos nomes, se descobrir em novas sonoridades.
“Estamos encerrando uma importante fase da minha carreira, já abrindo espaço para novas histórias e sonoridades”, afirmou.

Entre as cantoras internacionais, tem sido bem comum vê-las transitar entre personalidades e personagens, dando ainda mais coro para a parte artística de seus trabalhos e assim como Marina and The Diamonds “matou” sua Electra Heart ou Katy Perry fez com a era “Teenage Dream”, Valentine sentiu uma necessidade de se reinventar após o lançamento de seu último clipe com o “Papa’s Princess”, para a baladinha “Vai Voltar”.
“Assim como no clipe, me sinto na necessidade de ‘matar’ uma parte minha para ressurgir numa nova proposta. O futuro é incerto, mas por agora a ‘Nicky Valentine’ precisa ficar na mente das pessoas como uma lembrança, dando espaço ao novo.”
Sobre o lançamento do seu disco pela Sony Music, Nicky avalia a experiência como algo realmente grandioso e afirma ter visto muita evolução em sua carreira desde então.
“Desde o principio meu produtor/empresário, Pedro Pitanga, foi muito sincero e falamos abertamente que esse CD seria uma carta de apresentação, uma aproximação minha com um novo mercado e que dividiria a Nicky de antes e depois” disse a cantora. “Acredito que tudo aconteceu e demos alguns passos à frente, hoje a minha realidade é muito diferente. Vejo o crescimento constante dos números e analiso tudo de forma muito positiva.”

Por fim, Valentine adiantou que permanecerá trabalhando com a gravadora OH Records, além de ter em planos continuar com a turnê do CD “Papa’s Princess” durante o primeiro semestre do próximo ano, mesmo que sem o lançamento de um novo single. 2015 também será marcado pelo lançamento de duas parcerias direcionadas para as rádios eletrônicas, preparando então o público para suas próximas novidades.



Com o perdão do trocadilho, acabou.
Tecnologia do Blogger.