Dr. Luke volta a atacar Kesha e acusa (com provas!) cantora de mentir sobre ‘Die Young’ após massacre em escola americana

Pelo andar da carruagem, esse rolo entre a Kesha e o produtor Dr. Luke não termina tão cedo, mas ao que tudo indica, é muito provável que o hitmaker de “The Night Is Still Young” saia na frente quanto ao processo movido contra ele e envolvendo acusações graves, como abuso sexual e psicológico.

Mas como é que ele pode se safar de algo tão sério? Simples, Kesha não tem provas. A cantora e sua mãe já soltaram diversas declarações sobre o assunto, fazendo o máximo pra provar quem é o errado da história, mas tudo isso não passou de palavras, em tempo que Luke reforça cada vez mais um perfil de mentirosa para a cantora, por meio de vídeos, cartas, emails e declarações públicas, tanto sobre eles — em especiais como a sua série na MTV, Kesha diz claramente o quanto deve agradecimentos ao produtor — quanto sobre outros assuntos — a cantora já brincou sobre ser filha do Mick Jagger —, apenas tentando manchar seu nome.

Em contato com o TMZ, Dr. Luke voltou a desmentir a cantora publicamente, afirmando que ela inventou toda aquela história de ter sido forçada a cantar “Die Young”, primeiro single do CD “Warrior”, quando temia a triste associação da música com o massacre na escola norte-americana Sandy Hook, em que várias crianças foram assassinadas à tiros.

Segundo o produtor, a hitmaker de “Dancing With The Devil” assumiu a composição de “Die Young” verdadeira e orgulhosamente durante uma entrevista antes do ocorrido e, sim, ele não poderia ter sido mais sincero.
“Eu definitivamente me certifiquei de que cada palavra dessa música soasse verdadeira, porque eu nunca gostaria de me apresentar de uma maneira falsa para milhões de pessoas ao redor do mundo... Eu escrevi e reescrevi e reescrevi de novo essa canção umas dez vezes”, disse Kesha durante uma entrevista para a rádio 95.5WPLJ.

Sem muitos contra-argumentos, o advogado de Kesha levantou o fato de Dr. Luke estar desvirtuando a razão do processo, colocando em pauta declarações que pouco esclarecem a sua posição quanto às reais acusações da cantora — de abuso sexual e psicológico.

De fato, a postura do cara diante de todo o ocorrido tem sido bem estranha, a gente acha que tem culpa nisso sim, mas o cerco fechará cada vez mais para Kesha, o que é uma pena.

O principal intuito de Kesha com o processo movido por ela e sua mãe, Pebe Sebert, é a quebra do contrato assinado pela moça no começo de sua carreira, quando acordou gravar oito discos de inéditas com a gravadora de Dr. Luke, Kemosabe Records. Dos materiais, apenas dois foram lançados, sendo eles seu disco de estreia, “Animal”, e o sucessor, “Warrior”. Neste meio tempo, a cantora já trabalha em seu terceiro álbum, sem qualquer relação com o produtor, iniciando também uma nova séries de shows, que passa pelo Brasil em janeiro de 2015.

Tecnologia do Blogger.